Início » Negócios » Google tem vendas fracas do Pixel e prepara celulares mais baratos

Google tem vendas fracas do Pixel e prepara celulares mais baratos

A expectativa é que os intermediários Pixel 3a e Pixel 3a XL ajudem o Google a vender mais smartphones

Por
24 semanas atrás

A Google I/O, conferência anual para desenvolvedores, acontecerá entre 7 e 9 de maio e deverá servir para o Google lançar o Pixel 3a e o Pixel 3a XL. Os modelos intermediários são a esperança da empresa por um crecimento nas vendas de celulares.

Em conferência realizada com jornalistas nesta terça-feira (30), executivos do Google afirmaram que a concorrência acirrada entre smartphones mais caros levou a números decepcionantes nos primeiros três meses de 2019.

Google admite dificuldades com Pixel e mira em modelos mais baratos

A diretora financeira da Alphabet, Ruth Porat, afirmou que o Pixel vendeu menos do que no início de 2018. Segundo a executiva, o desempenho foi causado por “algumas das recentes pressões no mercado de smartphones premium”.

Ela não especificou quais seriam as pressões. No entanto, parece ter se referido a lançamentos recentes de empresas como Apple e Samsung, além da queda na demanda por celulares, citada nos balanços de outras empresas.

A receita do Google no primeiro trimestre ficou em US$ 36,3 bilhões. A expectativa, segundo o Yahoo Finance, era de que ela ficasse US$ 37,3 bilhões. A empresa cresceu 17% em relação ao mesmo período de 2018. De janeiro a março do ano passado, porém, a alta frente ao mesmo período de 2017 foi de 26%.

Durante a conferência, o CEO do Google, Sundar Pichai, foi questionado a respeito do desempenho na divisão de hardware. A expectativa é de que a companhia consiga melhorar em setores como este à medida em que a divisão de anúncios se aproxima do seu limite.

“Continuo entusiasmado com a chegada do 5G e dos primeiros telefones dobráveis, que o Android desempenha um papel importante na condução”, afirmou.

O Google não detalhou os números da divisão de celulares em seu balanço. A área é contabilizada junto a dispositivos como Chromecast, Google Home, notebooks e produtos da Nest em “outras receitas”. Ela também envolve números da Play Store, de serviços de assinatura do YouTube e do Google Cloud.

Segundo o Google, o segmento passou de US$ 4,3 bilhões, no primeiro trimestre de 2018, para US$ 5,4 bilhões, no mesmo período de 2019. Ao mesmo tempo, a receita com anúncios passou de US$ 26,6 bilhões para US$ 30,7 bilhões.

Com informações: Alphabet, The Verge, TechCrunch.

Mais sobre: , ,