Início » Aplicativos e Software » Rappi terá botão de emergência após morte de entregador em São Paulo

Rappi terá botão de emergência após morte de entregador em São Paulo

Recurso começou a ser desenvolvido depois da morte de entregador em SP; Rappi, Uber e Samu não prestaram socorro

Lucas Lima Por

A Rappi afirmou ao BuzzFeed News que está desenvolvendo um botão dentro do aplicativo dos entregadores para ser acionado em caso de emergências. O recurso só está chegando após a morte por AVC (acidente vascular cerebral) de um entregador na cidade de São Paulo, que passou mal enquanto trabalhava.

Rappi / como cancelar pedido rappi

De acordo com a Rappi, "a empresa está desenvolvendo um botão de emergência, que estará disponível dentro do aplicativo dos entregadores, por meio do qual eles poderão optar por acionar diretamente o suporte telefônico da Rappi — que contará com equipe especializada — ou as autoridades competentes (caso se deparem com situações relacionadas à saúde ou segurança)".

Rappi, Uber e Samu não prestaram socorro

Em reportagem divulgada pelo BuzzFeed News, no último sábado (6), entre 22h e 22h30, ao descer para pegar a entrega, uma amiga da cliente da Rappi ouviu do motoboy, Thiago de Jesus Dias, que ele estava se sentindo mal, com frio e dor de cabeça. Thiago começou a vomitar e, antes de perder a consciência, pediu para que ligassem para a irmã dele e que avisassem a Rappi.

Outro amigo da cliente ligou para a empresa, reportando o caso. A pergunta da Rappi foi "então ele não vai poder finalizar nenhuma das próximas entregas?", relatou a cliente.

Eles também tentaram ligar para o Samu, mas nenhuma ambulância chegou. Depois ligaram para a irmã de Thiago, Daiane de Jesus Dias, que acionou novamente o Samu às 23h03. O serviço só retornou o contato 33 minutos depois, quando ela já estava no hospital com o irmão.

Daiane havia chegado ao local às 22h43 e de lá ligou para os amigos de Thiago para acompanhá-lo ao hospital, depois que um motorista do Uber também recusou levar o entregador. A irmã dele também relatou a dificuldade em ser atendida com urgência no hospital, por não ter chegado em uma ambulância. No hospital, Thiago morreu quase 12 horas depois.

A resposta das empresas

Em nota, a Rappi afirmou que o caso está em investigação interna. "A Rappi lamenta profundamente o falecimento do entregador e se solidariza com os seus familiares. A Rappi reforça ainda que está apurando os fatos e está aberta a colaborar com as autoridades."

A Secretaria Municipal de Saúde, responsável pelo Samu, disse que lamenta o ocorrido e investigará a ocorrência para "adotar medidas cabíveis". Já o Uber não quis se pronunciar.

Mais sobre: ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Celestino
"...Só na ganância, e quando acontece algo, tenta responsabilizar a empresa..."- existem pessoas e pessoas, não tenta generalizar."...Qual serviço vc vê que não teria nenhum custo?" - como repetir, o iFood e o Uber vem oferecendo benefícios para os seus "colaboradores" sem repassar esse custo para o consumidor, porque o dinheiro que entra e dos investimentos feitos (na casa de milhões de doláres)Mas enfim, como a Rappi já fez, criou um botão de emergencia é um passo.
Love
Sobre "trabalho fixo", falei no sentido que o a pessoa que está trabalhando, sabe se está bem ou não para trabalhar, essa pessoa tem que saber que não tem auxílio desemprego, nem doença, então.. ou faz seu pé de meia, ou trabalha em péssimas condições e corra o risco por conta própria.Eu não sei qual o valores do ifood, ou do Rappi, nem de lucro total das empresas, nem de quanto é a fatia do lucro de cada entrega que cobram, mas sei do Uber Eats que, eles cobram uma taxa razoável do lucro de cada entrega, e que o lucro anual da empresa saí sempre no negativo.Sobre a responsabilidade da empresa, qual o meio viável que vc vê para a empresa ajudar em uma situação de risco como aconteceu?Eu vejo uma assistência 24/7, com um atendente com acesso a todos os dados do motorista, e pronta para ajudar no que for possível em um contato com algum tipo de atendimento médico, e por mais que isso fosse gerar um custo mínimo para a empresa, seria repassada para a pessoa que presta o serviço, e talvez até para o consumidor.Qual serviço vc vê que não teria nenhum custo?E o papel desses apps que oferecem esse serviço, é conectar um cliente, com um motoboy, simples e funcional, na minha visão, teria que trabalhar a responsabilidade das pessoas, tem muito cara que utiliza disso tudo que te falei, de não ter hora para sair ou entrar online para trabalhar, que fica 12h-14h-15 trabalhando, até mais... Só na ganância, e quando acontece algo, tenta responsabilizar a empresa.
Tiago Celestino
"Não é um trabalho fixo, vc não tem horário para entrar, ou para sair, não precisa trabalhar todos os dias, quer mais flexibilidade que essa?" - infelizmente para muita gente virou um "trabalho fixo", isso é um fato. Não como se negar, por mais que o modelo de negócio não tenha sido projetado pra isso, mas aconteceu.Eu entendo seu comentário, porém tenta pensar o quanto essas empresas ganham e o quanto o entregador está recebendo. Essa argumentação de que se existir algum meio dentro do app ou responsabilidade da empresa cairá pra cima dos seus consumidores, para mim não tem sustentabilidade. Falo isso, porque vejo o quanto o iFood e até mesmo o Uber vem querendo quebrar um pouco essa coisa de que o profissional só ver como um trabalho fixo. Com espaços para descanso, alimentação (caso do iFood), com benefícios para melhores motoristas (lavagem do carro mais em conta, espaço para descanso) e isso não está se refletindo diretamente no custo para os consumidores.Acho que é preciso existir uma discussão sobre o papel desses serviços que utilizam da argumentação do trabalho flexível para se sustentar com negócio.
Love
Discordo, qualquer auxílio a mais para a pessoa, será cobrada direta ou indiretamente...Não é um trabalho fixo, vc não tem horário para entrar, ou para sair, não precisa trabalhar todos os dias, quer mais flexibilidade que essa?Uma pessoa doente, passando mal, tem todas as oportunidades para parar de trabalhar, e ir para o hospital, ou descansar...O mais errado é pegar o problema da resposta da Rappi, e oferecer como solução obrigar a empresa a disponibilizar algo para os motoboys, isso vai inchar o custo do app de forma indireta para todos os usuários, e certeza que teria uma reclamação futura sobre esse "aumento de custo", não é vantajoso.
Tiago Celestino
Acho que colocaram a “culpa” por causa da resposta. Mas querendo ou não, a empresa deveria ter alguma forma de auxiliar seus usuários/funcionários
Rafael F. Silva
A lei em momento nenhum te obriga a fazer algo mais que chamar as autoridades publicas.
Rafael F. Silva
Disca 191 , 192 , 193 e responda as perguntas que serão feitas. Pronto, você já prestou ajuda a vitima e não cabe nenhuma acusação de omissão de socorro.Fiz isso ontem, quando um motoqueiro se estabacou na traseira de um carro e ficou com a perna sangrando. Tirei a moto da rua, liguei pra policia e samu, e segui minha vida. Não perdi nem 5 minutos.
Rafael F. Silva
No momento em que se chama uma ambulância, já não cabe mais a omissão de socorro. Se ela vai chegar 2 dias depois é outra história...
Love
Concordo que faltou sensibilidade por conta dessa resposta, mas vendo o que a Rappi pode ou não fazer numa situação dessas, é ridículo colocar a culpa neles.
MJuliani
Particular, ou seja sem plano
Thalles Ferreira
Mostrou carteirinha do plano? Deu dados pessoais? Tá ali seu pagamento direcionado, caso tente dar calote.
Tiago Celestino
Uma vez, perto de minha casa, um senhor foi assaltado e provavelmente baleado (não cheguei ver o ferimento, mas o assaltante tava armado), liguei para o SAMU, bombeiro, policia, demorou 30min e quando chegaram, foram todos de uma vez só.
Tiago Celestino
Bem isso!! Startup tem esse nome porque pode gastar a vontade...o problema é quando esse gastar não traz nada de retorno, ai é o fracasso.
Tiago Celestino
Pra mim, a resposta da empresa foi o maior problema. O SAMU deveria tá lá, mas faltou um pouco de sensiblidade do atendimento da Rappi nessa situação.
Alessandro
Sei lá, não quero defender essas empresas de aplicativo, mas acho que problema aí foi do estado/município o samu devia ter respondido, mesmo se o cara estivesse dentro da empresa, ainda teria de esperar o samu.
MeninãoBOBO
Pessoal vive brigando pelos vínculos empregatícios o bom mesmo é ficar sem emprego sem expectativa de melhorar de vida e ir pro mundo do Crack e virar mais um zumbi...Todos esses novos empregos UBER, RAPPI e etc... são empregos onde a pessoa trabalha por conta e o aplicativo só ajuda a arranjar as entregas, eu fico cada vez mais abismado onde o governo quer se intrometer e claro ferrar mais ainda todo mundo... parabens para quem pensa igual ao governo!! Que feche UBER RAPPI e os trabalhadores voltem a fazer bico
Love
Tô achando meio desproporcional a repercussão disso, tem muitas pessoas reclamando de direitos trabalhistas e culpando diretamente a empresa no qual o homem trabalhava, mas quase não é citada a responsabilidade do Estado na história.E se for dar um fim a essa história no meu ponto de vista, deve aparecer mais uma lei obrigando os apps a ter suporte 24/7 para seus empregados, no qual o mesmo deve reportar qualquer acidente para algum canal público, e que no final, não vai dar em nada, visto de chegam a demorar mais de 1h para chegar no local do acidente na maioria dos casos.
Luizão
se tem uma coisa q startups adoram é gastar dinheiro..... com coisas como AWS e seus trilhões de serviços cobrados em dólar americano (com aquela taxa de IOF gostoso no cartão), Azure, Office 365, o chatzinho Slack que é a última moda em paris e mais coisas supérfluas para mostrar que são mais "tecnológico" que os outros. kkkkkkagora, vai pedir 1.000 reais de aumento..... não tem.
Pedro
Exatamente isso. E tem uma pessoa falando aqui nos comentários que o estado não permite um "SAMU privado", sendo que os hospitais particulares têm suas próprias ambulâncias. Vale qualquer coisa pra provar sua ideia, por mais ridícula que seja.
Lord Cheetos
E tem gente que prefere pagar caro pra ter um atendimento decente e quem não quiser pagar pode usar o Samu.
Leandro Understood
UberEmergency DeadPara aqueles que irão morrer no caminho.Pesadaaa
Daniele
É assim nos Eua, uma ambulância custa caro. Prefiro melhorar o Samu.
Leumas Ninguem
Se tiver pessoas em volta pergunta se já ligaram uéSe sim, tudo bem, sua parte você fez
Falcão caçador 🦅
Se existe todos os requisitos q comprovem vínculo empregatício, então a empresa tem sim q amparar o empregado, q por sua vez estava em serviço pela empresa. Espero que todos os envolvidos por ter negligenciado tal fato seja acionado judicialmente e, q a balança esteja sempre em equilíbrio. ⚖
MJuliani
Todo atendimento de emergência em hospital particular que eu fui, não me foi pedido nada relativo a pagamento antes de ser atendido.
Jarbas Coqueiro
EmergencyBAG para os gordinhos
Leumas Ninguem
Legalmente simOmissão é crimeVocê tem que prestar socorro, ligando para a emergência no mínimo
zephyr1an
"Antes vc privatizar a saúde e não morrer amontoado no chão de um hospital, que ter um atendimento gratuito que não te atende quando precisa."só fala isso quem não está precisando hoje do serviço público de saúde...para quem precisa e não tem condições de pagar um convênio (um bom convênio, e não a maioria dos lixos que existem) é a diferença entre a vida e a morte...tenho exemplos na família: uma das minhas irmãs foi operada do coração no Beneficência Portuguesa pelo SUS
Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)
ou seja, o cara precisou morrer pra dizerem que vão fazer algo?e não vão, porque implementar essa porcaria de botão no sistema é uma $$$ gasta, e uma coisa que essas "startups" não gostam é de gastar dinheiro...
Deealt Noubeza ( ͡° ͜ʖ ͡°)
EI, a lógica não pode fazer sentido aqui! é pra bater no estado e ponto, independente do que os administradores fazem ou fizeram com relação á gastos para poder aumentar seus salários e benefícios em menos de 30s.../s não é só político, é qualquer folgado metido á espero, vide os neoliberais quando a falência bate na porta, advinha quem tem que cobrir o rombo??
mng_gohan
UberEmergencyBlack, UberEmergencyX, UberEmergencSelect, UberEmergencEats e UberEmergencCarpool (este aguarda mais pessoas passarem mal no mesmo caminho)
fan
Plano de saúde?
johndoe1981
E é o mesmo prefeito que está inventando burocracia e taxas pro serviços de patinete, phoda.
Daniel
A melhor foi... A pergunta da Rappi foi “então ele não vai poder finalizar nenhuma das próximas entregas?” e a Rappi lamenta profundamente o ocorrido ("a não realização das proximas entregas"). Todo mundo que trabalha/ já trabalhou em alguma empresa assim prestando serviços sabe que essa e a realidade infelizmente.
zephyr1an
lembrando que o atual prefeito Bruno Covas (aquele, da concorrência viciada de linhas de ônibus, no valor de 70 BILHÕES em 20 anos) FECHOU 31 BASES DO SAMU, sendo que os funcionários foram realocados para unidades de saúde municipais, que só funcionam em dias úteis...lembram daquele negócio de que "o estado é ineficiente" ? pois é, político que diz isso quando consegue uma mamata estatal (que sempre é o objetivo dele) faz questão de tornar o estado mais ineficiente ainda...é a famosa profecia auto-realizável
CtbaBr©
Cara, todos temos obrigação moral em casos assim, não como empresa, como ser humano!
Pedro
Você nunca viu um serviço de UTI móvel privado?
zephyr1an
welcome to the real world
zephyr1an
ouvi caso verídico de um colega que fez Ciência Sem Fronteira nos EUA: alguém se machucou, chamaram ambulância, depois se arrependeram amargamente, pois tiveram que morrer com 2 mil doletas
Hemerson Silva
Não impede não hehe, não nesse caso, pelo menos.
Paulo Pilotti Duarte
Nenhuma, várias pessoas lhe disseram que "basta ligar, é isso que a lei diz" e você me disse, lhe citando:Li sim não vai ser uma lei que vai me obrigar a prestar socorro a uma pessoa que nunca vi na minha vida e muito menos colocar no MEU CARRO. Se eu ver eu QUISER prestar socorro ligo pro SAMU ou Corpo de Bombeiros e sigo a vida ou passo direto e tchau. E como disse acima a ÚNICA PESSOA que eu tenho DEVER de prestar socorro o mais rápido possível(seja chamando uma ambulancia ou colocando dentro do carro) é minha mãe e ponto final.Pegando os grifos, depreendo que você acredita que a lei lhe obrigue a fazer mais do que apenas ligar. Você repetiu isso várias vezes, o que me impele a crer que você não leu e, caso leu, não entendeu exatamente o que diz a lei.Apenas esclarecendo, a lei pode não pode te "obrigar" a socorrer ninguém, mas, contudo, ela pode lhe impôr alguma sanção caso julgue que você agiu fora da lei e, nesse caso, omissão de socorro pode ser um desses entendimentos. A lei não te obriga a nada amigo, você faz o que quer a hora que quer e como quer, mas, isso pode gerar consequências (legais e pessoais) que você pode vir a ter que arcar.
Paulo Pilotti Duarte
A definição que você busca (e que eu já discuti com você aqui nos comentários do tecnoblog de outros posts) é o que se convencionou chamar de PNA (pacto de não agressão).Precisa de alguns anos de estudos de sociologia para entender a dinâmica da sociedade e, spoiler, ela não é simples como levam a crer os liberais (porque libertário e anarquista e anarquista é anti capitalismo; ancap não existe).
Paulo Pilotti Duarte
A lei diz exatamente que você deve chamar socorro se não quiser socorrer você mesmo. Ninguém lhe obriga a nada.Ou você não sabe ler ou é apenas uma pessoa grossa e incapaz de falar com outros.
Dayman Novaes
Depende da sua definição de "crime".Se você definir "crime" por: "uma ação passível de punição física", então obviamente não sou contra que alguém seja punido quando cometa um crime, pois está na definição da própria palavra.A questão mais profunda é: o que define que uma ação seja passível de punição física?Essa pergunta é mais complexa, mas obviamente a resposta não pode ser simplesmente "o que está escrito num livro", seja esse livro escrito (supostamente) por Deus (Bíblia) seja ele escrito por políticos (constituição).Também a resposta de "é o que a maioria decidir" não parece válida, pois se, por exemplo, 51% da população decidir que "ser gay" é crime (passível de punição física), essa decisão continua claramente errada.Veja, não estou argumentando que não existam crimes reais. Só estou argumentando que "decisão de maioria" não é um argumento razoável para justificar punição física à qualquer pessoa.
Paulo Pilotti Duarte
Pelo que eu entendi quando eu li, teve um impasse com o entregador desacordado e o motorista se recusando a fazer a viajem ao hospital. Imagino que deve ter ficado aquela coisa com as pessoas tentando entrar com o rapaz no carro e o motorista mandando tirar ou dizendo que não ia sair.
Paulo Pilotti Duarte
Você responder isso daí prova, literalmente, que você não leu o que tava escrito no comentário, pqp hahaahaha
Paulo Pilotti Duarte
Não impede não. Você mesmo pode, inclusive, começar a operar nesse mercado, basta ter dinheiro ;)
Paulo Pilotti Duarte
Você pode operar serviços de emergência sem problemas. As barreiras de entrada são relativamente baixas, tanto que existe UTI's móveis de diversos serviços.
Paulo Pilotti Duarte
Na verdade, privatizando você vai morrer na rua sem entrar no hospital. Os EUA tem a saúde privada e é um grande problema pra eles (ver Flint, Philadélfia, Detroit e muitas outras). Sem falar que uma execução judicial para uma família realmente pobre pode significar uma morte nas ruas ou coisas relacionadas.Na rede privada, ainda assim, você corre sérios riscos de morrer do mesmo modo, vide as emergências dos hospitais que atendem convênios.
Paulo Pilotti Duarte
O Uber não é, de fato. E eu não disse isso.Mas o motorista tem sim. Omissão de socorro é relativamente subjetiva quando levada à vida judicial. O motorista teria que provar algum prejuízo à sua vida decorrente de levar a pessoa ao hospital. Dependendo do advogado, do laudo médico e do juiz ele consegue ser enquadrado até em homicídio culposo (sem intenção de matar mas sabendo dos riscos incorridos contra a vida humana ao se negar a levar ao atendimento).
Luiz Fernando
É mais provável que quem morra seja o cliente, esperando o pedido chegar
Paulo Pilotti Duarte
Não tem nada que indique isso (a não ser desejos infundados e baseados em pseudociência), pelo contrário, países com sistemas de saúde desse tipo são piores aos pobres.Nos EUA, por exemplo, não dá muito certo, o pessoal prefere ir caminhando pro hospital ao invés de pegar uma ambulância privada que cobra horrores por uma "corrida" desse tipo. Alguns motoristas do Uber são, inclusive, especializados em levar pessoas pro hospital.Elas já existem. Eco-salva e muitas outras operam nesse setor. As barreiras são bem baixas.Anyway, slopery slope a parte, nem tudo tem como resposta "vamos largar na mão da iniciativa privada"
kadu
Esses caras vivem no mundo da lua.
Thalles Ferreira
Como disseram acima, legalmente tem sim. Além disso, não é sobre obrigação, é sobre o cara não enxergar o outro enquanto um igual.
Thalles Ferreira
Ah vá, considerando que algum hospital privado vá atender alguém sem grana esperando que pague a dívida depois. É bem assim que acontece mesmo.
Diogo
Só ligar pro Samu já é o suficiente, é isso que a lei diz: "ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública". Não precisa ficar no local e prestar primeiros socorros.
Diogo
Bom, aí a gente já parte pra uma outra discussão; eu apenas relatei como funciona atualmente.Mas só pra confirmar: você é contra que alguém seja "sequestrado" quando ela comete algum tipo de crime ou delito?Edit: tá tendo um mal entendido, acho que eu tbm não deixei muito claro. A lei não obriga que você preste primeiros socorros e leve pra emergência, o mínimo que você pode fazer é ligar pro Samu ou pros bombeiros, como fala na lei: "ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública".
Dayman Novaes
E além de tudo proíbe que outras empresas possam agir livremente nesse mercado.
Dayman Novaes
Seria ótimo, se o próprio estado não proibísse esse tipo de serviço.
Dayman Novaes
Se tá na lei é porque tá certo? Um papel escrito tem poder de transformar a moralidade pela qual você vive?Veja, acho moralmente reprovável não prestar socorro a alguém. Mas se tem algo que acho mais reprovável ainda, é obrigar alguém, sob pena de sequestro de três meses a um ano, a prestar socorro à outra pessoa.
Lord Cheetos
Bem que a Uber poderia entrar no mercado de transporte de emergência e de quebra salvar varias vidas que o incompetência do Samu mata todo ano.UberEmergency o motorista tem o único objetivo de levar o passageiro direto pro hospital, já vai saber do que se trata não havendo necessidade de cancelar a corrida, ganha mais, o passageiro chega mais rápido do que a própria ambulância, todo mundo sai feliz.
Dayman Novaes
Não seria melhor será, reduzir a quantidade de barreira que existe para outras empresas prestarem serviços de saúde, ao invés de tentar ter um serviço universal que claramente não consegue atender à demanda?
Diogo
Bom, espero que nunca aconteça nada com alguém perto de você... e se acontecer e conseguirem provar a omissão, boa sorte com a lei...
Diogo
Tem sim. OU pelo menos chamar uma ambulância/bombeiros/polícia. Omissão de socorro é crime, tá no artigo 135 do código penal:Art. 135 - Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública:Parágrafo único - A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte.Condicionamento de atendimento médico-hospitalar emergencial (Incluído pela Lei nº 12.653, de 2012).
Diogo
Quanto ao ponto dois, acho que cabe investigar e verificar até que ponto o motorista do Uber sabia do ocorrido e se ele cancelou a corrida mesmo sabendo disso (omissão de socorro é crime e cabe processo aí), mas se ele não sabia, não sei se teria como avançar aí.
johndoe1981
Lembrando a todos que o Samu é um serviço PÚBLICO. Ou seja, o Estado adora cobrar das empresas taxas e direitos trabalhistas mas não faz sua parte, e por culpa da negligência dele, o entregador faleceu.
fan
Claro, faz mais de uma década que vai de mal a pior, mas realmente só ficou ruim mesmo esse ano né?Antes vc privatizar a saúde e não morrer amontoado no chão de um hospital, que ter um atendimento gratuito que não te atende quando precisa.Melhor estar vivo pra pagar a dívida do hospital que morto prq prefere acreditar que o estado pode abraçar o mundo.Privatizar a saúde na minha visão não precisa ser entregar tudo na mão da iniciativa privada. O estado poderia se focar no que realmente importa, atendimento de saúde da família, prevenção e manter mais postos de pronto atendimento. As coisas não precisam ser 8-80... Temos que encontrar um meio termo. Mas a estrutura atual está falida, algo precisa ser feito.O modelo americano não é o melhor, o canadense só funciona prq investiram muito em prevenção e conscientização. E o brasileiro não consegue mais amparar tantas pessoas como temos aqui.
Daniel Ribeiro
Comigo nunca rolou... E eu uso diariamente. Talvez seja algo específico do Loop, mas eu nunca usei o Loop então não sei... E acho que neste caso específico, não era o Loop.BTW, parabéns pelo uso da palavra "Ledo".
Paulo Pilotti Duarte
Não se preocupe, o desmonte dos serviços públicos está em pleno funcionamento. SUS (e SAMU) em breve serão luxos de classes altas.
ecarvm
Tbm acho que não inventariam isso, até pq foi a cliente que aguardava q relatou isso, não a irmã do rapaz.
pmapelli
Ledo engano, ele pode sim ter várias entregas, inclusive em várias situações apresenta a mensagem de que o entregador já saio para a entrega, mas possui outras entregas no caminho e por isso ainda não é possível ativar o rastreio, quando a sua vez chega você consegue rastrear a entrega.
fan
Temos alguns pontos pra analizar: Qual a responsabilidade legal da Rappi em relação ao “funcionário”, qual o regime de trabalho ele estava inserido, tinha plano de saúde ? Após apurado, entrar com as medidas cabíveis se provado negligência.Uber, esse ponto é mais volátil, é fato que muitos motoristas aceitam corridas, após saberem em que circunstancias vão atender, decidem por cancelar se julgarem apropriado. Não vamos julgar o mérito da vítima estar passando mal no primeiro momento, se não fosse isso seria simplesmente mais um fato corriqueiro de cancelamento. Mas o que a opinião publica está julgando foi a conduta moral do motorista que se recusou a levar alguém passando mal (vc pode ver isso como: ah ele estava preocupado em sujar o carro etc. Mas esquecem que se esse cara tivesse morrido dentro do carro da Uber, muito provavelmente esse motorista seria acusado de não oferecer suporte de vida. E acabaria respingando na empresa talvez de forma muito pior que agora.).E por fim chegamos ao ponto mais inaceitável e responsável pela morte desse cidadão, negligência por parte do Samu/hospital. Se tivéssemos um sistema de saúde competente, esse indivíduo teria sido amparado em 15 minutos no máximo e quem sabe poderia ter tido oportunidade de um atendimento digno.Culpar a Rappi, Uber não vai resolver, o que podemos fazer é aprimorar a forma como esses casos vão ser tratados internamente na empresa, talvez oferecendo suporte etc.Agora quem deveria ser responsabilizado verdadeiramente é quem coordena as ambulâncias, a direção do hospital e o estado, por desencadear a morte desse cidadão pagante de impostos, o qual no momento de necessidade ficou completamente abandonado pelo poder público. Esse caso é o reflexo do que vemos diariamente!
Paulo Pilotti Duarte
O que mais me deixa puto da cara nisso tudo é que foi um motorista (pessoa física, ser humano) que se negou a levar o homem pro hospital. Eu fico, ainda, me perguntando a troco de que. Omissão de socorro pura e simples.O resto todo eu espero (empresas pensando em pessoas/empregados como produtos e a SAMU deixando de prestar atendimento decente), agora uma pessoa, com carro, se negar (e pelo relato ficou num impasse com o homem morrendo dentro do carro) a levar pro hospital é demais pra minha cabeça.
Mike Cross
Deveria sim, e nem digo tendo como base o ocorrido. Por exemplo, é extremamente comum termos motoristas em vários desses apps de transporte que deliberadamente aceitam é atrasam a chegada no local unicamente pra forçar o usuário desistir é assim arrancar aquela taxa de cancelamento de propósito. Quando você cria um serviço aonde você pode empregar qualquer um, lidar com potenciais pessoas de má fé é algo obrigatório.
Robert Rey
Não se esqueçam também de colocar os entregadores em algum regime especial da nova (que já nasceu velha) previdência.
Andre Kittler
Beleza. Temos 3 pontos:1. Rappi, Uber, Cabify, Sony e Microsoft não ajudaram o cara que estava passando mal e necessitava de auxilio médico urgente. OK, poderiam fazer mais mas não tem motivo para culpar uma dessas 5 empresas nisso.2. Uma PESSOA não levou para o hospital. Não importa motorista de quê. E essa pessoa deveria ser verificada judicialmente se cabível, não sei não sou advogado. Uber cancela, toda hora, por qualquer motivo. Já cancelou corrida minha no meio "desce não vou" e deu, isso é o uso normal, não podemos depender de Uber para serviço de emergência. E nem taxi ou ônibus. Para isso existe... serviço de emergência.3. A SAMU não atendeu. O hospítal não atendeu. Aí estão os culpados, mas somos brasileiros: em algum ponto isso realmente surpreende? Triste, mas alguma novidade aqui?
PPKX XD ✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ
Na próxima melhor pedir no iFood pra ver se a comida chega sem o cara morrer...
Paçaro
Resposta do Samu, Rappi e Uber: "caguei"
Antonio Araújo
Responsabilidade civil. O uber te da uma espectativa, ai o motorista vai la e cancela. Ridiculo! Ta na hora da empresa começar a punir os motoristas que aceitam a corrida e depois cancela.
Daniel Ribeiro
Essa parte é completamente falsa:então ele não vai poder finalizar nenhuma das próximas entregas?O entregador da Rappi não tem "próximas entregas". Eles trabalham "pedido-a-pedido". Não há razão para que o suposto atendente da Rappi esteja preocupado com as próximas entregas, pois elas simplesmente não existem. Depois que o entregador entrega a sua encomenda, ele ainda precisa aceitar uma próxima... Ele não pode acumular entregas.Eu vejo esse detalhe desde a primeira vez que a notícia apareceu em outros lugares, e não entendo a razão de terem adicionado isso... A notícia por si só já é bem triste, não há nenhuma necessidade de adicionar este detalhe falso.