Início » Negócios » Facebook prepara criptomoeda para compras em sites e na rede social

Facebook prepara criptomoeda para compras em sites e na rede social

Facebook terá criptomoeda para transferências de dinheiro dentro do WhatsApp e para compras em lojas online

Felipe Ventura Por
28 semanas atrás

Fontes confiáveis dizem que o Facebook está preparando uma criptomoeda para usuários transferirem dinheiro dentro do WhatsApp. Agora, o Wall Street Journal afirma que a rede social tem ambições ainda maiores: expandir sua moeda digital para compras em dezenas de lojas online, com ajuda da Visa e Mastercard.

Facebook

Segundo o Wall Street Journal, o Facebook está preparando uma criptomoeda que pode ser enviada de um usuário para o outro, e também usada para fazer compras dentro da rede social e na web em geral. A iniciativa, chamada Projeto Libra, estaria em andamento há mais de um ano.

A empresa vem trabalhando em uma opção de pagamento que será oferecida em outros sites, dizem as fontes do WSJ. O cliente escolheria pagar com os tokens do Facebook no carrinho de uma loja online, por exemplo. Seria algo semelhante ao login com Facebook em outros sites.

Para convencer varejistas a adotarem sua moeda, o Facebook estaria planejando eliminar taxas de processamento; Visa e Mastercard cobram cerca de 2% a 3% em cada transação feita com cartão de crédito. Além disso, há uma ideia de integrar os anúncios na rede social com o sistema de pagamento: o usuário clicaria na propaganda de um produto e teria a opção de usar seus tokens do Facebook.

A empresa também discute uma proposta de pagar frações dessa criptomoeda aos usuários por visualizar anúncios, interagir com posts ou realizar compras dentro da plataforma. Seria algo parecido com um programa de fidelidade.

Facebook quer arrecadar US$ 1 bilhão para criptomoeda

No entanto, esse projeto deve demorar um pouco para ser lançado. O Facebook planeja criar uma "stablecoin", cujo valor é atrelado ao de moedas convencionais — como o dólar ou o euro — para evitar flutuações drásticas. (A volatilidade é um dos fatores que impediu a adoção ampla do bitcoin em pagamentos.)

Para criar uma stablecoin, o Facebook estaria buscando investimentos totais de cerca de US$ 1 bilhão para atrelar o valor da criptomoeda. A rede social teria conversado com instituições financeiras incluindo Visa, Mastercard e a processadora de pagamentos First Data.

De acordo com o New York Times, o Facebook entrou em contato com casas de câmbio para oferecer sua criptomoeda, e reuniu 50 engenheiros em sua equipe de blockchain para tirar o projeto do papel. A divisão é comandada por David Marcus, ex-CEO do PayPal. A moeda deve ser lançada no primeiro semestre de 2020.