Início » Negócios » Vendas globais de DVD e Blu-ray caem pela metade em cinco anos

Vendas globais de DVD e Blu-ray caem pela metade em cinco anos

DVD e Blu-ray vêm sendo deixados de lado: vendas globais despencaram de US$ 25,2 bilhões em 2014 para US$ 13,1 bi em 2018

Felipe Ventura Por

As bilheterias dos cinemas vêm aumentando seu faturamento ao redor do mundo, e a indústria do entretenimento doméstico segue crescendo graças ao streaming de séries e filmes. Enquanto isso, o DVD e o Blu-ray vêm sendo lentamente deixados de lado: suas vendas globais despencaram de US$ 25,2 bilhões em 2014 para apenas US$ 13,1 bilhões em 2018.

Foto por Diego Correa/Flickr

Essa queda de 48% no faturamento em cinco anos “reflete a mudança para opções digitais”, diz um relatório da MPAA (Motion Picture Association of America). A venda de entretenimento em mídia física sofreu queda tanto dentro quanto fora dos EUA.

Enquanto isso, os gastos com entretenimento digital — incluindo aluguel, compra e streaming — dispararam 170% no mesmo período, atingindo US$ 42,6 bilhões mundialmente em 2018. Inclusive, as assinaturas de streaming de vídeo ultrapassaram a TV a cabo pela primeira vez.

Como nota o Ars Technica, o mercado de mídia física não deve se recuperar com o lançamento do Blu-ray 8K ou outros formatos focados em qualidade de imagem e som. Nos EUA, a venda de discos Blu-ray 4K corresponde a apenas 5,3% do total, contra 57,9% do DVD — é isso mesmo o que você leu.

A Samsung foi a primeira a anunciar um player de Blu-ray UltraHD com resolução 4K. Este ano, ela deixou de produzir players de Blu-ray nos EUA; a fabricação também foi encerrada no Brasil. De acordo com a Forbes, a coreana estava cogitando lançar um modelo intermediário no mercado americano, mas o plano foi cancelado.

Eu tive um pouco de dificuldade em me lembrar a última vez que comprei um DVD. Isso faz alguns anos, quando eu estava procurando um filme que assisti na Netflix: queria tê-lo comigo mesmo se ele saísse do catálogo, e queria assistir aos extras — algo que os serviços de streaming não incluem.

Antes disso, fiz algo semelhante: comprei o box de DVD de uma série difícil de encontrar. Ela nunca foi lançada em Blu-ray, mas tanto faz, porque eu nunca tive um player compatível.

A mídia física certamente tem suas vantagens: sua série ou filme estará sempre disponível, sem depender de acordos de licenciamento como na Netflix e semelhantes; você terá acesso a conteúdo extra; e será possível desfrutar de uma qualidade maior de imagem (no caso do Blu-ray). No entanto, isso não é o bastante para convencer muitas pessoas a gastarem R$ 20 em um DVD ou R$ 40 em um Blu-ray.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabio Santos

Estou a duas semanas a trabalho nos EUA não vejo pessoas comprando mídia física kkk e eu venho muito pra cá.
Meus primos mesmo nem lembram a última vez que compraram um dvd ou que seja.

Celio Azevedo

No primeiro mundo, as pessoas ainda compram.

Celio Azevedo

Tristeza o Brasil ser um país de terceiro mundo e nunca ter tido uma indústria fonográfica decente como na Europa e nos EUA.

Epic Mac Fadden - ODZ -

Se você definir a resolução do PC pra 2K, tá certo. O que não suportaria seria uma resolução maior - imagem deformada, fora de quadro ou não-funcional.

Realmente no final do ano dá pra "ter sorte" quanto a preços.

Epic Mac Fadden - ODZ -

Já vi disso também, mas no BluRay só consegui em exFAT. Na TV da minha sogra (Samsung) que tem um ano funciona um HD em NTFS também.

Leonardo

Eu tenho uma TV Samsung de 2013, nem smart é, porém lê flash drives formatados em NTFS numa boa.

Eliezer

Blu-Ray é tão atoa quanto o 3D.....

Flavio Toledo

Esqueci desse detalhe propios fabricantes lançando produtos como soundbar sem suporte midia fisica impulsiona mais ainda essa situaçao.

Flavio Toledo

Tem muitos anos nao gasto dinheiro com dvds desde passei usar HD externo e a ultima midia fisica comprei foi pokemon soul silver ha quase 2 anos. Imagino enquanto nao dar prejuizo filmes de midia fisica ira sobreviver unica coisa nao entra na minha quem compra filmes DVD qualidade tao ruim para padroes atual.

johndoe1981

Osso é a qualidade do vídeo em streaming, com bitrate baixíssimo. Você pega um filme em "4K" do Netflix e a qualidade é pior que o mesmo em 1080p de Blu-ray. Streaming não consegue superar nem mesmo DVD.

Cristina Nascimento

Mas se o filme for 4k e eu puxa a imagem do pc com hdmi pra tv, a tv vai exibir mesmo ela sendo 2k?
Estou entre Samsung e LG pra comprar. Tou ansiosa, mas seria mais lucro esperar a black friday, né?

Epic Mac Fadden - ODZ -

Existe uma solução mais fácil: um belo cabo HDMI de um computador pra TV. O cabo ao menos teria de ser o HDMI 2.1.

Aí pra escolher a TV também é meio chato (pois sou muito). A qualidade do painel, HDR, SE o aparelho suportar HDR, ângulo de visão. Mas continuo com a premissa de usar um computador para tal fim.

Cristina Nascimento

Pois é, keria comprar uma tv 4k pois a qualidade é superior, a minha é 2k. Um filme em 4k tá nas casas dos 20gb, 2k tá em 9gb, e bluray tá em uns 40gb, imagina só a qualidade, fora os extras q vem no filme. Eu tenho o Nero, mas não sei como organizar os arquivos e quais pastas criar no disco.

Epic Mac Fadden - ODZ -

Uso pra backup, gravo como arquivos.

Autorar um BluRay é um pouco mais complicado, demanda um software de autoração (como o DVD Architect ou o Encore) porém outros programas devam fazer algo similar, como o Power2Go (é o que uso pra fazer backups), que tem um sistema de verificação de disco após a gravação muito bom.

Mas se for pra assistir numa TV, prefira HDs externos (formatados em exFAT) e arquivos em MP4 h.264 (codec). Alguns aparelhos lêem o formato Matroska (MKV) nativamente, mas aí o arquivo tem de ser menor do que 4.3GB (tamanho máximo pra formatação exFAT).

Se for gravar pra assistir, em arquivos já basta, pois o BluRay player lê arquivos também.

Cristina Nascimento

HD externo é a melhor solução.

Exibir mais comentários