Início » Negócios » Microsoft ganha mais dinheiro com nuvem do que Windows

Microsoft ganha mais dinheiro com nuvem do que Windows

Divisão de nuvem inteligente da Microsoft, que envolve Azure, se torna a maior da companhia em faturamento

Paulo Higa Por

A Microsoft publicou na noite de quinta-feira (18) os relatórios financeiros do quarto trimestre fiscal de 2019 (encerrado em 30 de junho) que mostraram um crescimento de 12% na receita, para US$ 33,7 bilhões, acima das expectativas do mercado. A divisão de Nuvem Inteligente foi a que mais contribuiu para o resultado: pela primeira vez, ela obteve o maior faturamento da empresa, ultrapassando a divisão de Windows.

Windows 10 / atalho Alt + F4 / como desligar o notebook pelo teclado

A divisão de Nuvem Inteligente, que envolve Azure, SQL Server, Visual Studio e serviços de consultoria, foi responsável por US$ 11,4 bilhões do faturamento da Microsoft no período. Trata-se de um crescimento de 19%, o maior entre as três divisões, em relação ao mesmo período de 2018.

O resultado do negócio de nuvem é o melhor já apresentado desde o final de 2015, quando a Microsoft passou a dividir suas áreas de atuação em três. Os outros segmentos são o de Computação Mais Pessoal (Windows, Surface, Xbox e Bing) e Produtividade e Processos de Negócios (Office, SharePoint, Skype e LinkedIn).

O serviço de nuvem Azure não está mais dobrando de tamanho a cada ano, mas teve forte crescimento anual, de 64%. Ele se fortaleceu bastante depois que Satya Nadella assumiu como CEO — antes disso, o indiano comandava justamente a área de computação em nuvem. A Microsoft se tornou a vice-líder do setor, com 14,6% de participação, atrás da Amazon (32,8%), mas à frente do Google Cloud (9,9%).

Azure / Mapa de data centers

Enquanto isso, as outras divisões da Microsoft cresceram, mas menos. A área de computação pessoal rendeu US$ 11,3 bilhões (crescimento de 4%), impulsionada pelo aumento no faturamento com o Surface (14%) e licenças de Windows para fabricantes de PCs (9%), mas freada pela queda na receita com jogos (-10%). Vale lembrar que estamos em um momento de migração, já que o suporte do Windows 7 será encerrado em janeiro de 2020.

Na divisão de produtividade, que obteve receita de US$ 11 bilhões (crescimento de 14%), o destaque ficou para o LinkedIn, com aumento de 25% no faturamento e um nível recorde de engajamento na rede social. A Microsoft também viu o Office para consumidores finais crescer 6%, sendo que o número de assinaturas do Office 365 Consumer atingiu 34,8 milhões.

No trimestre, a Microsoft teve lucro líquido de US$ 13,2 bilhões, um crescimento de 20% em relação ao mesmo período de 2018. As ações da empresa na bolsa de valores Nasdaq sobem quase 3% antes da abertura do mercado, o que mantém a Microsoft como a única companhia listada avaliada em mais de US$ 1 trilhão.

Tecnocast 017 – A nova Microsoft

Tecnocast 017 - A nova Microsoft

Se houve uma empresa de tecnologia que mudou drasticamente nos últimos meses, esta empresa é a Microsoft. Sob nova direção desde fevereiro de 2014, a gigante do software está reformulando sua estratégia de negócios e fazendo coisas que, há alguns anos, ninguém imaginaria vindo de uma corporação poderosa, monopolista, imperialista e do mal.

Um dos grandes responsáveis por essa transformação da Microsoft é Satya Nadella, o terceiro CEO da empresa, depois dos icônicos Bill Gates e Steve Ballmer. Mas quem é Nadella? De onde veio? Como se alimenta?

Neste bate-papo descontraído (e empolgado), trocamos uma ideia sobre as novidades que a Microsoft vem apresentando e a nova fase “humilde” da empresa, além de alguns exercícios de futurologia para pensar no que vem pela frente. Aperte o play e viaje conosco!

Com informações: Reuters, CNBC.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

José Vieira

Opa, rs... Mas aí é a Microsoft ganhando dinheiro com windows, rs... dessa maneira o Win faz dinheiro, mas quem ganha é a microsoft, rs...

Felipe Liʍa

So os governos estaduais daqui devem da uma boa grana com as licenças do.windows

Felipe Liʍa

Licenças para empresas e governos

Felipe Liʍa

Menos d 5 anos..

𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓

Bing dá grana "apenas" na América que deu certo do Norte.

𝕵𝖆𝖈𝕶 ⚡𝖎𝖑𝖘𝖆𝖓

Sinceramente acho que a melhor opção para um ex usuário de Windows Phone/10 Mobile é o iOS... Já tentou essa alternativa?

Anônimo

"Podem apoiar qualquer causa que não vai mudar nada", nunca vi palavras tão verdadeiras

Gustavo Fernandes

Acho dificil, qual valor em média uma licença oem do Windows?

Keaton

Pera, não é aberto? :V

João

Windows empresarial dá mto dinheiro.

Daniel R. Pinheiro

Uma palavra: marketing, meu caro. Você acha mesmo que eles se importam com a causa LGBT (ou qualquer outra causa) de todo o coração? Só o que a gente vê são casos de assédio e violação de direitos nessas empresas. Uma pesquisadinha rápida você acha. Mas voltando às cores, isso dá repercussão, gera retorno mesmo. São inteligentes...

leoleonardo85

Isso realmente não lembro, mas se era isso retiro o que disse ahahaah

Trovalds

O Windows Phone tinha grande potencial e principalmente se diferenciava da mesmice de Android/iOS. O que bagunçou tudo foi o excesso de promessas que não foram cumpridas e principalmente a gestão equivocada pré-Nadella. Quando ele assumiu a MS a empresa já tinha feito besteira demais em cima do WP e a credibilidade já tinha ido pelo ralo. Mas até hoje nenhum celular com Android conseguiu rodar com 1GB de forma minimamente decente enquanto o WP rodava em celular de 512MB sem maiores problemas. Tive 3 Lumias e só parei de usá-los porque em 2 deles o reparo ficou impagável e perdi um deles.

Sim, sou saudosista. Hoje estou com um Galaxy S8+ e nunca tive tanto aborrecimento com um aparelho e com o Android antes.

Uriel Dos Santos Souza

Será que em 10 ano o Windows passa a ser aberto e livre?

P. Herrera

Nenhuma surpresa. Desde que o Nadella assumiu, a MS tem se destacado e investido cada vez mais no cloud. Hje é a concorrente mais forte da Amazon.
1 trilhão de mar. cap vem em grande parte de tais investimentos.

Exibir mais comentários