Início » Aplicativos e Software » Procon-SP quer que FaceApp, Google e Apple expliquem coleta de dados

Procon-SP quer que FaceApp, Google e Apple expliquem coleta de dados

As três empresas foram notificadas para explicar possíveis irregularidades na coleta de dados do FaceApp

Emerson Alecrim Por

A febre do FaceApp — aquele app que envelhece os usuários nas fotos — atraiu a atenção da Fundação Procon-SP: o órgão, que tem vínculo com a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, notificou os responsáveis pelo aplicativo para saber como os dados dos usuários são tratados. Google e Apple também receberam notificações.

Em nota, o Procon-SP destaca que "informações divulgadas na imprensa afirmam que a licença para uso do aplicativo contém cláusula que autoriza a empresa a coletar e compartilhar imagens e dados do consumidor, sem explicar de que forma, por quanto tempo e como serão usados".

Por conta disso, o Procon-SP quer que os responsáveis pelo FaceApp expliquem as políticas de coleta, armazenamento e uso dos dados dos usuários do aplicativo. Google e Apple também devem dar explicações porque são responsáveis pelas lojas que disponibilizam o app (Play Store e App Store).

FaceApp

O órgão vê ainda a falta de condições de uso e de política de privacidade em português como um problema, pois a disponibilidade dessas informações somente em inglês impede o conhecimento dos termos por quem não domina o idioma.

Até agora, nenhuma das partes se manifestou sobre a notificação do Procon-SP. No entanto, o FaceApp explicou em ocasião recente que envia as fotos fornecidas pelos usuários à nuvem para processamento e as elimina em até 48 horas.

A empresa também afirma que não coleta outros dados, tampouco compartilha informações dos usuários com terceiros ou governos — existe essa suspeita porque o desenvolvimento do app é baseado na Rússia.

Apesar das explicações, o aplicativo gera desconfiança de autoridades e especialistas em privacidade de várias partes dos mundo por motivos que estão alinhados com os questionamentos do Procon-SP: a política de privacidade do FaceApp é considerada por demais genérica e, consequentemente, deixa vários pontos vagos.

Mais sobre: , , ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Daniel R. Pinheiro
Obrigado.
Rodolpho Camargo
uau parabéns você é muito superior
Mídia Metrô
Concordo com o Franco Luiz: "se for fazer com todos os apps que roubam dados ..... as lojas de apps vão ficar bem vazias"
Zanac_Compile
Pois é, estamos em 2019, tudo é assim, irreversível
uB.
Legal, mas... chegou meio tarde, até semana q vem ninguém mais se lembrará desse app.
X-Tudãoᴳᴼᵀ
Eu nunca entro nessas modinhas.
johndoe1981
Acho que pela relevância econômica e política do estado, acho que o Procon de SP tem mais voz, digamos assim. E ao menos aqui no Ceará o Procon beira o inútil, burocrático demais, demorado demais pra marcar audiência, e em geral as empresas estão obrando e se locomovendo pra ele. O site do Consumidor tem sido bem mais rápido e eficaz pra resolver meus problemas.
Franco Luiz
Acho otima essa atitude mas se for fazer com todos os apps que roubam dados ..... as lojas de apps vao ficar bem vazias
Jefferson Rodrigues
Entre centenas de Procon espalhados pelo país, somente o de SP está a frente de casos de grande repercussão. Por que isso? Por que, quando esse mesmo órgão notificou os Correios para explicarem a cobrança da taxa de 15 reais nas encomendas internacionais, nada aconteceu? Duvido que esta notificação vai dar em algo.
Daniel R. Pinheiro
Acredito não ser o único que não aderiu a essa modinha que não dura até o fim do mês...
Só do app fazer a transformação na nuvem ja me deixou muito desconfiado. Tem vários apps que fazem essas transformações no proprio app quando vc esta offline. Faceapp exige que vc esteja sempre online.