Início » Legislação » Crítica de Trump à Amazon faz Pentágono adiar contrato de US$ 10 bilhões

Crítica de Trump à Amazon faz Pentágono adiar contrato de US$ 10 bilhões

Para Donald Trump, Amazon pode ter sido favorecida para vencer contrato para o projeto JEDI

Por
02/08/2019 às 15h40

Amazon ou Microsoft. Uma das duas estava prestes a botar as mãos em um contrato de US$ 10 bilhões para prestação de serviços nas nuvens ao Pentágono, mas o Departamento de Defesa dos Estados Unidos decidiu suspender a concorrência. O motivo? Para o presidente Donald Trump, o processo pode ter sido manipulado para favorecer a Amazon.

Foto por Gage Skidmore/Flickr

Donald Trump (Foto: Gage Skidmore/Flickr)

Há algum tempo que o Pentágono procura um fornecedor único para o Joint Enterprise Defense Infraestructure (JEDI), projeto de computação nas nuvens e inteligência artificial que deverá ser capaz de processar grandes volumes de dados para fins militares e segurança.

É um projeto complexo, do tipo que só empresas grandes conseguem dar conta. Por isso, a concorrência acabou sendo reduzida a poucas companhias: Amazon, IBM, Microsoft e Oracle, basicamente. O Google também estava no páreo, mas desistiu no ano passado sob o argumento de que as exigências do Pentágono não se alinhavam aos seus princípios éticos.

Com o decorrer dos meses, o Pentágono acabou limitando a concorrência a dois fornecedores: Amazon e Microsoft. É aqui que os conflitos começam: a Oracle reclama de ter sido eliminada do processo injustamente.

Em ação judicial movida em dezembro do ano passado contra o Departamento de Defesa, a companhia alega que as condições impostas pelo Pentágono foram criadas para favorecer a Amazon.

O assunto acabou chegando a alguns parlamentares que, por sua vez, transmitiram as queixas da companhia a Donald Trump. Semanas depois, o presidente deu a entender que a Amazon pode mesmo estar envolvida em uma conspiração para ganhar o contrato com Pentágono.

Foto por Smithsonian Institution/Flickr

Jeff Bezos (Foto: Smithsonian Institution/Flickr)

Trump pediu ainda para que o assunto fosse investigado. Por conta disso, o Pentágono suspendeu temporariamente a concorrência. O processo será revisado por Mark Esper, novo Secretário de Defesa, que já tratou de deixar claro que nenhuma decisão será tomada até que ele conclua esse trabalho. Até então, a intenção era anunciar o vencedor do contrato neste mês.

Não é a primeira vez que Donald Trump se estranha com a Amazon. No ano passado, o presidente acusou a companhia de prejudicar o Serviço Postal dos Estados Unidos. Trump também acredita que Jeff Bezos usou o Washington Post para prejudicar a sua eleição — o jornal pertence ao fundador da Amazon desde 2013.

Com informações: The Verge, Politico.