Início » Negócios » Mappin volta como loja online e tenta conquistar fama do passado

Mappin volta como loja online e tenta conquistar fama do passado

Retorno vem pelas mãos da Marabraz, que também tem o desafio de fazer Mappin ser reconhecido fora de São Paulo

Emerson Alecrim Por

Cumprindo a promessa feita há alguns dias, o Blue Group, conhecido por controlar a rede Marabraz, colocou a loja online do Mappin no ar. A estreia simboliza a volta de uma das marcas mais icônicas do comércio brasileiro, mas também apresenta um desafio: será que a nostalgia é suficiente para fazer deste um retorno triunfal?

Mappin online

O Mappin teve uma ligação muito forte com a cidade de São Paulo. A loja surgiu em 1913 e, a partir daí, acompanhou o crescimento da capital paulista.

Talvez os anos 1980 e 1990 tenham sido os melhores para a empresa. Nessas décadas, o Mappin se estabeleceu com uma das lojas de departamentos mais conhecidas entre os paulistanos. A principal unidade, localizada na Praça Ramos de Azevedo, bem ao lado do Theatro Municipal de São Paulo, era quase um cartão-postal.

Só que, por conta de uma série de dívidas e manobras financeiras duvidosas, o Mappin acabou falindo em 1999. Mas o prestígio ficou, tanto que a Marabraz disputou os direitos sobre a marca Mappin em 2009, por meio de um leilão judicial — o valor pago foi de R$ 5 milhões.

A dúvida é saber se, agora, 20 anos depois, a marca ainda tem força. Ao menos a Marabraz se esforçou para fazer a loja online lembrar o Mappin de outrora: o logotipo é o mesmo, a combinação de verde e branco foi mantida, e os produtos vendidos remetem às principais categorias que eram encontradas nas lojas físicas.

Mappin na década de 1980

Mappin na década de 1980

De acordo com o Blue Group, a estreia está sendo feita com cerca de 15 mil produtos diferentes. Dá para notar um predomínio de itens para casa. Há até uma linha exclusiva de móveis que leva o selo Mappin. Em contrapartida, as categorias Eletrônicos e Informática só mostram produtos da Multilaser, basicamente.

Mas deficiências na variedade de produtos é um problema relativamente fácil de ser resolvido. O desafio está mesmo em fazer a loja online vingar: a marca Mappin ainda é conhecida em São Paulo, mesmo após 20 anos de ostracismo, mas não tanto em outras cidades e estados.

Além disso, mesmo entre aqueles que conhecem a marca, a loja online tende a não despertar um grande sentimento de nostalgia. Provavelmente, o retorno seria mais impactante nesse sentido se o Mappin voltasse também com lojas físicas.

Talvez o Blue Group já esteja ciente disso: embora sem comentar datas ou possíveis locais, a empresa já sinaliza com a intenção de abrir unidades físicas do Mappin.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leandro Nascimento

pior que é... naquela loja nova que abriu em SP

Jackson

Se a Familia Fares insistir em vender móveis com a qualidade da Marabraz e produtos Multilaser essa loja online não dura nem até o fim do ano

Robert Rey

Tá de zoa mano

Leandro Nascimento

guarda chuva da xiaomi é 199

Andrei

Sim por que um guarda chuva descente custa 5 reais.

Mickão

Já começou vendendo só eletrônicos da Multilaser? Vai dar certo sim, pode apostar! A galera vai ficar voltando pra ver quando vão ter outras marcas, aham.

johndoe1981

Eita, já começou "bem".

Gabs

Primeiro produto que eu vi lá estava R$100,00 a mais que os outros varejistas.

Caleb Enyawbruce

sei que to repetindo o obvio, mas tudo depende de bons serviço, marketing e preço. Sem isso pode se chamar "Loja da Apple" que não vai adiantar. Alias, nesse caso adiantaria sim, rs.

Robert Rey

Nessa foto antiga deveria ter uma loja da Xiaomi. Lugar perfeito pra calangada fazer fila pra comprar guarda chuva a 60 reais.

johndoe1981

"Em contrapartida, as categorias Eletrônicos e Informática só mostram produtos da Multilaser, basicamente."

Tá amarrado!

Jairo ☠️

Lojas físicas Mappin. Sear's , bons tempos