Início » Internet » Microsoft Edge terá modo IE, Coleções e bloqueio de rastreamento na web

Microsoft Edge terá modo IE, Coleções e bloqueio de rastreamento na web

Microsoft Edge com base do Google Chrome terá recurso Coleções e forma nativa de evitar rastreamento na web

Por
06/05/2019 às 15h57

A Microsoft está realizando a conferência Build para desenvolvedores e revelou diversas novidades para o futuro do Edge, agora que ele tem a mesma base do Google Chrome: o navegador terá um recurso Coleções para reunir anotações da web; trará uma forma nativa de evitar rastreamento; e ganhará um modo Internet Explorer voltado para empresas.

As Coleções talvez sejam a novidade mais interessante. Achou uma imagem interessante na web? Arraste-a para a barra lateral. Encontrou um texto interessante? Selecione-o e arraste para o lado. O Edge vai guardar a fonte de todas as informações que você reunir, permitindo exportá-la para o Excel ou Word com citações e tudo.

O vídeo de demonstração mostra um dos possíveis casos: suponha que você está pesquisando preços para uma câmera. O Edge permite colecionar links de diferentes lojas em uma só lista, para então exportá-la ao Excel com colunas para nome, preço, marca e avaliação média.

Microsoft Edge vai bloquear rastreadores (não anúncios)

O Edge também trará algumas melhorias de privacidade para bloquear rastreadores na web: são cookies e outros elementos que registram sua atividade para personalizar anúncios. Haverá três opções: “Sem Restrição”, que bloqueia apenas trackers maliciosos; “Equilibrado”, que barra rastreadores em sites que você não havia visitado antes; e “Restrito”, que é mais agressivo e pode quebrar funcionalidades de alguns sites.

A Microsoft explica ao The Verge que o recurso é “específico para rastreadores de anúncios”: ou seja, não se trata de um bloqueador completo de anúncios como o AdBlock. Ele é mais semelhante ao Ghostery (que acaba barrando algumas propagandas).

Ah, e como vimos antes, o Edge terá um modo Internet Explorer: ele rodará alguns sites legados usando a engine do IE, mas sem abrir outra janela. A página permanece contida em uma aba do Edge, mas há um botão na barra de endereços para indicar que o modo IE está ativo.

Infelizmente, ainda existem sistemas web internos de empresas que só funcionam direito no Internet Explorer. Se a Microsoft quiser que o Edge seja bem-sucedido, precisa atender às necessidades dos clientes corporativos.

Tudo isso estará disponível inicialmente apenas no Windows 10, mas a Microsoft promete versões para Windows 7, Windows 8.1 e macOS. Os aplicativos para iOS e Android também serão atualizados com essas novidades. A empresa não deu prazo para lançar esses recursos; resta pressupor que será “em breve”.

O Microsoft Edge está sendo testado agora mesmo oferecendo suporte às extensões do Chrome, mais opções de personalização na nova guia, e interface com algumas mudanças em relação ao padrão do Google.

Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.