Início » Negócios » Sem Parar aposta em pagamento via reconhecimento facial para ir além do pedágio

Sem Parar aposta em pagamento via reconhecimento facial para ir além do pedágio

Ideia é permitir pagamento via reconhecimento facial em estacionamentos e outros serviços

Emerson Alecrim Por

Com 5,5 milhões de clientes, o Sem Parar quer mais. A companhia deixou isso claro em um evento realizado nesta terça-feira (20), em São Paulo (SP), que além de introduzir o novo padrão visual da marca, serviu de palco para alguns serviços que estão vindo por aí. Um deles é uma opção de pagamento por reconhecimento facial.

Sem Parar

O Sem Parar continua fortemente focado no serviço que tornou a empresa conhecida: o pagamento eletrônico de tarifas de pedágio que, como tal, libera automaticamente a cancela para passagem do veículo.

Mas, aos poucos, a empresa deixou de marcar presença apenas nas praças de pedágio. Hoje, os serviços de pagamento do Sem Parar também estão presentes em 1.300 estacionamentos, 650 postos de combustível e, graças a uma parceria estabelecida no ano passado, no drive thru de 300 unidades do McDonald’s.

Mais recentemente, o Sem Parar passou a permitir pagamentos em lava-rápidos. A empresa pretende chegar a 150 unidades do tipo até o final de setembro.

Boa parte dos estabelecimentos parceiros está localizada em áreas urbanas. É com foco justamente nelas que a nova modalidade de pagamento via reconhecimento facial está sendo desenvolvida. A intenção com a tecnologia é dar ao usuário a opção de usar o Sem Parar fora do carro sempre que lhe for conveniente.

Estacionamentos são o alvo inicial. A ideia é permitir que o usuário se aproxime de um totem do serviço e seja identificado pelo sistema de reconhecimento facial. Este, por sua vez, acionará um manobrista para trazer o veículo e processará o pagamento.

O sistema foi idealizado para funcionar da maneira ágil. Pelo menos essa é a impressão que os totens de demonstração disponíveis no evento passaram: a identificação do usuário era realmente rápida ali. Sequer era preciso ficar bem próximo da câmera para o reconhecimento funcionar.

Sem Parar - totem

Apesar de não ter dado detalhes, a empresa enfatizou que a ideia é permitir que o usuário pague diversos tipos de serviços usando a tecnologia de reconhecimento facial.

É claro que isso traz questionamentos sobre privacidade e segurança dos dados. Com relação a esses aspectos, a companhia diz que as informações do usuário (incluindo as imagens) são armazenadas de modo criptografado em nuvem privada e seguem as determinações do Marco Civil, do Código de Defesa do Consumidor e da LGPD.

A tecnologia passa por testes na capital paulista desde junho e, em setembro, deve estrear oficialmente na cidade em estacionamentos de locais como o Shopping Iguatemi e o Shopping Morumbi. A disponibilidade em outras cidades está prevista, mas vai depender do cronograma de expansão do Sem Parar.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

André G

Eu morei em Brisbane na Austrália, por lá tinham pedágios em algumas vias expressas da cidade, mas não haviam cancelas, a cobrança era feita toda automática e se vc não visse as placas alertando que tinha pedágio, vc nem saberia que passou por uma área de pedágio.
Para fazer o pagamento, você pode usar uma Tag(não sei se tem desconto, talvez a vantagem seja apenas a praticidade) que coloca no carro, isso facilita o processo, ou então nem precisa da Tag, o sistema reconhece sua placa. Aí você tem que entrar no site e fazer o pagamento do pedágio, senão vc recebe um "boleto" em casa te cobrando e tem umas taxas a mais.

O mais legal do pedágio é que ele cobra com base em quanto você percorreu na via, então se vc percorreu toda a via com pedágio eles te cobram preço cheio, mas se vc saiu na primeira entrada eles só cobram pelo trecho. Nos transportes públicos também é assim, você passa o bilhete único para entrar e sair do ônibus ou trem, assim é cobrado com base no trajeto percorrido.
Uma curiosidade sobre o transporte público: Quando os motoristas entravam em greve, eles continuavam trabalhando normalmente, porém, colocavam um papel sobre o leitor escrito "passe livre". Aí só quem se ferrava eram os donos do serviço pq não estavam recebendo e continuavam prestando serviço, diferente do Brasil que simplesmente tudo para de funcionar e todo mundo se fode.

Hugo Piovesan

Eu uso "Move Mais" a mais de um ano e sempre me serviu muito bem, não há mensalidade, apenas uma taxa de 10% ao adicionar créditos na conta. Os créditos não expiram. Gostei bastante

kadu

Prefiro pagar com cartão mesmo, obrigado.

@BlogDoDourado

Uso o Veloe que não tem mensalidade, veja se tem aí aonde mora

@BlogDoDourado

Uso o Veloe que não tem mensalidade, veja se tem aí

Jorge Luis

talvez liberdade econômica tenha impulsionado e facilitado a concorrência, possibilitando preços menores.

TotalNoob_Vs_theZ

Tb concordo que o preco eh muito caro.

Nao sei em outros paises, mas nos Eua, o ezpass, sunpass ( estes sao os q eu conheco) nao cobram mensalidade alguma. Soh eh cobrado qdo vc passa no pedagio. Na verdade, ainda dao desconto por estar usando ele. O unico investimento eh a compra do aparelhinho que vai no vidro.

Como sao em outros paises? Como foi que fizeram assim nos Eua sem mensalidade?

Fabio Santos

Eu pago o urbano são 4,99 mensais raramente que pego o carro na estrada dai tem o adicional de 15,90, carro pra mim em SP é shopping e posto, moro há anos em SP mais a maior distancia que percorro é guarulhos cumbica para aeroporto odeio viajar de carro.

qwertt

Menos mão de obra não-especializada

Gabriel Naldis

Assino embaixo!

André G

Eu torço para que serviços concorrentes como a Taggy cresçam muito. Pagar 25 reais por mês pra usar o Sem Parar é muito caro, só vale a pena pra quem pega muito pedágio.
Serviços assim deveriam ser mais baratos que o pagamento para um cobrador que fica na cancela, pois estão usando menos mão de obra.