Início » Brasil » Projeto que criminaliza jogos violentos será tema de audiência pública na Alesp

Projeto que criminaliza jogos violentos será tema de audiência pública na Alesp

A audiência terá a participação do deputado federal que defende a criminalização de jogos violentos no Brasil

Por
10/04/2019 às 17h04

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) realizará, na sexta-feira (12) às 19h, o que foi chamada de mesa-redonda Pró-Gaming. Trata-se de uma audiência pública para discutir a influência dos jogos eletrônicos na formação de jovens.

O debate acontecerá em torno do projeto de lei da Câmara dos Deputados que propõe a criminalização do desenvolvimento, da importação e da distribuição no Brasil de games considerados violentos. A discussão é promovida pelo deputado estadual Tenente Coimbra (PSL).

Posse de deputados na Alesp (Foto: Governo do Estado de São Paulo – 14/03/2019)

Além dele, a mesa será formada pelo gamer e sócio da Furia Esports, Cris Guedes, e do autor do projeto de lei na Câmara, deputado federal Júnior Bozzella (PSL-SP). A audiência também terá a participação de educadores, psicológos e membros da sociedade civil.

Segundo Coimbra, o objetivo de audiência pública na Alesp é dar espaço a argumentos contrários e favoráveis à criminalização dos chamados jogos violentos.

“É fundamental mostrar para a sociedade a realidade sobre os eSports. A minha finalidade é expandir o conhecimento sobre esse esporte e, mais do que isso, sobre o setor como um todo. Mostrar, através de números e fatos, que esse é um dos segmentos que mais crescem não só no Brasil, mas no mundo”, afirma o deputado.

A discussão em torno da influência dos jogos em crianças e adolescentes voltou à tona com o massacre em uma escola de Suzano (SP), que deixou 10 mortos e 11 feridos.

Na justificativa de sua proposta, Bozzella afirma que “ao menos em parte, essa banalização da vida e da violência pela população jovem é advinda pelo convívio constante com jogos eletrônicos violentos”. O projeto foi anexado a um texto de 2009, que propõe a tipificação do crime de difusao de violência.

A iniciativa na Alesp ocorre dias após o Senado autorizar a realização de uma audiência pública para debater se games estimulam violência. A conversa foi proposta pelo senador Eduardo Girão (Pode-CE) e aprovada na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa.

A data deste debate não foi definida, mas uma enquete publicada no perfil do Senado no Twitter revela que a maioria dos usuários na rede social acredita que os jogos não influenciam o comportamento de crianças e adolescentes:

Tecnocast 110 – Jogos de ação estimulam a violência?

Vira e mexe a imprensa dá um jeito de culpar os jogos de ação por conta de algum ato de violência no mundo real. A ladainha é sempre a mesma: jovens estariam cada vez mais violentos, por culpa dos games. Dessa vez a associação foi feita pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, após o massacre de Suzano.

Mas será que existe algum fundo de verdade nesse pensamento? Os jogos de ação podem mesmo deixar os jovens mais violentos? Dá o play e vem com a gente.

Mais sobre: