Início » Aplicativos e Software » Google vai liberar RCS, sucessor do SMS, sem depender de operadoras

Google vai liberar RCS, sucessor do SMS, sem depender de operadoras

Serviço estará disponível no app Mensagens para Android, inicialmente só para usuários da França e Reino Unido

Lucas Lima Por
22 semanas atrás

Lembra-se do RCS (Rich Communication Service), o novo tipo de mensagem de texto que é a evolução do SMS? Então, o Google decidiu lançar esse padrão para usuários do Android sem depender de as operadoras oferecerem suporte à tecnologia. Começando pela França e Reino Unido até o fim do mês, outros países devem receber a novidade no decorrer do ano.

Mensagens via RCS

Mensagens via RCS

Com o RCS, é possível enviar mensagens, imagens, áudio, vídeo, arquivos e adesivos para qualquer pessoa. Também dá para criar grupos, conversar pela rede Wi-Fi e obter recibos de leitura, para saber quando alguém leu uma mensagem enviada.

É semelhante ao WhatsApp, Telegram e Facebook Messenger, porém sem a necessidade de que o outro lado da linha tenha um aplicativo específico para poder se comunicar. O grande problema é que não há criptografia de ponta a ponta; o Google diz que apaga as mensagens do servidor assim que elas chegarem aos dispositivos.

Além disso, a Apple demonstrou não ter intenção de adotar a tecnologia no iOS (iPhone), impedindo que esse se torne um padrão universal de mensagens.

RCS no Brasil

O Google firmou parceria com diversas empresas da América Latina para implentenção do RCS a partir da sua nuvem (Jibe RCS). A Oi foi a primeira operadora do Brasil a entrar no barco e adotar essa tecnologia.

A empresa revelou que 20% dos clientes já têm celulares compatíveis com o padrão RCS. Como ela usa a plataforma do Google para rodar o serviço, o usuário precisa ter o app Mensagens para Android instalado.

Vivo e Claro também devem ser as próximas a implementar a tecnologia, mas a TIM não se manifestou se adotará ou não o RCS. A adoção global do serviço, seja por operadoras e sistemas operacionais, é importante para que ele funcione em qualquer plataforma e, só assim, se equipare aos concorrentes.

Com informações: The Verge.

Mais sobre: , ,