Início » Negócios » Netshoes é vendida para Magazine Luiza por US$ 62 milhões após anos de prejuízo

Netshoes é vendida para Magazine Luiza por US$ 62 milhões após anos de prejuízo

Netshoes vai virar subsidiária da Magazine Luiza; B2W (Submarino e Americanas.com) e Mercado Livre cogitavam aquisição

Felipe Ventura Por

A Magazine Luiza fechou acordo para comprar a Netshoes, uma das maiores varejistas de artigos esportivos no Brasil, por US$ 62 milhões. A empresa vinha sofrendo prejuízos há anos, e suas ações despencaram 85% desde a estreia na bolsa de valores de Nova York. A B2W, que controla Submarino e Americanas.com, estava interessada na aquisição, assim como o Mercado Livre.

A aquisição ainda requer o aval dos acionistas e do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). Se aprovada, a loja se tornará uma subsidiária da Magazine Luiza.

A Netshoes tem sede registrada nas Ilhas Cayman, por isso o valor do negócio foi anunciado em dólares. O pagamento de US$ 2 por ação será feito em dinheiro; as ações fecharam a última segunda-feira (29) em US$ 2,65.

Os prejuízos da Netshoes não paravam de se acumular. Foram R$ 152 milhões em perdas registradas em 2016, mais R$ 170 milhões em 2017 e R$ 332 milhões no ano passado. A empresa também estava bastante endividada, terminando 2018 com dívida total de R$ 228,9 milhões.

Marcio Kumruian, presidente da Netshoes, disse em mensagem a acionistas que “resultados financeiros e o aumento da pressão de fluxo de caixa levou a uma reavaliação de perspectivas e resultou na decisão de acordo de fusão”. Segundo o Valor, a B2W e o Mercado Livre também queriam comprar a empresa, mas a Magazine Luiza tinha o direito de exclusividade nas negociações.

Netshoes tem 4,6% do mercado de artigos esportivos

A Netshoes abriu capital há dois anos, mas suas ações recuaram 85,3% desde o IPO. Analistas avaliam que ela errou em se expandir para outros países da América Latina. Ela deixou de atuar no México em agosto do ano passado, e se desfez de suas operações na Argentina este mês.

A história da Netshoes começou em 2000, com a inauguração de uma loja física em São Paulo; a operação acabou se tornando exclusivamente online. Ela detém 4,6% do mercado brasileiro de artigos esportivos, considerando varejo físico e online; a Centauro é a maior do setor com 5,4%. A empresa também é dona da Zattini, que vende roupas, calçados e acessórios.

No final de 2017 e início de 2018, foram vazadas informações sobre 2 milhões de clientes da Netshoes, incluindo nome completo, e-mail, CPF, data de nascimento e produtos comprados. O MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) disse na época que este foi “um dos maiores incidentes de segurança registrados no Brasil”. A empresa fez acordo para evitar uma ação civil pública, pagando R$ 500 mil em indenização por danos morais.

Com informações: Folha, Exame, Valor.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Celestino

Custo operacional, encargos etc... Infelizmente, por mais que tenha ate uma porcentagem "boa" de mercado, não paga o quanto ela gasta para manter toda a logística em pé.

Paçaro

Aí você tem que ficar correndo atrás até pagarem. O que é um saco.

Raphael

Ué, não tem algum prazo pra te pagarem? Não sei como funciona depois da causa ganha (tô com uma contra a c&a pra sair sentença).

Mickão

Não cagando nos preços e promos (que na maioria das vezes são muito bons) e dando a opção de poder retirar as coisas numa loja da Magazine Luiza, mandem bala.

johndoe1981

Pior que a Ricardo Eletro unificou as lojas do grupo Máquina de Vendas (Insinuante, Eletroshopping e CityLar) e não sei foi coincidência, bateu a crise e acabaram-se as promoções além do frete subir bastante.

johndoe1981

A Lu lembra a Ariane daquele sim "Date Ariane" kkkkk

johndoe1981

A Magalu é a única loja online que ainda valoriza o cliente do Nordeste, oferecendo frete grátis ou barato para capitais em produtos vendidos diretamente por ela, ou oferecendo ao menos retirada grátis na loja física. 8 das minhas 10 últimas compras online foram lá por esse motivo.

Enquanto isso, B2W e Cnova parecem não dar a mínima pra quem mora fora do Sul e Sudeste. É muito raro alguma loja Cnova oferecer retirada grátis em loja aqui em Fortaleza. A Americanas mesmo tem a pachorra de COBRAR a retirada do produto em loja física. B2W também está infestada de marketplace, que eu evito que nem a praga.

Felipe Xavier

Uso bastante, inclusive autorizando a retirada por outra pessoa e sempre é muito rápido/prático.

Paçaro

Lixo de empresa.

Anunciaram um tênis por um valor baixo (mas aceitável) não entregaram. Não deram notícia nenhuma. Nem cancelaram a compra, nem cobraram. Ficou no limbo.

Liguei diversas vezes pedindo notícias e sempre enrolavam. Aí meti processo ano passado. Ganhei e tinham que me pagar 1000 reais em danos morais. E os FDP não pagam.

Agora vendo que estavam devendo até as cuecas, até que meio que dá pra entender porque.

Wellington Gabriel de Borba

Não consigo entender como o uma empresa dessas da prejuízo.

Arthur V.*

A questão é que é mais eficiente financeiramente e até pela questão de marketing manter uma marca só do que três marcas com pouca a nenhuma diferenciação uma da outra.
Pode ter mais de uma marca? Pode, desde que haja diferenciação clara entre elas, seja em seleção, preço ou serviços. O único diferencial que existe é que o Shoptime tem um canal de TV e as outras duas marcas, não.

Drax

Poderiam unificar no submarino e deixar a americanas como loja física, ou unificar tudo nas americanas (Como a magazine).

Drax

Nunca retirei na magazine, mas já nas casas bahia, realmente é muito chato e burocrático. Se na magazine for superior é um ponto bem positivo.

Vegeta humilde

Falsa ilusão de concorrência pra quem é mais desligado

Vegeta humilde

O atendimento pra retirada deles é maravilhoso, nem se compara à burocracia das casas bahia

Exibir mais comentários