Início » Brasil » Governo vai unificar portais em domínio gov.br e centralizar aplicativos

Governo vai unificar portais em domínio gov.br e centralizar aplicativos

Por exemplo, endereço do Min. da Economia seria migrado de economia.gov.br para gov.br/economia; promessa é reduzir custos

Por
19 semanas atrás

Um decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro estabelece que todos os canais online do governo serão centralizados no domínio gov.br: por exemplo, o endereço do Ministério da Economia seria migrado de economia.gov.br para gov.br/economia. A publicação de aplicativos na App Store e Google Play também será centralizada. A promessa é de reduzir custos.

Bandeira do Brasil

Luiz Felipe Monteiro, secretário de governo digital, diz ao Convergência Digital que atualmente existem “mais de 1,3 mil sites gov.br, mais de 100 aplicativos de governo e já mais de uma dezena de chatbots”. A ideia é realizar uma “consolidação de canais tendo como foco a estratégia de um governo único para um cidadão único”. A Casa Civil estima que os custos de comunicação digital cairão de R$ 140 milhões para 30 milhões ao ano.

De acordo com o decreto, será obrigatório usar o domínio raiz “gov.br” acrescido de “/” nos novos endereços. Ou seja, se você quiser acessar o site da Anatel, terá que digitar gov.br/anatel em vez de anatel.gov.br. Todos os órgãos da administração pública federal terão que seguir esse modelo até o final de 2020.

A partir de julho, será proibido registrar novos domínios terminando em “.gov.br”. E até dezembro de 2020, todos os órgãos do governo deverão migrar seus respectivos sites para o domínio gov.br. Os endereços antigos podem ser desativados, dando erro 404, ou podem redirecionar para o portal único.

Secretaria vai centralizar publicação de apps do governo

Quanto aos aplicativos de celular, o registro em lojas como App Store e Google Play ficará a cargo da Secretaria de Governo Digital, que faz parte da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, subordinada ao Ministério da Economia.

Ou seja, a publicação de aplicativos será centralizada em uma só entidade. Atualmente, cada área do governo federal pode colocar seus apps nas lojas. Pior: eles são pouco utilizados, e a média de downloads é de 60 mil. Monteiro diz que serão mantidos apenas os apps com mais usuários.

O objetivo do portal gov.br é unificar os canais digitais “dos órgãos e das entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo federal”. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União.