Início » Celular » Xiaomi Mi 9 chega ao Brasil por R$ 3.999; Redmi 7 e Go também são anunciados

Xiaomi Mi 9 chega ao Brasil por R$ 3.999; Redmi 7 e Go também são anunciados

Xiaomi Redmi 7, Redmi Note 7, Mi 8 Lite e outros têm importação, distribuição e pós-venda por meio da empresa brasileira DL

Paulo Higa Por

Mais celulares da Xiaomi estão sendo apresentados oficialmente no Brasil nesta terça-feira (21). Os modelos Mi 9, Redmi 7, Redmi Note 7, Redmi Go e Mi 8 Lite são importados pela empresa brasileira DL, responsável pela garantia e assistência técnica dos aparelhos da fabricante chinesa no país.

Os produtos da Xiaomi serão vendidos a partir de 1º de junho em uma loja física no Shopping Ibirapuera, em São Paulo. Eles também poderão ser encontrados em pontos físicos de parceiros como Magazine Luiza, Ricardo Eletro e Pernambucanas, além do site oficial da Xiaomi.

Com exceção do Mi 9 e do Redmi Note 7, ainda não há preços divulgados para os celulares no Brasil. A DL informa que está trabalhando com os varejistas para que os valores sejam consistentes em todos os canais de venda.

Xiaomi Mi 9

Xiaomi Mi 9

Xiaomi Mi 9

O Xiaomi Mi 9 é o flagship da empresa: ele tem processador Snapdragon 855, leitor de digitais sob a tela e bateria de 3.300 mAh com suporte a recarga rápida de 27 watts. Sua câmera tripla traz um sensor principal de 48 megapixels; ela obteve nota maior que o iPhone XS Max e o Galaxy Note 9 no DxOMark.

Ele possui tela AMOLED de 6,39 polegadas com resolução Full HD+, notch em forma de gota, aproveitamento de 90,7% da parte frontal e brilho que chega a 600 nits. Há um modo Game Turbo para melhorar o desempenho dos jogos “alocando recursos de forma inteligente para cenas complexas”.

No Brasil, o aparelho tem preço sugerido de R$ 3.999 com 6 GB de RAM e 64 GB de armazenamento. A versão com 128 GB de espaço também será lançada no Brasil, ainda sem valor definido.

Redmi Note 7 e Redmi 7

Por R$ 1.699, o destaque do Redmi Note 7 fica para sua câmera dupla com sensor de 48 megapixels. Em condições com pouca luz, ele combina quatro pixels próximos para funcionarem como um só, aumentando a quantidade de luz absorvida e capturando uma foto de 12 megapixels. Temos também uma tela Full HD+ de 6,3 polegadas, Snapdragon 660 e bateria de 4.000 mAh.

Redmi Note 7

Por sua vez, o Redmi 7 traz especificações mais modestas. Ele possui câmera traseira dupla com sensor principal de 12 megapixels, tela de 6,26 polegadas com resolução HD+ e processador Snapdragon 632. A bateria também é de 4.000 mAh, mas é recarregada por meio de uma porta microUSB, em vez da USB-C do irmão mais caro.

Xiaomi Redmi 7

Redmi Go

O Redmi Go é o modelo mais barato da Xiaomi à venda no Brasil. Ele roda Android Go 8.1, uma versão mais leve do sistema operacional do Google com menor consumo de RAM e recursos para economizar dados móveis.

Redmi Go

Redmi Go

A tela de 5 polegadas do Redmi Go tem resolução de 1280×720 pixels e fica entre as bordas generosas do aparelho — há até botões de toque capacitivos. A ficha técnica inclui ainda um processador Snapdragon 425, 1 GB de RAM, bateria de 3.000 mAh e câmera traseira única de 8 megapixels.

Mi 8 Lite

O Mi 8 Lite é uma opção mais acessível em relação ao Xiaomi Mi 8 “normal”, um topo de linha que não chegou a ser lançado no Brasil. Ele possui tela IPS LCD de 6,26 polegadas (2280×1080 pixels), processador Snapdragon 660 e bateria de 3.350 mAh com recarga rápida.

Xiaomi Mi 8 Lite

Xiaomi Mi 8 Lite

A câmera traseira do Mi 8 Lite é dupla, com sensor principal de 12 megapixels e lente com abertura f/1,9; um sensor secundário de 5 megapixels detecta profundidade para fazer retratos com desfoque de fundo. Na frente, temos uma câmera de 24 megapixels.

Redmi Note 6 Pro e Pocophone F1 já são vendidos

Os modelos Redmi Note 6 Pro e Pocophone F1 foram lançados no Brasil em março, também pela DL, com distribuição mais limitada: eles só podiam ser encontrados em lojas físicas da Ricardo Eletro. A importação oficial elevou significativamente os preços: o Pocophone F1 com 6 GB de RAM, 128 GB de espaço e processador Snapdragon 845, que custa cerca de US$ 300 no exterior, saiu por R$ 2.999 na época.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabio Santos

Pior que vai vender exemplo o Brasileiro prefere parcelar em 24 vezes sem juros no cartao na famosa parcela que cabe no seu bolso a juntar no mais pífio investimento e ter o poder de compra avista por exemplo como citam pagar menos numa santa efigênia da vida.

Daniel

Eu já tive essa visão um dia, motivado pelos fanboys da (coloque a marca de preferencia aqui) que se tal empresa entrar melhoraria, doce ilusão, QUALQUER empresa que entrar, obtendo lucro ou não no modelo antigo, partirá para o modelo padrão por aqui: pode cobrar quanto quiser que eles pagam... Talvez até haja algum unicórnio branco que não faça isso, mas via de regra é assim.

Leo Otávio

Por mim ela não teria voltado. Prefiro continuar importando

Leo Otávio

Continuarei importando

Maicon Bruisma

Do passado poderia ser gente ignorante, mas né, nada é perfeito

Cassio Neves

Agora que tem que pagar IMPOSTOS, acabou o super preço né?
A competitividade da Xiaomi está atrelada a esperteza em fabricar e vender na China, com mao de obra ''escrava''. E os xiaominions achando que é porque a empresa é 'diferente das outras'

hahahahahaha

Franco Luiz

Mas eu n me refiro a vc , meu post ta bem direcionado é para os fanboy da marca que em todo lugar pedia xiaomi no brasil falando que ia acabar com os aparelhos da samsung motorola e afins ... que teria preço melhor que importado..

Estou apenas aguardando essa galera o pior é que mesmo vendendo no brasil nao tem garantia global ou seja importado continua sem garantia

Thiago Silva

Tenho que concordar com seu comentário.

johndoe1981

Haters da Xiaomi estão mais chatos que os fanboys da marca.

johndoe1981

Vish! Quem se interessar, o que acho difícil com esses preços, vai ter que pesquisar bem antes.

Maicon Bruisma

Então teu mundo real é tão limitado quanto você. Até que combina

Jorge Makenzzi

Esse pessoal da DL é muito corajoso ou muito burro, porque a Xiaomi faz sucesso aqui por causa do preço de importação / lojas trazem do paraguai. Ou seja vão concorrer com lojas que vendem muito abaixo do preço deles no ML e marketplaces. Acho que isso não dar muito certo.

Whebert Souza

E a galera reclama dos preços da Asus

Daniel

Eu não pedi nada, mas é sempre bom que tenha mais concorrência, (ainda que seja vendendo a 4k, tem muita gente rica no país que não liga de pagar esse valor). Mas porque está tão preocupado com a empresa? Tem pelo menos algumas ações dela para estar com "dó" dela perder tempo e dinheiro. Afinal não é como se ela fosse voltar porque sentiu saudades dos brasileiros. Se voltou é porque considerou um mercado atraente e lucrativo.

Franco Luiz

governo malvadao hur dur , morte ao governo imposto é roubo hur dur.....

Ai a asus que muita gente xinga tras aparelho com snap da linha 800 por 2500 como foi o 5Z.......... mas o malvadao é o governo as empresas sao santinhas a xiaomi trouxe a 4k pq imposto é roubo .....

Exibir mais comentários