Início » Telecomunicações » Anatel aprova plano de levar 3G e 4G a mais 15 milhões de brasileiros

Anatel aprova plano de levar 3G e 4G a mais 15 milhões de brasileiros

Projeto prevê melhorias em cidades menores, além de cobertura 3G em estradas federais e aumento na velocidade de banda larga

Lucas Braga Por

O Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (PERT) foi aprovado pelo Conselho Diretor da Anatel e deverá ampliar o acesso à internet banda larga no Brasil. Os principais projetos têm como objetivo a expansão de fibra óptica e o aumento da cobertura 3G e 4G em áreas isoladas. O problema, no entanto, está em encontrar fontes de recursos para tornar isso realidade.

De acordo com o Telesíntese, o PERT funciona como uma espécie de levantamento dos problemas e aponta alternativas regulatórias e jurídicas para viabilizar a execução dos projetos, mas sem contar com uma fonte de dinheiro segura.

Melhoria de cobertura 3G e 4G em cidades menores

Um dos principais pilares do PERT é a expansão da cobertura celular. Atualmente, existem 3,8 milhões de brasileiros que moram em localidades sem acesso à internet móvel.

A ideia é levar tecnologia 3G ou superior aos distritos não-sede dos municípios, e levar 4G para todas as sedes municipais. Também está no papel cobrir estradas e áreas rurais com 3G ou superior.

Dados do Teleco apontam que, em abril de 2019, o Brasil tinha 4.512 municípios com cobertura de tecnologia 4G. A operadora com maior presença em número de localidades é a TIM, atendendo 3.308 cidades, seguido da Vivo (3.148), Claro (2.445) e Oi (907). No total, 95,9% da população brasileira está coberta com 4G.

Enquanto isso, temos 5.418 municípios cobertos com 3G, o que corresponde a 97,3% do total. Nessa tecnologia a Vivo é a operadora com a maior cobertura, atingindo 4.450 cidades, e a Claro aparece em seguida com 3.934. A TIM cobre 3.191, enquanto a Oi tem a menor cobertura, atendendo apenas 1.644 municípios.

No entanto, esses dados levam em conta apenas os municípios cobertos, não todos os distritos e bairros.

Expansão da fibra óptica para aumentar velocidade

Para expandir uma rede móvel, é importante um alto investimento na rede de acesso. Um dos projetos do PERT é construir uma rede de fibra óptica de transporte onde for economicamente e tecnicamente viável; e onde não for viável, fazer a conexão via satélite ou rádio de alta capacidade.

Isso deve reduzir o número de cidades sem o atendimento de redes de transporte com fibra óptica; atualmente, 2.028 municípios se encontram nessa situação. E mesmo nos locais que já são atendidos por “rede de transporte avançada”, o PERT prevê a instalação de rede cabeada de alta capacidade onde a velocidade média de acesso for de até 5 Mb/s.

De acordo com a Anatel, existem 1.059 municípios com velocidade média inferior a 5 Mb/s. É uma grande disparidade da média nacional, que atualmente chega a 20 Mb/s.

Também está prevista a construção de uma rede para serviços públicos essenciais, levando comunicação para as áreas de educação, saúde, segurança e defesa.

De onde virá o dinheiro para o PERT?

Para pagar tudo isso, a Anatel elenca como fontes de recursos os saldos dos Planos Gerais de Metas de Universalização; futuros TACs (Termos de Ajustamento de Conduta) com operadoras; além do Fust (Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações).

No entanto, seriam necessárias alterações na legislação para permitir tudo isso, uma vez que o dinheiro arrecadado no Fust, que chega a R$ 1,2 bilhão por ano, não pode ser aplicado em banda larga, apenas em telefonia fixa.

Ou seja, o futuro das melhorias ainda é incerto, uma vez que o orçamento não está garantido. O PERT apenas deverá guiar os investimentos nas redes de banda larga pelos próximos 10 anos.

Com informações: Teletime.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Alberto Prado

Aqui é bem caro os links. O governo só prove links de fibra para os órgãos do estado na capital. Talvez por isso ninguém se aventure em fazer provedores de fibra. De rádio tem quase toda cidade tem, mas são péssimos.

Felipe Silva

Não ache que seja economicamente viável, só ver que mil cidades a mais que o 3g tem em relação ao 4g significa 1,5% da população do pais, diferente da internet fixa, o investimento para montar uma rede de celular é muito alto, o que resolveria nesses lugares é as 4 operadoras usarem 1 antena só.

Mas tanto para 4g quanto para internet fixa muitos desses lugares, cerca de 2 mil segundo o texto, não contam com redes de fibra ótica de transporte, então para a melhoria da internet e do 4g, antes tu tem de resolver este problema, ou vai ter uma rede de celular lenta também, apesar de usar 4g. Mesmo provedores pequenos tem grandes problemas de se instalar em lugares assim, ficam dependente de links via radio, que são mais lentos e caros do que os por fibra ótica.

Hemerson Silva

não cara, não hiperbolize a questão. Vc pega o suprassumo EUA e vê que ele tbm tem buracos na cobertura. Este plano aprovado pela Anatel é para cobrir buracos na rede, todo mundo sabe que já temos uma rede estabelecida do 3G e do 4G.

Wellington Gabriel de Borba

Poderiam mandar o dinheiro do FUST, das multas e dos TACs pra um fundo ou exigir metas de cobertura com oferta de redes nesses locais com menor demanda.

Lairton Gomes

se as operadores alugassem as frequências a pequenos provedores poderia ser possível, a não ser que o governo impeça isso

LekyChan

impossivel fazer isso

Daniel Cruz

Que coisa, vários países começaram testes e implantação da rede 5G e aqui estamos falando em conseguir recursos pra implementar 3G ainda.

Daniel Cruz

Provavelmente a rede seria construída pelos estados que tiverem interesse em expandir suas redes, pois hoje alguns estados tem suas próprias redes de fibra óptica pra cobrir serviços publicos e alugam Links da rede pra pequenos provedores poderem oferecerem serviços em seus municípios. Eu não sei onde você mora, mas aqui no sul tem centenas de pequenos provedores de internet por rádio e fibra, a minha internet é de um desses.

Valter

Não sei se estou falando coisa nada a ver, pois não sei como funciona, mas, eu acho que do mesmo jeito que há vários pequenos provedores de internet por fibra que chegam em cidades onde as grandes empresas não estão nem aí, acho que sinal de celular deveria ter algo similar, pois ainda há cidades sem cobertura de nenhuma operadora, sem falar na área rual que é mais complicado ainda.

johndoe1981

Diminuir a regulação, fomentar a concorrência e a carga tributária são medidas muito mais eficazes para ampliar o acesso à banda larga do que usar dinheiro do contribuinte.

Alberto Prado

Não ficou muito claro de que maneira que esses recursos públicos serão investidos. Quem vai construir essa rede de fibra? A Anatel? Improvável. Se ainda assim fosse, ela deixaria as operadoras usa a que custo? De graça? Será que vão usa dinheiro pra banca subsídio para a empresa que construir? Não parece ser muito certo.