Início » Gadgets » Apple e Xiaomi dominam vendas de wearables em 2018

Apple e Xiaomi dominam vendas de wearables em 2018

Segundo relatório da IDC, Apple e Xiaomi combinam para 40,3% das vendas de wearables em 2018

Victor Hugo Silva Por

O mercado mundial de wearables cresceu de forma significativa em 2018 e continua tendo Apple e Xiaomi como líderes. A informação é da IDC, que aponta uma alta de 27,5% em relação a 2017 e 172,2 milhões de unidades vendidas entre janeiro e dezembro.

Segundo o relatório, a Apple teve 26,8% do mercado de wearables em 2018 ao vender 46,2 milhões de unidades, 13,1 milhões a mais do que em 2017. A Xiaomi, por sua vez, assegurou 13,5% ao vender 23,3 milhões de unidades, 7,2 milhões a mais do que no ano anterior.

Apple Watch Series 4

No quarto trimestre de 2018, a Apple teve desempenho ainda melhor. Com o lançamento do Apple Watch Series 4, a companhia garantiu 27,4% do mercado ao vender 16,2 milhões de unidades. Enquanto isso, a Xiaomi teve 12,6%, com 7,5 milhões de unidades vendidas.

Esta é a lista das empresas que mais venderam wearables em 2018:

  1. Apple: 26,8% (46,2 milhões de unidades)
  2. Xiaomi: 13,5% (23,3 milhões de unidades)
  3. Fitbit: 8% (13,8 milhões de unidades)
  4. Huawei: 6,6% (11,3 milhões de unidades)
  5. Samsung: 6,2% (10,7 milhões de unidades)
  6. O resto: 38,8% (66,8 milhões de unidades)

A Fitbit teve uma queda de 10% na comparação com 2017, passando de 15,4 milhões para 13,8 milhões de unidades vendidas. Por outro lado, a Huawei teve um crescimento anual de 147,3%, passando de 4,6 milhões para 11,3 milhões de unidades.

De acordo com a IDC, parte do crescimento da categoria de wearables se dá pela inclusão de mais produtos em seu cálculo. A consultoria passou a considerar fones de ouvido que contam com assistentes, como o Pixel Buds e o AirPods.

“É o próximo campo de batalha para as empresas, pois esses tipos de fones de ouvido se tornaram uma necessidade para muitos, dada a exclusão dos conectores de fones de ouvido nos aparelhos modernos”, afirma o analista de pesquisa da IDC, Jitesh Ubrani.

No quarto trimeste de 2018, as vendas dos fones cresceram 66,4% em comparação ao mesmo período de 2017 e representaram 21,9% do total de vendas de wearables. Os smartwatches tiveram alta de 55,2% no intervalo e equivalem a 34,3% da categoria.

Com informações: TechCrunch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Breno Ribeiro

Bluetooth cerca de 8 horas por dia.
Batimento cardíaco sempre ligado.
GPS desligado, só uso quando vou correr (bem raro).

Fabricio de Oliveira Silva

Eu tenho um DB30 até hoje que a primeira bateria durou 8 anos.

Fabricio de Oliveira Silva

O Amazfit Bip dura ao menos 30 dias longe do carregador. Inclusive bem mais que a Mi Band 3. Tenho um e minha mãe tem a Mi Band 3. Agora os outros modelos, já duram em torno de 7 dias mesmo.

Hemerson Silva

Amazfit nem fodendo, a Mi Band 3 sim, mas os Amazfit jamais. O Pace aqui faz 7 dias.

marcelomartins

meu relógio tem tela e Bluetooth ligado o tempo todo, inclusive de noite, enviando e recebendo informações do celular, dura 5 dias a bateria.

O celular da minha esposa, tem tela e Bluetooth ligado o tempo todo, inclusive de noite, enviando e recebendo informações do celular, dura 30 DIAS a bateria.

Garanto que nenhum deles tem plutônio dentro

Da uma olhada no mercado todo, vai se surpreender.

:)

JOSÉ AUGUSTO

Um dispositivo com tela e Bluetooth ligado a todo momento enviando e recebendo informações do celular. Queria que eles viessem com ogiva de plutônio?

Robert Rey

Só a mi band, porque realmente não existe concorrente pra ela. Telefone da Xiaomi eu passo longe.

marcelomartins

não sabia que não tinha. Obrigado pela informação.

Achei que era básico em todos relógios.

Filipe Espósito

Apple Watch não tem monitoramento de sono (oficialmente).

Psico

Você usa produtos de marca Xing Ling?

Marcos Soares Santos

Não sei que monte de recurso que vocês ligam na MiBand 3 de vocês, mas a minha faz 15 dias tranquilamente, vibrando 6 alarmes por dia inclusive.

marcelomartins

beleza, é uma opção, mas então você está impossibilitado de usar os recursos de monitoramento de sono do relógio certo?

Rmavalli

Tenho o meu faz 22 dias, a primeira carga (veio com 90%) durou 11 dias, mas como era novo eu estava usando tudo que tinha direito, agora nessa segunda carga está com 36% e já foram 11 dias. Meu bluetooth fica ligado 24/7, assim como sensor de batimentos cardíacos (que mede a cada 1min) e a análise de sono toda noite.

Você deixa tudo desativado para durar 30 dias? Vi uma galera no reddit com prints de 60 dias com uma única carga.

Filipe Espósito

Não conheço ninguém que dorme de relógio pra ter esse drama. Os 5 segundos que você leva pra colocar o celular lá na tomada antes de dormir são os mesmos que vai precisar pra tirar um relógio do pulso e encostar ele no carregador.

Breno Ribeiro

Tenho um Amazfit Bip e ele dura no mínimo 30 dias.

Exibir mais comentários