Início » Gadgets » Como melhorar o sinal do Wi-Fi?

Como melhorar o sinal do Wi-Fi?

Ter problemas com área de cobertura é normal em um roteador tradicional; veja o que fazer para melhorar

Por
22 semanas atrás

A internet sem fio está deixando a desejar? Se a banda larga não é o problema, o gargalo pode estar no seu roteador. Algumas tecnologias novas como Wi-Fi Mesh e MU-MIMO resolvem problemas como alcance e uso da mesma rede por múltiplos dispositivos. Mas, se você ainda tem um roteador comum, algumas dicas vão ajudá-lo.

Conversamos com Thiago Luiz Teixeira, marketing de produto de Redes da Intelbras, e Lucas Ishii, coordenador de treinamento da D-Link, que tiraram dúvidas sobre como melhorar o sinal do Wi-Fi na sua casa, mesmo com um roteador mais simples.

access-blurred-background-close-up-pexel-router

O local ideal para posicionar um roteador

Ter problemas com área de cobertura é normal com um roteador tradicional. O sinal é propagado pelas antenas em todas as direções e, quanto mais ao centro, na planta da casa, a área de cobertura (informada pelo fabricante) será melhor aproveitada.

“O recomendado é que o roteador seja sempre posicionado no centro dos ambientes”, explica Teixeira. O sinal tende a chegar em toda a casa. Não é ideal, por exemplo, ter um roteador em um dos quartos mais distantes enquanto poderia tê-lo na sua sala.

É importante também dar preferência às posições mais altas. Como, por exemplo, em cima de um móvel e sem obstruções ao redor do aparelho. “Escondê-lo” debaixo da mesa do computador, atrás da televisão ou de estantes na sala não é a melhor opção. Não por acaso, em empresas e lojas, é comum vê-los pendurados no meio do teto.

“Sempre posicione qualquer equipamento Wi-Fi o mais alto possível. Locais altos possuem menos barreiras se comparados aos baixos, já que normalmente objetos como sofás, mesas, cadeiras, televisões e aquários costumam ficar na parte de baixo”, conta Ishii.

Por que fazer isso?

Em geral, os roteadores mais simples possuem antenas omnidirecionais, o que quer dizer que enviam sinal em um ângulo de 360º ao redor do equipamento. Se você posicioná-los no canto, metade do sinal do equipamento se perde na rua ou para os vizinhos.

Beamforming NetGear

“A dica vale mesmo para roteadores com beamforming, pois essa tecnologia direciona o sinal para onde o seu dispositivo (celular ou PC) está. Porém, você teria ainda mais cobertura caso o equipamento estivesse centralizado”, alerta o executivo da Intelbras.

Estar no topo também pode não ser suficiente. Mesmo um roteador potente, com um monte de antenas de alto alcance, pode não levar o sinal até o seu segundo andar.

Obstáculos que podem prejudicar o sinal do Wi-Fi

Os inimigos do Wi-Fi são muitos, mas podemos sinalizar alguns que presentes em muitas casas. São eles: espelhos, aquários, paredes e vigas muito espessas e estruturas com malha ou armação metálica que impedem a livre propagação do sinal.

“Esses elementos são conhecidos por atrapalhar bastante o sinal Wi-Fi. A água, por exemplo, não deixa o sinal passar”, conta Ishii. Mas, não é só isso. É preciso evitar, também outros aparelhos eletrônicos, difícil se você mora em um apartamento.

“Outros equipamentos que trabalham ou emitem ruídos na frequência 2.4GHz, como microondas, babás eletrônicas, telefones sem fio analógicos, dispositivos bluetooth e etc., podem também interferir na performance do roteador. Em áreas com densidade maior de residências, ocorre também a interferência pela sobreposição de redes próximas, gerando alta ocupação dos canais disponíveis e consequente perda de desempenho”, diz Teixeira.

Sobre telefones sem fio, quase sempre próximos do roteador, Ishii detalha que, hoje em dia, os roteadores AC já não sofrem interferência em sua frequência de 5Ghz, mas os aparelhos também trabalham na frequência de 2.4Ghz que costuma sofrer muita interferência por telefones sem fio. Troque a frequência ou separe essa dupla.

Você vai encontrar o recurso dual band, que opera simultaneamente nas frequências 2.4GHz e 5GHz, em roteadores mais novos. Eles também dispõem de tecnologias como a 802.11ac, que permite que maiores velocidades sejam alcançadas nas redes wireless.

Ao associar isso a outras técnicas como beamforming para direcionamento inteligente do sinal, você já terá melhor experiência de navegação, com estabilidade e velocidade.

Roteadores já trazem tecnologias novas e mais eficazes

Estão se popularizando no mercado os roteadores com tecnologia mesh (ou malha, em tradução livre para o português), que ampliam a área de cobertura e agregam recursos como o fast roaming, que permite aos dispositivos se deslocarem mas se mantenham conectados sempre ao nó com melhor velocidade de conexão na malha da sua rede.

Intelbras Twibi

Intelbras, D-Link, TP-Link e outras fabricantes já trabalham com Wi-Fi Mesh. Os kits são compostos com duas, três peças ou mais, que formam os “nós” que vão distribuir o sinal pela sua casa. A diferença para os repetidores de sinal é que eles criam várias redes diferentes e cortam a velocidade pela metade à medida que você instala mais.

Um sistema Wi-Fi Mesh, proporciona sinal forte e constante em cada milímetro do imóvel e são capazes de conectar dezenas de dispositivos ao mesmo tempo como celulares, smart TVs, notebooks, videogames e outros dispositivos IoT em casa.

Alcance não é tudo

O especialista da D-Link encerra apontando que alcance não é tudo. “Muitas vezes procuramos equipamentos que nos trarão apenas alcance, mas normalmente eles serão capazes de sustentar o sinal Wi-Fi em meu quarto, porém não conseguirei assistir a um filme sequer [em alta resolução] por conta da baixa taxa de transferência”, alertou.

O ideal, segundo Ishii, é procurar soluções que entreguem alcance aliado com performance suficiente para o seu tipo de uso. Por isso, a importância de seguir as recomendações do fabricante na hora de instalar os produtos e suas especificações.