Início » Negócios » As empresas que brasileiros mais sonham em trabalhar, segundo o LinkedIn

As empresas que brasileiros mais sonham em trabalhar, segundo o LinkedIn

Em 2019, o ranking realizado pelo LinkedIn é liderado por Itaú Unibanco, Santander e Movile

Victor Hugo Silva Por

O LinkedIn divulgou a nova edição do Top Companies, um ranking que aponta as 25 empresas em que as pessoas mais gostariam de trabalhar. No quarto ano da versão brasileira, a lista aponta que várias companhias do setores financeiro e de tecnologia estão entre as mais sonhadas por profissionais.

O Itaú Unibanco conquistou o primeiro lugar do ranking pelo segundo ano consecutivo e é seguido pelo Santander, que em 2018 ocupava a 21ª posição. A Movile, proprietária do iFood, apareceu na lista pela primeira vez e garantiu o 3º lugar.

As empresas que brasileiros mais sonham em trabalhar, segundo o LinkedIn (Foto: Flickr/thomashobbs)

No setor financeiro, estão empresas como Grupo XP, Safra, BTG Pactual e Bradesco, que não estavam no levantamento passado. A lista também apresenta as startups Nubank e Stone, que ocupavam 1º e 5º lugares, respectivamente, em 2018.

Além da Movile, o setor de tecnologia é representado por IBM, TOTVS, Oracle e Resultados Digitais. Veja as empresas que os brasileiros mais sonham em trabalhar, de acordo com o LinkedIn:

  1. Itaú Unibanco
  2. Santander
  3. Movile
  4. Grupo XP
  5. Safra
  6. Bayer
  7. Raízen
  8. IBM
  9. Oracle
  10. BTG Pactual
  11. Resultados Digitais
  12. Bradesco
  13. Vivo
  14. GPA
  15. Suzano
  16. TOTVS
  17. Johnson & Johnson
  18. Grupo HEINEKEN
  19. Stone Pagamentos
  20. GOL Linhas Aéreas Inteligentes
  21. brMalls
  22. Syngenta
  23. Nestlé
  24. Nubank
  25. AmBev

O LinkedIn afirma ter chegado à lista com base no comportamento de seus 36 milhões de usuários no Brasil. A análise é feita pela equipe editorial da plataforma, que também faz versões para México, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Reino Unido, Índia, China, Japão e Austrália.

“Nossa classificação baseia-se no que os usuários estão fazendo, e não apenas dizendo, em sua busca por uma carreira de sucesso”, explica Rafael Kato, editor-chefe do LinkedIn para a América Latina. “Dentre os fatores analisados estão o interesse na empresa, interação com os funcionários da empresa, demanda por vaga e retenção de funcionários”.

A rede social considera apenas empresas que tinham mais de 500 funcionários ao fim do período analisado, entre 1º de fevereiro de 2018 e 31 de janeiro de 2019. Além do próprio LinkedIn e de sua controladora, a Microsoft, a lista não inclui subsidiárias e agências de emprego, organizações sem fins lucrativos, agências governamentais e outras entidades públicas.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

johndoe1981

Já nos públicos os funcionários são concursados, o que deve implicar em acomodação. Fico imaginando se a cena de encontrar várias mesas desocupadas de manhã no Banco do Brasil se repete em bancos privados.

Marcos Roberto Vrielink

Meu comentário foi sobre bancos privados.
Empresas privadas, colaboradores ociosos significa prejuízo.

johndoe1981

Será que mesmo nos bancos públicos/mistos como a Caixa e o Banco do Brasil é puxado o trabalho dos bancários? Por que toda vez que vou na agência do BB, tem um monte de mesa vazia, e a fila de cliente esperando para ser atendido enorme.

Marcos Aguiar 🖕😂🖕

A generalização burra não é para o fato de tds quererem ser funcionários públicos, e sim vc afirmar q todos q são não fazem nada.

Marcos Aguiar 🖕😂🖕

Só quer trabalhar em banco quem nunca foi bancário, os caras não devem saber a merda que é.

Marcos Aguiar 🖕😂🖕

Que generalização burra.

kadu

Já trabalhei no Itaú e digo apenas uma coisa: não recomendo.

Ps.: quanta prepotência do LinkedIn achar que o seu ranking representa os brasileiros em geral. No máximo, os seus usuários (que estão longe de representar a população como um todo).

Marsupial radical

Exatamente. É uma pesquisa de engajamento do LinkedIn, apenas. Nem de longe reflete o sonho dos brasileiros. Mas né, click$...

🧙‍♂️ Mago Erudito® ᴾᴿᴱᴹᴵᵁᴹ

Tá no caminho certo. Outra dica é fazer network, sempre que puder vá a eventos, encontros e seminários da área que quer atuar. Converse com as pessoas a sua volta, pergunte na faculdade e no curso de inglês onde trabalham e o que fazem, pois isso pode abrir muitas portas para você.

Comentário Mil Grau℗

Vish, pó deixar então rsrs

tuneman

Mas é aqui em passo fundo RS

Comentário Mil Grau℗

Se não for pedir mto pode mandar essa vaga aí pra mim, pois tenho técnico em mecatrônica.

Comentário Mil Grau℗

É o que venho fazendo, "comendo" livros como o De C do Deitel, Redes do Gabriel Torres, tô pra comprar outro de engenharia de controle de sistemas e paguei um curso de inglês mto bom só pra ter no currículo e pq gosto da língua e queria mto aprendê-la.

JOSÉ AUGUSTO

Pra isso existe avaliação de desempenho. Todos os servidores são avaliados pela chefia imediata a cada 18 meses.

tuneman

Ontem apareceu uma vaga de estágio de técnico em eletrônica aqui pro pessoal do curso.... Remuneração de 600 reais...
Só que 99% que fazem o curso já estão trabalhando....a vaga vai ficar em aberto.

Exibir mais comentários