Início » Brasil » Xiaomi e DL são autuadas pelo Procon por infrações na Mi Store de SP

Xiaomi e DL são autuadas pelo Procon por infrações na Mi Store de SP

Loja física da Xiaomi recebeu visita da Fundação Procon-SP; órgão descobriu irregularidades e pode multar Mi Store

Felipe Ventura Por

A primeira loja física da Xiaomi no Brasil recebeu uma visita da Fundação Procon-SP: o órgão descobriu algumas irregularidades, como produtos vendidos sem detalhes em português e itens sem informação de origem da importação. A Mi Store foi autuada e poderá receber multa por essas infrações. O local havia sido flagrado vendendo eletrônicos sem o selo da Anatel.

Xiaomi Mi Store em São Paulo

O Procon-SP explica em comunicado que encontrou quatro irregularidades na loja física da Xiaomi, localizada no shopping Ibirapuera em São Paulo:

  • produtos com informações apenas em língua estrangeira;
  • produtos sem manual de instruções em português;
  • produtos sem informação de origem (importador);
  • produtos com informações de segurança apenas em língua estrangeira.

"O estabelecimento foi autuado e, após procedimento administrativo, poderá ser multado pelas infrações cometidas", diz o Procon.

A DL Eletrônicos, que representa a Xiaomi no Brasil, informa em comunicado que "está ciente da fiscalização do Procon-SP na loja Mi Ibirapuera", e que "os apontamentos feitos pelo órgão já estão em processo final de adequação".

De acordo com o CDC (Código de Defesa do Consumidor), os produtos e serviços no Brasil devem sempre oferecer informações em língua portuguesa sobre suas características, garantia, origem e outros dados.

A lei estabelece que todo produto comercializado no país deve conter um manual de instruções em português e com linguagem de fácil leitura. No caso de produtos importados, é necessário mostrar na embalagem o nome, CNPJ e endereço do importador.

Loja tinha produtos da Xiaomi sem selo da Anatel

A visita do Procon-SP ocorreu em 19 de junho e foi motivada pela denúncia de que a Mi Store vendeu produtos com conectividade Wi-Fi e/ou Bluetooth sem o selo da Anatel. Alguns deles não podem ser encontrados no sistema de homologação.

A Anatel diz estar ciente "de que há venda de produtos não homologados à revelia da lei". Segundo a DL, "os produtos comercializados via distribuição oficial passam por processos de homologação junto à Anatel e tudo que se refere a isso está sendo tratado diretamente com o órgão regulador".

Com informações: Procon-SP.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe Rodrigues

É bem longa mesmo, fica uma merda mas é minha forma de dar meu suporte pra eles.

João

Mas importar aparelho não é ilegal, ao contrário de não seguir leis locais.

Rodrigo T.

72

Keaton

Uai, tá certo... Se bem que ninguém lê o manual mesmo. hahaha

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

tecnicamente é uma brecha. porque é importação. mas o problema foi montar empresa de venda, se ficasse igual o ML não levava porrada e poderia fazer essas grosserias.

mas denunciaram, sifufu.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

84 ado a ado.

Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)

é bom ser não-humano e vendo os fake querendo humanizar agente.
https://uploads.disquscdn.c...

eu sou, literalmente, boneco de pano.

Lucas Santos

"aspas"

johndoe1981

SWAT. Los Angeles. Estados Unidos.

Maurício Castro

39

X-Tudãoᴳᴼᵀ

Compras em loja física não tem esse direito.

raphael_silva

Xiaomi querendo fazer uma baguncinha no Brasil

http://pm1.narvii.com/6880/...

Capitão Caverna

o meu tbm

Franco Luiz

Mas vc esta certíssima somente comprando na loja oficial as empresas vão ver que no Brasil tem um bom mercado.

E sim nem tudo deve ser caro o problema é que o principal que sao os smartphones vieram caríssimos

Ed. Blake

Contrabando é um nome muito feio. Eu diria muamba.

Exibir mais comentários