Início » Telecomunicações » Google ativa cabo submarino de 9.200 km e capacidade de 36 Tb/s

Google ativa cabo submarino de 9.200 km e capacidade de 36 Tb/s

Cabo submarino Indigo conecta Austrália à Singapura e tem capacidade de 36 Tb/s para ser usada pelo Google Cloud

Por
20 semanas atrás

O Google está inaugurando mais um cabo submarino: o Indigo conecta a Austrália à Singapura e tem capacidade de 36 Tb/s (terabits por segundo) para reforçar a presença do Google Cloud na região Ásia-Pacífico. A empresa investiu US$ 47 bilhões nos últimos três anos para melhorar sua infraestrutura de rede, incluindo cabos que conectam o Brasil a outros países.

Foto por Global Marine Photos/Flickr

O cabo submarino Indigo começou a ser construído em 2018 e se estende por cerca de 9.200 km, ligando as cidades de Sydney e Perth, na Austrália, à Jacarta (Indonésia) e à ilha de Singapura.

Segundo o Google, ele “fortalecerá a conectividade entre a Austrália e o Sudeste Asiático” e “permitirá uma melhor conectividade com a internet, o que significa serviços mais rápidos e confiáveis ​​para todos os usuários”. O Indigo foi desenvolvido em parceria com a AARnet, a Indosat, a Singtel, a SubPartners e a Telstra.

A ideia do Google é expandir o número de regiões do Google Cloud. Isso significa menor latência e mais velocidade para clientes que utilizam sua plataforma na nuvem. Existem sete regiões do Cloud na Ásia-Pacífico, e mais duas serão inauguradas em 2020, nas cidades de Jacarta e Seul (Coreia do Sul).

Por isso, o Google está investindo em mais outro sistema de cabos submarinos na região: o JGA (Japan-Guam-Australia) terá dois pares de fibra conectando o Japão a Guam, ilha na Oceania que pertence aos EUA (JGA-North); e mais dois pares ligando Guam a Sydney (JGA-South). O trecho JGA-South terá cerca de 7 mil km e tem lançamento previsto para o início de 2020.

Google tem três cabos submarinos no Brasil

O Google é acionista majoritário de 100 mil km de cabos submarinos ao redor do mundo; desse total, a empresa é a dona única de 17 mil km. Ela explicou no ano passado por que prefere ser proprietária dos cabos: isso permite escolher a rota com “a menor latência para o maior segmento de clientes”, e permite usar toda a capacidade de transmissão de dados.

A tabela abaixo menciona (quase) todos os investimentos do Google em cabos submarinos. Três eles estão no Brasil: o Monet conecta a Flórida (EUA) às cidades de Fortaleza (CE) e Santos (SP); o Tannat liga Praia Grande (SP) a Maldonado (Uruguai); e o Júnior vai do Rio de Janeiro até Praia Grande.

Com informações: Google, TechCrunch.

Mais sobre: ,