Início » Celular » LG acumula US$ 2,5 bilhões em prejuízo com celulares desde 2015

LG acumula US$ 2,5 bilhões em prejuízo com celulares desde 2015

Última vez que LG Mobile fechou um ano com lucro foi em 2014; empresa foca em celulares intermediários para o Brasil

Felipe Ventura Por

A LG divulgou seu resultado financeiro do segundo trimestre, e surpresa: ela teve prejuízo na divisão de celulares. Isso vem acontecendo de forma tão frequente que ela já acumula mais de US$ 2,5 bilhões em perdas com smartphones desde 2015; a última vez que essa área da empresa fechou um ano com lucro foi em 2014, na época do LG G3.

LG G8S ThinQ

LG G8S ThinQ

O Tecnoblog fez as contas e descobriu que a divisão móvel da LG acumula prejuízo operacional de US$ 2,535 bilhões entre o início de 2015 e o segundo trimestre de 2019. Vale lembrar que os números deste post não consideram as outras áreas da empresa, como TVs e eletrodomésticos, que são lucrativas.

Em 2013, a LG Mobile estava bem, registrando lucro de aproximadamente US$ 64 milhões. A nova linha Optimus G fez sucesso, vendendo 1 milhão de unidades em quatro meses, e foi reforçada pelo LG G2 no ano seguinte — quando a divisão móvel teve mais outro resultado positivo.

A sorte da LG virou em 2015: as vendas de smartphone começaram a estagnar, crescendo míseros 1% em um ano, e a divisão móvel teve prejuízo. A empresa previa que o mercado se tornaria “cada vez mais competitivo” no ano seguinte, mas prometia reagir.

Não deu certo: a LG Mobile sofreu prejuízo superior a US$ 1 bilhão em 2016. Ela explicou na época que “a lucratividade foi prejudicada por vendas fracas do smartphone G5 e por maiores investimentos em marketing”. Foi quando a empresa resolveu lançar o LG G5 SE no Brasil, uma versão capada com preço de topo de linha.

LG G5 SE

LG G5 SE

LG menciona celulares chineses ao explicar prejuízo

O prejuízo diminuiu bastante em 2017, e o LG V30 foi um dos responsáveis pela melhora no desempenho financeiro. Ainda assim, a companhia mencionou como riscos “um mercado desafiador e a forte concorrência de marcas chinesas”.

As perdas foram maiores em 2018; o LG G7 ThinQ não foi o bastante para impulsionar as vendas. E este ano, com o G8 ThinQ, a empresa já acumula quase meio bilhão de dólares em prejuízo, citando “demanda estagnada no mercado de smartphones e preços constantemente agressivos por marcas chinesas”.

O desempenho da LG Mobile depende bastante do Brasil: dos 99 milhões de celulares que ela vendeu globalmente desde 2016, 14 milhões foram aqui. Ela aposta em smartphones com preço intermediário para o mercado nacional, custando entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil; isso inclui o K12 Max, K12 Prime e K12+.

O país também recebeu o G8S ThinQ, versão do G8 sem alguns recursos como o DAC Hi-Fi para fones de ouvido de alta qualidade, mas mantendo o processador Snapdragon 855 e 6 GB de RAM; ele tem preço sugerido de R$ 4.299.

LG K12+

LG K12+

Estes foram os resultados globais da LG Mobile Communications com celulares a cada ano:

  • 2013: lucro de 64,45 milhões
  • 2014: lucro de US$ 295,29 milhões
  • 2015: prejuízo de US$ 103,17 milhões
  • 2016: prejuízo de US$ 1,09 bilhão
  • 2017: prejuízo de US$ 192,33 milhões
  • 2018: prejuízo de US$ 700,65 milhões
  • 2019 (até o segundo trimestre): prejuízo de US$ 449,45 milhões

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

GTR TELEFONIA

nexus 4 e 5 sim foi top tive os 3
.o meu 5x jesus morreu na atualização do 8.1 com loop da morte que zuava o processador e o meu foi junto com 99% dos 5x.

depois desse dia prometi p mim mesmo q lg nunca mais

GTR TELEFONIA

ainda vai me lançar o bendito x2 com snap 425. depois bota culpa nos chineses kkkk.

lg sendo lg ,fazendo [email protected] sempre

francisco jansen

Acesse: https://brunoespiao.com.br/...
e veja como é facil grampear um celular...

Felipe Liʍa

pois eh.. G3 e o G4 continuaram com esta "fama" de problemas das placas, pessimo suporte, etc.. :/

Bem que a LG poderia desenvolver as cameras para outras emrpesas, assim como ela faz com as telas!

Felipe Liʍa

tive o Nexus 4 (LG) tb! ele so "morreu" por causa da atualizacao do Google.

ja o G3 eu so conseguia usar ele com Custom ROM! Apesar de 2 GB RAM, a ROM da LG era muito lento. Fora que a tela de 2K consumia muito a bateria. Esse pra era os principais problemas! Ja a Tela e a Camera era muito bons!

Antony

Tive um Optimus G e um G3, o Optimus G depois de anos vendi, o G3 se suicidou do alto de uma janela depois de 2 anos de uso, então não tenho do que reclamar. Mas sei que esses problemas ocorriam com muita gente, era loteria.

Comentário Mil Grau℗

Eu gostava do meu G2, mas dps da péssima LG não conseguir consertar o problema (se trocasse a placa mãe o problema voltaria, pois é crônico) eu acabei desistindo da LG e, sinceramente, não sinto falta.

Felipe Liʍa

O problema e depois de 1 ano esses LG sofrer defeitos de hardware! O Meu G3 deu problema no touch depois d 1,5 ano d uso.. isso pq tinha atualizado com a última versao oficial pra ele na epoca!

Felipe Liʍa

Câmera e as telas! Ate hoje o meu antigo G3 tinha uma excelente tela "2k"

André G

Quando a Motorola foi vendida pra Google eles já estavam com um projeto de reformulação encaminhado, pelo menos foi isso que um dos cabeças da Motorola falou na época, pois estavam dando muito mérito pra Google e ele disse que o mérito era da equipe que já estava na Motorola.
E eu acredito nisso pois eu tive um Razr i que foi lançado um ano antes da Motorola ser vendida e ele já tinha um Android bem puro.

Celso

E é possível afirmar que desses 14 milhões de aparelhos dela vendidos no Brasil de 2016 pra cá, boa parte devem ser apenas do X Power ou K10, sobrando um pouco para o K10 Novo, K4, K4 Novo e K4 Lite.
Certamente os aparelhos dela lançados aqui em 2018 e 2019 são poucos relevantes nesses números (chuto que se tudo chegou a 100 mil unidades vendidas, foi muito).

Celso

Mas a Motorola só mudou o conceito porque a divisão móvel passou a responder para uma outra empresa, com outros valores e objetivos (a Google).
A LG, mesmo mudando chefe de divisão e tals, ainda segue com a mesma filosofia, e talvez o fato de que muitas lideranças são apenas remanejadas, e não gente de fora com outra mentalidade, explique o porquê de passa ano, entra ano, ela parece cometer os mesmos erros (isso quando não os aprofunda).
E os orientais geralmente são mais resistentes a mudanças radicais, e em gestão empresarial não deve ser muito diferente.

PinPortal ✔️

O que acontece é que essa competitividade em excesso é ótima para o consumidor, mas chega a um ponto que grande empresas podem vender aparelhos com prejuízo para ganhar mercado e quebrar as pequenas empresas.
Agora as pequenas suportam prejuízo por um certo tempo, depois quebram. Isso iria acontecer cedo ou tarde. Tem mais fabricante de baixo custo chinesa lá na China do que a soma de todas as outras do mercado (nokia, Motorola, Asus, Nokia, etc).
Elas brigam muito por preço, aí acabam quebrando. Eu já tive celular da Oukitel e hoje prefiro de marcas mais confiáveis. Se for para ter uma chinesa, apostaria em um Lenovo, xiaomi, ZTE ou Huawei. As outras podem quebrar e perder o suporte do dia para noite. Esse mercado é feroz, é por isso que a Lenovo mudou o foco da Motorola, nas mãos do Google tinha dois aparelhos Moto G e Moto X, sendo que comprei o moto G1 por 600 reais. Hoje custa mais de 1000 reais. Xiaomi também aumentou os preços. Não dá pra continuar vivendo vendendo aparelho por preço de custo.

A LG tem prejuízo na área mobile de novo, desde 2015 ela tem prejuízo nessa área. Se somados de 2015 até 2019, essa área deu prejuízo de mais de US$ 2,5 bilhões.
PORÉM ela tem outras áreas que conseguem absorver esse prejuízo, como TVs e eletrodomésticos, que são lucrativos. E t assim têm empresas que podem fazer com a LG e absorver o prejuízo causado pela área mobile, mas como não veem retorno a longo prazo, preferem desinvestir dessa área (foi o que aconteceu com a NOKIA, BlackBerry e rumores de que a HTC também vai fazer isso).

Uma questão interessante, no relatório de janeiro de 2018, a LG Mobile afirmou que os riscos do negócio eram “um mercado desafiador e a forte concorrência de marcas chinesas”
Agora nesse último relatório financeiro trimestral (de hoje, dia 30/07), a LG Mobile disse “demanda estagnada no mercado de smartphones e preços constantemente agressivos por marcas chinesas”

Coincidência, né? As marcas chinesas serem citadas em ambos os momentos, né? Agora imagina o seguinte. Todo mês aparece uma nova marca chinesa oferecendo mais hardware com um preço menor que as outras próprias marcas chinesas que já vendiam barato. Se a LG Mobile tem prejuízo de bilhões, imagina o que acontece com uma empresa dessa, que diferente da LG, não tem como absorver esse prejuízo com outras áreas lucrativas. Aí elas fecham. É simples assim.

2013 a líder do mercado chinês era a Lenovo. 2014 foi a Xiaomi. E cada vez vai mudando, quem oferece preço mais barato, consegue mais mercado. Aí uma hora se não tiver investimento de acionista, quebra. Você pode ver que Huawei e ZTE não ficam brigando mais por preço baixo. Elas querem disputar com as líderes Samsung e Apple, principalmente a Huawei. E assim está crescendo ano após ano (tirando o problemão com os EUA).

Wellington Gabriel de Borba

Acho que falta reposicionar produtos e criar um novo conceito de marca. Deu certo com a Motorola.

Maicon Bruisma

Mesmo com aparelhos intermediários e low toda empresa precisa de um bom top quando se é um player grande. G5 SE inferior aos outros e no BR capado, G6 que tinha hardware defasado, G7 com um baita notch, sem recursos que diferenciasse da concorrência e no BR com preço alto. G8s "capado" em relação ao modelo gringo, notch de geração anterior, diferencial que não chama a atenção do grande público e que lá fora será ofuscado pelo Pixel 4.
Teve um dos melhores aparelhos de 2013 e 2014, fez o Nexus 4, 5 e 5x, aparelhos como o V20 e V30 que chamavam a atenção pelo design e a qualidade do som.
Ela mesma se matou.

Exibir mais comentários