Início » Mobile » LG K12+: melhor, mas com poucas novidades

LG K12+: melhor, mas com poucas novidades

Com processador MediaTek Helio P22 e 3 GB de RAM, LG K12+ é um intermediário básico com bateria e câmeras decentes, mas o custo-benefício...

Por
27/03/2019 às 12h04
8

Prós

  • As câmeras são interessantes
  • A bateria não decepciona

Contras

  • Android 8.1 em um celular 2019
  • O desempenho geral não é lá aquelas coisas

O LG K12+ é um dos primeiros smartphones da marca coreana para 2019. Apesar de recém-saído do forno, o modelo segue uma fórmula antiga, por assim dizer. Para você ter ideia, ele vem com porta micro-USB em vez de USB-C, não permite desbloqueio por reconhecimento facial e a tela não tem notch — não que o entalhe faça falta.

A proposta do aparelho é ser uma opção intermediária para quem não precisa de muita sofisticação. Para tanto, a LG equipou o K12+ (também chamado de LG K40, dependendo do país) com um chip MediaTek Helio P22, tela HD+ de 5,7 polegadas e 3 GB de RAM. Será que presta?

Eu testei o LG K12+ por uma semana e conto as minhas impressões sobre desempenho, câmeras, bateria e outras características nas linhas a seguir.

Em vídeo

Design e áudio

A unidade que a LG enviou aqui para o Tecnoblog tem um tom metálico azulado que é bem interessante para quem quer fugir da tradição do preto (para quem preferir, essa cor também está disponível). O visual é bonito — ou diferente, pelo menos. No entanto, a traseira é feita de um material plástico que, apesar do aspecto ligeiramente fosco, atrai marcas de dedos e escorrega com relativa facilidade.

LG K12+

Felizmente, a moldura, revestida de um material azul mais claro que na traseira, tem boa aderência e permite que você mantenha o aparelho em mãos com bastante segurança. Apesar disso, uma capinha vai ser meio que uma obrigação aqui: fiquei com a forte impressão de que tanto a traseira quanto as laterais são bastante suscetíveis a riscos.

Em compensação, a LG destaca que o modelo tem resistência militar no padrão MIL-STD-810G, tal como o K11+ e outros smartphones da marca. Essa característica indica que o celular segue algumas normas de projeto e fabricação que o tornam mais resistente a determinadas intempéries, como impactos, vibrações e aumento de temperatura. Isso não quer dizer, porém, que o dispositivo é indestrutível.

Voltando ao design, um detalhe chamou a minha atenção: a LG concentrou um monte de recursos na lateral esquerda do K12+. Ali estão os controles de volume, duas gavetas de chips — uma para um SIM card, a outra para um SIM card e um microSD — e o botão de confusão: ele serve para ativar o Google Assistente, mas dá para confundí-lo facilmente com o liga / desliga que, na verdade, foi posicionado isoladamente no lado direito.

LG K12+

Na parte inferior, a gente encontra a porta micro-USB (acho que já está na hora de a indústria padronizar tudo com USB-C, mas enfim), a entrada para fones de ouvido e o alto-falante, que tem volume máximo decente (mas não incrível) e um som que não distorce com facilidade.

Apesar disso, a experiência com o áudio fica melhor com fones de ouvido (desde que dos bons, é claro). Isso vale para praticamente qualquer smartphone, mas, no LG K12+, é possível ativar a opção DTS:X na área de notificações para dar uma incrementada no som. Não é nada muito impressionante, mas funciona.

LG K12+

Tela

O LG K12+ não segue a atual tendência do aproveitamento de espaço otimizado na parte frontal, razão pela qual as bordas da tela são um tanto generosas e, bom, nenhum notch dá as caras por ali. Mas o que importa é a experiência de uso do display. Nesse quesito, o aparelho não faz feio.

Estamos falando de um painel LCD de 5,7 polegadas com 1440×720 pixels que exibe cores vívidas e apresenta pouca distorção quando visualizada a partir de ângulos variados. É claro que uma resolução mais generosa seria interessante, mas, apesar de ser apenas HD+, a tela do LG K12+ não permite distinguir pixels facilmente.

LG K12+

Só o brilho máximo que poderia ser um pouco mais alto. Até dá para enxergar o conteúdo da tela em um ambiente com muita luz solar, mas você vai ter que fazer algum esforço. A despeito disso, o ajuste automático de brilho é rápido e quase sempre preciso.

Software

Apesar de estarmos em 2019, o LG K12+ sai de fábrica com o Android 8.1 Oreo e, até o momento, nenhuma previsão de atualização para o Android 9 Pie. Pelo menos a interface que a LG preparou é estável e bem organizada.

Quer dizer, mais ou menos organizada. A interface em si é mesmo interessante, apesar de o seu visual já ter ficado batido. Curto, por exemplo, a divisão em abas (Rede, Som, Tela e Geral) existente nas configurações. Em contrapartida, há um excesso de apps, notificações e widgets próprios da LG que acaba deixando tudo meio poluído.

Só para dar um exemplo, vira e mexe aparece uma notificação dizendo que, se o smartphone parar de responder, a bateria não deve ser removida. É claro que dá para desativar avisos como esse, mas, nesse caso em particular, a notificação parece surgir por excesso de cuidado da LG, afinal, só quebrando a tampa traseira para a bateria ser removida.

 LG K12+

Ao menos os apps essenciais somam pontos. O LG K12+ traz gerenciador de arquivos, galeria de fotos, gravador de áudio e lista de tarefas, por exemplo. Todos funcionam bem.

Câmeras

A câmera traseira tem 16 megapixels e abertura f/2,0, e aparece fácil como a característica mais notável do LG K12+. Ela não é perfeita em todos os aspectos, tampouco faz fotos magníficas. Por outro lado, registra imagens consistentes graças ao bom equilíbrio de cores e contraste.

LG K12+

Os níveis de ruído são baixos e a definição é decente quando a luminosidade é favorável. Mas, não importa as condições, convém segurar o celular com firmeza no momento do disparo: é relativamente fácil fazer registros borrados mesmo em ambientes com bastante luz.

Foto registrada com o LG K12+

Foto registrada com o LG K12+

Foto registrada com o LG K12+

Foto registrada com o LG K12+

Configurado por padrão como automático, o modo HDR não faz muita diferença durante um dia claro, mas dá uma incrementada nas fotos feitas em ambientes fechados. Mas, de novo, é preciso segurar o smartphone com firmeza para evitar borrões na imagem.

Foto registrada com o LG K12+

Sem HDR

Foto registrada com o LG K12+

Com HDR

Foto registrada com o LG K12+

Sem HDR

Foto registrada com o LG K12+

Com HDR

Agora, com HDR ou não, não existe milagre em cenas noturnas ou com luminosidade reduzida: nessas condições, a definição das imagens cai consideravelmente.

Foto registrada com o LG K12+

Foto registrada com o LG K12+

Foto registrada com o LG K12+

Na frente do K12+ a LG colocou um sensor de 8 megapixels com flash LED. Gostei dela. Para um intermediário, é uma câmera bem boa. Não há exageros no pós-processamento e a nitidez é satisfatória, o mesmo valendo para a coloração.

E, sim, existe um modo retrato aqui, via software. Nessas circunstâncias, é comum que detalhes como cabelo e orelhas saiam desfocado, mas eu não tive problemas com isso no LG K12+. Olhando bem, até dá para perceber uma falha de desfoque ou outra na imagem, mas é coisa pequena.

Selfie registrada com o LG K12+

Selfie registrada com o LG K12+

Modo retrato

Hardware e bateria

O Helio P22 é o processador que equipa o LG K12+. Trata-se de um chip da MediaTek composto por oito núcleos Cortex-A53, frequência de 2 GHz e GPU PowerVR Rogue GE8320. Em complemento, o aparelho traz 3 GB de RAM (em alguns países, o K12+ tem 2 GB de memória) e 32 GB de espaço para armazenamento de dados.

Essa é uma configuração intermediária, obviamente. O que deixa dúvidas é o desempenho, até porque o Helio P22 não é muito conhecido. Vamos lá: toda as tarefas que eu executei rodaram sem erros ou fechamentos inesperados, mas há ressalvas.

Para começar, na primeira instalação, os aplicativos demoravam para abrir e jogos como Asphalt 9: Legends travavam tanto que ficava impossível jogar. A situação estava tão crítica que eu decidi resetar o aparelho e configurá-lo novamente.

Não sei qual foi a causa do problema, mas, depois disso, a situação melhorou bastante. Unkilled rodou numa boa com configurações gráficas no automático. Asphalt 9: Legends até ficou minimamente jogável, mas, mesmo com configurações gráficas no nível mais baixo, as taxas de frames por segundo caíam bastante.

Desempenho no AnTuTu 7.1.7, 3DMark 2.0.4589 e Geekbench 4.3.2

Desempenho no AnTuTu 7.1.7, 3DMark 2.0.4589 e Geekbench 4.3.2

Nas demais tarefas eu não tive dificuldades. Apps de redes sociais, Chrome, YouTube, Netflix e Google Maps, por exemplo, rodaram sem sinais de gargalos, exceto pelo fato de que, vez ou outra, o aparelho ficava “pensando” antes de abrir um menu ou alternar entre aplicativos abertos. O LG K12+ é mesmo um smartphone para usuários cujas necessidades não vão muito além do básico.

A bateria se comportou bem, até porque o smartphone não gasta muita energia. Ela tem 3.000 mAh e pode deixar o dispositivo um dia inteiro longe da tomada sob condições de uso moderado.

O teste foi feito com duas horas de vídeo via Netflix e brilho máximo na tela, meia hora de YouTube, uma hora de Spotify via alto-falante, cerca de 30 minutos de jogos (Super Mario Run e Unkilled), uma hora e meia de redes sociais e Chrome, além de uma chamada de 10 minutos.

Comecei pela manhã, com 100% de carga. Os testes foram feitos ao longo do dia. Por volta das 22:00, a bateria ainda tinha 40% de carga. O tempo de recarga, de 20% para 100%, foi de duas horas. O K12+ não suporta recarga rápida.

Conclusão

Smartphones avançados chamam muita atenção, mas uma parcela gigantesca da população brasileira só precisa ou só pode recorrer a modelos mais simples. É por isso que aparelhos como o LG K12+ são importantes. Apesar disso, um pouco mais de critério com o hardware seria bom: é difícil se desvencilhar da sensação de que falta fôlego ao Helio P22.

Mas do essencial o smartphone dá conta. De jogos também, desde que eles não sejam muito pesados. Além disso, a bateria tem boa autonomia e as câmeras, embora simples, fazem registro interessantes, pelo menos dentro da categoria do aparelho.

LG K12+

No resumo da ópera, o modelo acaba oferecendo uma experiência razoavelmente positiva para quem não tem um perfil de uso avançado. Vejo isso com algum alívio, pois o LG K12+ é o tipo de smartphone que atrai os olhares mais leigos nas prateleiras das lojas.

O maior problema está na relação custo-benefício: é óbvio que o K12+ não vale os R$ 1.199 sugeridos pela LG. É visível que o modelo melhorou em relação ao K11+ e outros intermediários da marca, mas os avanços não são expressivos a ponto de justificar esse preço.

Eu diria que por uns R$ 800 dá para fechar negócio, mesmo assim, eu não o faria sem analisar outras opções. O Moto G7 Play, para dar um exemplo de smartphone recente, custa oficialmente R$ 999 e oferece desempenho geral mais consistente, embora tenha 1 GB de RAM a menos.

Como comprar com desconto?

testador-cupons-checando

Você pode utilizar a nova extensão do Tecnoblog para economizar alguns caraminguás na hora de trocar de aparelho. Ela tem um módulo Testador de Cupons que busca e aplica o maior desconto disponível na internet no seu carrinho de compras. É tudo automático, então qualquer um consegue utilizar, e é completamente grátis!

ta-caro

Outro recurso muito legal é histórico de preços. Quando você acessar a página de um smartphone, por ex, a gente já consegue te dizer se ele está com um preço legal. Esse recurso te ajuda a não cair em nenhuma "promoção", dessas que oferecem tudo pela "metade do dobro". Tenho certeza que vai ser muito útil em datas especiais, como na Black Friday.

Curtiu? Então clique aqui para instalar. ;)

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.000 mAh;
  • Câmera traseira: 16 megapixels com abertura f/2,0;
  • Câmera frontal: 8 megapixels com abertura f/2,0 e Flash LED;
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11ac, GPS, GLONASS, Bluetooth 5.0, micro-USB, rádio FM;
  • Dimensões: 153 x 71,9 x 8,3 mm;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 2 TB;
  • Memória interna: 32 GB;
  • Memória RAM: 3 GB;
  • Peso: 150 gramas;
  • Plataforma: Android 8.1 Oreo;
  • Processador: MediaTek octa-core Helio P22 de 2 GHz (MT6762);
  • GPU: PowerVR Rogue GE8320;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade, giroscópio, luminosidade, impressões digitais;
  • Tela: TFT LCD de 5,7 polegadas com resolução de 1440×720 pixels (282 ppi) e proporção 18:9.

Notas Individuais

Design
8
Tela
8
Software
8
Câmera
9
Desempenho
7
Bateria
8
Conectividade
8
Mais sobre: ,