Início » Negócios » Mercado Livre sai do prejuízo após cobrar taxa fixa dos vendedores

Mercado Livre sai do prejuízo após cobrar taxa fixa dos vendedores

Vendedores no Mercado Livre pagam taxa fixa de R$ 5 para pedidos abaixo de R$ 120; frete grátis é aplicado com menos frequência

Felipe Ventura Por
28 semanas atrás

O Mercado Livre foi uma empresa lucrativa por muitos anos, mas teve prejuízo milionário em 2018 e tomou algumas medidas para reverter isso: vendedores passaram a arcar com uma taxa fixa de R$ 5 para pedidos abaixo de R$ 120; anúncios de produtos abaixo de R$ 6 foram removidos; e o frete grátis passou a ser aplicado com menos frequência.

As medidas parecem estar surtindo efeito: o Mercado Livre teve lucro líquido de US$ 15,4 milhões no primeiro trimestre de 2019, contra o prejuízo de US$ 25,4 milhões no mesmo período do ano passado. O faturamento em dólar aumentou quase 50% nesse período, considerando todas as atividades da empresa (marketplace e Mercado Pago).

Só a receita do marketplace disparou 80% em um ano. O número de vendedores caiu para 4,2 milhões no trimestre (eram 5 milhões no mesmo período do ano passado), mas o número de compradores subiu para 18,8 milhões (antes eram 17 milhões).

Desde julho, o Mercado Livre cobra uma taxa de R$ 5 por unidade em pedidos abaixo de R$ 120, independente da reputação do vendedor. Isso se junta à comissão de 11% no caso de um anúncio Clássico, e 16% em anúncios Premium. Além disso, produtos abaixo de R$ 6 foram removidos da plataforma.

O Mercado Livre também passou a oferecer frete grátis com menos frequência. O resultado financeiro mostra que os custos com envio gratuito no Brasil diminuíram quase 40% no trimestre, chegando a US$ 56,2 milhões. "Revisamos nossa política de dar frete grátis indiscriminado", diz Stelleo Tolda, vice-presidente executivo do Mercado Livre para América Latina, à Reuters.

Mercado Pago enfrenta concorrência das maquininhas

O Mercado Pago também segue firme, com crescimento de 22,4% em relação ao ano anterior na receita em dólar. Para Tolda, a fintech está pronta para enfrentar a concorrência mais acirrada no mercado brasileiro de pagamentos.

Recentemente, a Rede zerou a taxa de antecipação de recebíveis para lojistas que recebem pagamentos à vista no cartão de crédito. Isso significa que a maquininha do Itaú Unibanco vai depositar o dinheiro em até dois dias sem cobrar a mais por isso. A medida foi tão agressiva que derrubou as ações de concorrentes como Cielo e Stone; e motivou uma investigação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

O Mercado Pago permite receber o dinheiro no mesmo dia com custo de 4,99%; se o vendedor esperar 14 dias, a taxa cai para 4,49%. Esses valores podem ser reduzidos no futuro: "a capitalização nos permite ser mais agressivos", disse Tolda. A fintech recebeu em março um investimento de US$ 750 milhões do PayPal.

Com informações: Mercado Livre, Reuters.