Início » Negócios » Motorola tem lucro trimestral após brasileiro assumir comando da empresa

Motorola tem lucro trimestral após brasileiro assumir comando da empresa

Sergio Buniac é presidente da divisão mobile da Lenovo, que inclui Motorola; fabricante lucrou US$ 7 milhões em dois trimestres

Por
31/07/2019 às 16h55

No ano passado, o brasileiro Sergio Buniac se tornou o presidente global da divisão mobile da Lenovo, que inclui a Motorola: ele tinha o desafio de reverter os constantes prejuízos da marca, e conseguiu. No último trimestre de 2018 e primeiro trimestre de 2019, a fabricante somou US$ 7 milhões em lucro — e quer lançar mais celulares para manter esse desempenho.

Motorola One Vision

Motorola One Vision

Entre outubro e dezembro de 2018, a Motorola registrou US$ 3 milhões de lucro. De janeiro a março deste ano, a empresa conseguiu mais US$ 4 milhões em ganhos. Buniac diz em entrevista ao Valor que o objetivo é manter de quatro a seis trimestres consecutivos de lucratividade.

O executivo promete acelerar o ciclo de lançamentos da Motorola para chamar a atenção dos consumidores e lutar contra a retração no mercado de smartphones; a IDC estima que a venda de celulares deve cair 1,9% em relação a 2018.

Por isso, a Motorola quer colocar seus produtos no mercado assim que o desenvolvimento estiver finalizado nos laboratórios, em vez de esperar por momentos específicos — como fazem Apple e Samsung, por exemplo. “Se você quer ter inovação, não pode ter as amarras das gerações”, diz Buniac.

Ele diz que o foco estará na linha Motorola One, que inclui aparelhos intermediários com atualização garantida por dois anos. A empresa vem se afastando do high-end, lançando o Moto Z4 com processador Snapdragon 675 e dizendo que não terá novos celulares Moto Z este ano.

Motorola saiu de alguns países para reverter prejuízo

Sergio Buniac

Sergio Buniac

O presidente da Motorola reverteu os prejuízos após encerrar as operações em alguns países emergentes, como a Malásia e o Quênia, que não davam resultado. “Havia uma ideia de que era normal perder dinheiro nesse mercado, que é assim que funciona, mas não é”, explica Buniac ao Valor.

Os esforços foram concentrados na América Latina, EUA e Europa. Ele também reduziu em 30% a variedade de componentes usados nos celulares, e reorganizou o alto escalão de executivos em vários países.

A margem de lucro ainda é minúscula, girando em torno de 0,3%. Ou seja, de cada US$ 100 em faturamento, a Motorola consegue manter apenas US$ 0,30 como lucro; o restante vai para custos de desenvolvimento, fabricação, marketing, entre outros. Ainda assim, é um resultado melhor do que empresas como a LG, que acumula US$ 2,5 bilhões em prejuízo na divisão móvel desde 2015.

Com informações: Valor.

Mais sobre: ,
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários aqui.