Início » Negócios » Microsoft proíbe funcionários de usar Slack e desencoraja Google Docs

Microsoft proíbe funcionários de usar Slack e desencoraja Google Docs

Slack não preenche requisitos de proteção de propriedade intelectual da Microsoft, diz comunicado interno

Paulo Higa Por

O Slack terá que se contentar com uma cliente a menos: a Microsoft. A empresa de Redmond baniu a maioria das versões do aplicativo corporativo de mensagens, alegando que ele não preenche os requisitos de proteção de propriedade intelectual da companhia. Além disso, o Google Docs e o Amazon AWS foram incluídos em uma lista de serviços “desencorajados”.

Foto por Andrea/Flickr

A proibição foi descoberta pelo GeekWire em um documento interno da Microsoft. Funcionários não poderão utilizar a versão gratuita do Slack para se comunicarem, nem as versões Padrão (R$ 15 por usuário por mês) e Plus (R$ 28,20 por usuário por mês). A única exceção fica para o Slack Enterprise Grid — que só é vendido sob medida e não tem preço divulgado.

Diz o comunicado interno:

As versões Slack Free, Slack Padrão e Slack Plus não fornecem os controles necessários para proteger adequadamente a propriedade intelectual (IP) da Microsoft. Usuários existentes dessas soluções devem migrar o histórico de conversas e os arquivos relacionados aos negócios da Microsoft para o Microsoft Teams, que oferece os mesmos recursos e integrações dos apps, chamadas e reuniões do Office 365. (…) A versão Slack Enterprise Grid atende aos requisitos de segurança da Microsoft; no entanto, encorajamos o uso do Microsoft Teams em vez de um software concorrente.

O Microsoft Teams foi lançado em 2016 como um concorrente do Slack, permitindo que equipes se comuniquem por texto, compartilhem arquivos e façam reuniões em vídeo. O serviço não emplacou tão rapidamente e, no ano passado, a Microsoft decidiu lançar uma versão gratuita com menos restrições que o Slack Free, como a possibilidade de enviar e buscar mensagens ilimitadas (são 10 mil no Slack) e compartilhar 10 GB de dados (contra 5 GB do rival).

Mas o Slack não é o único proibido: o Grammarly, ferramenta de verificação de ortografia e gramática, não pode ser utilizado dentro dos escritórios da Microsoft, porque seus plugins podem acessar conteúdo sensível em e-mails e documentos. Os softwares de segurança da Kaspersky, que andou brigando na justiça com a dona do Windows, também estão banidos.

Na lista de serviços desencorajados, mas não totalmente proibidos, entram o Google Docs; o PagerDuty, sistema de monitoramento de incidentes; e o serviço de nuvem Amazon Web Services. Até a versão cloud do GitHub, adquirido pela Microsoft por US$ 7,5 bilhões, não é indicada para códigos confidenciais. Todos esses serviços só poderão ser usados caso haja uma boa justificativa.

Faz sentido.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

o docs é interessante, tenho um colega que usa.

mas eu prefiro ver outras opções.

leoleonardo85

Proibir não sei se seria a melhor decisão, mas deve-se ter dentro da empresa politicas de incentivo das ferramentas da casa

Bruno

Slack é modinha. Trava pra caramba. Pra fazer ligações de video em grupo é uma porcaria, fica travando e caindo. Já o Teams é bem melhor. Muito mais pratico. Não trava nas chamadas de video em grupo. Facil de compartilhar a tela. Sem falar a integração com o outlook, só marcar as reuniões, e quando ta perto ele avisa.

Douglas Souza Luz

Tive vários hahahaha. Alguma coisa meu orientador acabou corrigindo no Word mesmo, não tem jeito.

Viniçious

Boa sorte na idade da pedra

Mickão

Óbvio que o objetivo é forçar o uso do Teams. Feedback vindo de dentro da própria casa vai agilizar a vida da Microsoft pra desenvolver o produto dela que é concorrente do Slack.

TukhMd

Só forçando mesmo para alguém usar essas jostas.

TukhMd

Sim. E no meu círculo, que não dá para tomar como verdade absoluta, o Google slides já é bem mais usado que o PowerPoint. O Documentos que ainda acho meio capenga, tanto em formatação quanto em plugins de referências bibliográficas automatizadas. Planilhas não uso, então não posso opinar.

TukhMd

Você não teve problemas com diagramação? Até um simples ajuste de posição de tabela no Docs é um parto.

Trovalds

A única caverna é a que você vive, pelo jeito. Porque o Office 365 já oferece colaboração em tempo real. Tanto que aqui uso com bastante frequência editar documentos em 2 ou até 3 pessoas ao mesmo tempo. Automação e API o Office tem antes mesmo do GDocs existir, via Macros e VBA.

Podia enumerar N coisas que o GDocs peca, como a trapalhada que ele faz com índices em textos ou as planilhas que ele sofre pra rodar que o Excel 2003 roda com 1 pé nas costas.

E gratuito por gratuito o Office 365 tem a versão limitada que faz quase tudo que o GDocs faz (na versão gratuita também). Office 365 (pago) é muito mais vantajoso que o GDocs, ainda mais que vira e mexe tem promoções de assinatura bem vantajosas do 365 nos e-commerce.

Capitão Caverna

boa sorte
vai precisar

Caleb Enyawbruce

se nem a propria empresa usar, quem vai usar, não é mesmo?

Gabriel Arruda

O tipo de análise que se faz em Excel ou Docs é parecida, a vantagem é que o Excel costuma aguentar um pouco mais de dados, mas ambos são para análises menores com menos de 10K de registros.

A vantagem do Excel é muito mais porque já tem muita planilha com VBA e integrada com SQL Server nas empresas grandes, mas o Google Drive também já tem macros em JS e integra com MySQL na cloud do Google.

Para uma empresa começando hoje, o Google Cloud é uma opção muito boa.

Viniçious

Uso docs pra tudo, trabalho em grupo não tem erro, agora Office....

uB.

De fato o Office é um dos softwares mais importantes da Microsoft. Porém, a mina de ouro é por conta do Office versão desktop, não a versão web. Se for levar pra este lado, aí é óbvio, o Office é mais interessante que o Docs e nem tem o q se discutir, até pq, Docs nem tem versão desktop (apenas possibilidade de acesso offline).

Exibir mais comentários