Início » Celular » Desmanche do Galaxy Note 10+ mostra novo motor no lugar da entrada para fone

Desmanche do Galaxy Note 10+ mostra novo motor no lugar da entrada para fone

Samsung Galaxy Note 10+ é o primeiro da linha Note sem entrada de 3,5 mm para fone de ouvido

Paulo Higa Por

O Samsung Galaxy Note 10 só dará as caras no Brasil em 2 de setembro, mas as primeiras unidades já estão começando a ser entregues ao redor do mundo. Como de costume, o iFixit desmontou o lançamento da Samsung, em sua versão 5G, para mostrar o que há dentro dele: parafusos padronizados, muita cola na bateria e um novo motor de vibração no lugar da antiga entrada de 3,5 mm para fones de ouvido.

Galaxy Note 10 (Foto: iFixit)

Este é o primeiro celular da linha Note sem entrada P2 (ou P3): a Samsung explica que removeu o componente para aumentar a capacidade da bateria em 100 mAh, um incremento de 2% a 3%, dependendo do modelo. Além disso, o espaço adicional teria permitido à empresa melhorar o motor de feedback tátil.

No canto onde antes ficava o P2, o iFixit realmente encontrou um novo motor de vibração: ele é quadrado (em vez de circular) e maior que o das gerações passadas. A mudança indica que a Samsung teve mais cuidado com a tecnologia háptica, que era criticada por ser barulhenta demais: “Você consegue ouvir o motor de vibração, o que acaba com o propósito de colocar o telefone em modo de vibração”, diz o SamMobile.

Galaxy Note 10 (Foto: iFixit)

Novo motor de vibração no lugar da entrada para fone de ouvido

A Apple fez uma mudança semelhante no iPhone 7, que ganhou um motor de vibração chamado Taptic Engine e também aposentou a entrada de 3,5 mm para fones de ouvido. Na época, a Samsung criou propagandas tirando sarro da decisão da Apple. As peças publicitárias foram removidas do YouTube pela própria Samsung no início de 2019, meses antes do anúncio oficial do Galaxy Note 10.

Já o desmanche do Galaxy Note 10+ 5G não mostra grandes novidades. O iFixit comemora o fato de muitos componentes serem modulares e substituíveis de forma independente; apesar disso, o fim da entrada P2 pode significar um desgaste maior na porta USB-C. Há uma grande quantidade de cola na tampa traseira de vidro e principalmente na bateria, o que torna sua troca “mais difícil do que nunca”.

Galaxy Note 10 (Foto: iFixit)

O módulo de antena do Galaxy Note 10+ 5G

Por dentro, vemos uma bateria enorme de 16,56 Wh e capacidade típica de 4.300 mAh que pesa 59,1 gramas (quatro a mais que a do Note 9), uma memória flash eUFS 3.0 de 256 GB da Samsung, uma RAM LPDDR4X de 12 GB da Samsung, um processador Qualcomm Snapdragon 855 (o Brasil receberá a versão com Exynos) e um retângulo verde que pode ser o Qualcomm QTM052, um módulo de antena 5G mmWave.

Do lado positivo, o Galaxy Note 10+ possui parafusos do mesmo tamanho, então você só precisa de uma chave de fenda. No entanto, por causa do excesso de cola e da forma como o celular é montado, reparos simples, como a troca de tela, exigem um desmanche completo. Por isso, o aparelho ganhou nota 3/10 no índice de reparabilidade — ou seja, é mais difícil de consertar que o Galaxy Note 9, com nota 4/10.

Galaxy Note 10 (Foto: iFixit)

O Galaxy Note 10 e o Galaxy Note 10+ serão anunciados no Brasil em 2 de setembro. A versão com 5G inicialmente não será vendida por aqui. A Samsung ainda não divulgou os preços locais. Nos Estados Unidos, os smartphones custam a partir de US$ 949 (Note 10) e US$ 1.099 (Note 10+).

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

rmcrys

A Samsung, Apple e Huawei apenas querem abrir mercado para cima: cobram caro mas oferecem o que de melhor há. Se você quiser tem sempre Xiaomi MI9 por metade do preço com muitíssimo boas características, ou mesmo um atual S10 ou um S9+ por 1/3 do preço.

Quer o melhor dos melhores? Aí paga, mas também tem que ter para o fone bluetooth de qualidade (Já consegue algo bem razoável por 25-50$). Eu num portátil de topo espero ecrã 4K, HDR e USB-C com Thunderbolt e talvez 1 único USB A. Se necessito uso um teclado e rato sem fio. As minhas impressoras/ scanner por exemplo estão conectadas por ethernet logo tampouco necessito um usb A para as ligar.

rmcrys

Não li nem me interessa o que a Samsung diz. Eu já não uso fone com fio há uns bons anos, desde que o AptX existe (e há fones compatíveis). A qualidade de som é fantástica e a liberdade de movimentos é ótima. Posso ter o smartphone carregando sem fio e estar ainda assim a conversar ou ouvir música cozinhando, trabalhando, etc sem ter que andar com o smartphone atrás.

Se a indústria não der o passo em frente, os smartphones ainda estariam usando mini usb (e não micro usb ou usb c). Num futuro nem usb teremos, será tudo sem fio (carregamento e transmissão de alta velocidade).

Quem quiser ficar no passado tem solução: compra smartphone mais acessível.

adrianonorthingan

Logicamente que gasta, mas ainda não faz sentido essa desculpa da samsung

Luizx

n esqueçam o fato de que o radio so funciona com fone plugado se vc tiver so o usb c e tiver descarregando vc fica entre ouvi o jogo do seu time ou carregar o cel

Reginaldo Ribeiro

Tenho um fone de ouvido com cabo na cabeceira da minha cama (um apple earpod) e meu primeiro fone Bluetooth, um Philips SHB-9100 over ear, ambos comprados no longínquo ano de 2013 e que funcionam bem até hoje, e mais recentemente um BlitzWolf chinês sensacional, que é ridiculamente barato, que uso na academia e para correr. Só uso ainda os earpods pois acho eles mais confortáveis para usar deitado na cama, do contrário, não vejo motivos para ainda se prender ao cabo, salvo os audiófilos. A diferença de preço é muito pequena hoje em dia, e duram até mais pois não corre o risco de estragar o cabo. Faz 6 anos que investi nos meus fones, estão ótimos até hoje.

Cristiano Hahn

então eu sou o batman , pois escuto perfeitamente a diferença entre meu fone jbl e meu fone bluetooth

rmcrys

Não, não é "alto falantes" nem "altofalantes" mas sim altifalantes em português e em português segundo o acordo ortográfico. O que usas na realidade ... isso é outra coisa.

Quanto ao bluetooth perder: você está a misturar todos os codecs e não faz (mesmo) ideia do que é aptX, aptX HD, aptX Adaptive ou LDAC. Se você usar um FLAC via bluetooth com AptX HD ou Adaptive e ouvir diferença para um fone com fio, é o meu herói.

Fabio Santos

Isto vai de cada usuário eu uso high end da Apple e desde a era do 6 uso o fone bluetooth do moto G3, porém tenho amigos com S10 e Xs Max que ainda preferem usar fones com fio por serem bem descuidados e até pelo fato da bateria dos fones bluetooth terem vida útil , falando em vida útil o meu já troquei a bateria duas vezes.

Cristiano Hahn

além do mais, é alto falantes, e bluetooth, tem qualidade bem pior, pode fazer teste, use um arquivo flac ou wav, e não lixo de mp3 e vc verá que bluetooth perde quase metade do áudio, é todo capado essa merda!

Igor Costa

No final das contas, acredito que o usuário que adquire um aparelho desse valor não tem porquê usar um fone com fio. Sem falar que fones sem fio são muito mais práticos.

Acho errado é tirar a entrada P3 de aparelhos de entrada e intermediários.

Cristiano Hahn

você não entende nada sobre áudio, tenho um fone jabra elite active 65t, e em qualidade perde para um fone com fio jbl de 60 conto, então não venha bostejar sobre algo que vc sequer sabe!

rmcrys

Bosta só se não souberes ou tiveres dinheiro para um. Uns bons fones por bluetooth 5 e com bons codec e som, não só tem os mesmos "altifalantes" como a transformação do som para analógico é feita pela marca, além de durar a bateria umas 6 a 9h ou mais.

Ah... e não tens fios, logo desporto e movimento não ficam limitados. Fios é tão século passado...

ruberson furtaado

"""mas uma vibração firme e silenciosa faz a diferença no dia-a-dia sim..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ai Pai Para!! https://media1.giphy.com/me...

rmcrys

Você julga que o DAC e o circuito amplificador para fone por cabo não gasta energia?

adrianonorthingan

Sim ganha 100 mAh e perde 100 mAh usando o bluetooth

Exibir mais comentários