Início » Brasil » Justiça proíbe demissão de funcionários do setor de TI em SP por 90 dias

Justiça proíbe demissão de funcionários do setor de TI em SP por 90 dias

Decisão do TRT determina ainda reajuste salarial de 3,43% retroativo a janeiro de 2019

Emerson Alecrim Por

Por decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), nenhum funcionário do setor de TI poderá ser demitido pelos próximos 90 dias em todo o estado de São Paulo. A Justiça também determinou que os empregados da categoria tenham reajuste de 3,43% sobre salários e demais benefícios.

A decisão foi comemorada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd), que entende que a decisão é uma forma de punição para as empresas pelo fato de o assunto ter sido levado ao judiciário.

Isso porque as negociações do Sindpd com as companhias para reajuste salarial e outros benefícios teriam começado no início do ano, mas terminaram sem acordo.

O Sindpd explica que, após realizar assembleias em todo o estado para discutir reivindicações e campanha salarial, protocolou abertura de negociação no Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Serviços de Informática do Estado de São Paulo (Seprosp) em janeiro de 2019.

notebook mãos / pexels

No entanto, as tentativas de negociação foram frustradas. Com base na reforma trabalhista, o Seprosp teria exigido a retirada de cláusulas e direitos dos empregados. O impasse levou o Sindpd a procurar o TRT.

Na decisão judicial, o reajuste salarial foi estabelecido em 3,43% de modo retroativo a 1º de janeiro de 2019. O mesmo percentual de reajuste é válido para vale-refeição, auxílio-creche e outros benefícios.

Além disso, as empresas não poderão demitir funcionários de TI no prazo de 90 dias após 28 de agosto, quando a decisão do TRT foi estabelecida.

Na verdade, as demissões até são possíveis, mas o trabalhador dispensado terá direito a receber, além do aviso prévio, salários na íntegra como se tivesse trabalhado até o fim de novembro de 2019.

Luigi Nese, presidente da Seprosp, disse que a entidade concorda com o reajuste salarial, mas não com o impedimento de demissões. "Não achamos correto a decisão de conceder essa estabilidade. Nossas empresas trabalham sob o regime de contratos e têm o direito de se planejarem", declarou.

Com informações: Agora.

Mais sobre: , ,

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

zephyr1an
"No entanto, as tentativas de negociação foram frustradas. Com base na reforma trabalhista, o Seprosp teria exigido a retirada de cláusulas e direitos dos empregados. O impasse levou o Sindpd a procurar o TRT.esqueci de comentar na época: quem acha que está a salvo das "reformas" anti-trabalhador feitas nesses últimos anos, aguarde, você ainda vai ser "atingido" pelas tais "reformas"
Juliano Penna
Outra anomalia brasileira (que deve existir também em outros países). Se as circunstâncias mudam, o mercado muda, os funcionários mudam, os "direitos" também mudam.
Paulo Pilotti Duarte
Bom, não me parece que você saia da sua bolha. Eu não preciso porque eu sou bastante pobre e convivo diariamente com essas dificuldades, sair da minha bolha seria ir pro seu mundo e, confesso, não quero. Se você está acompanhando programas sociais seria interessante falar mais com as pessoas ao redor e ouvi-las para entender as suas dificuldades diárias e tentar ajudar de fato. Ou, se você for muito sortudo, os programas que você acompanha sã tão bem sucedidos que as pessoas conseguem sair da pobreza apenas pelo próprio esforço. Vai saber né. Tem desempregado que acredita no Amoedo.Outra coisa, não dei exemplos empíricos - seriam empíricos se eu, por exemplo, falasse de alguma relação que eu tive com a tecnologia ou evocasse fatos sem dados baseados em experiências pessoais pura a simplesmente; pelo contrário, até fonte lhe passei. Escute o Tecnocracia que ali tem amplo material, se não quiser escutar leia ou, pelo menos, siga os links do texto. Se você fizer isso vai ver que todos os meus argumentos criticados no seu segundo paragrafo estão respaldados por dados e estudos coletados em diversos países.Outro ponto é que não é relevante se a relação de poder de processamento por dólar diminuiu porque os modelos novos de computadores se mantêm num patamar que é proibitivo para as periferias na maioria das vezes. Não é porque usamos processadores mais potentes pelo mesmo preço dos menos potentes que esse preço passou a ser acessível para quem não tem condições. A causalidade se dá no momento em que um notebook novo custa, quase sempre, o mesmo preço (independente do seu poder de processamento) e esse preço se mantém inacessível para a maior parte das pessoas pobres. O que pode ocorrer - e ocorre - são os computadores usados ficarem mais potentes e mais acessíveis. Mas o ponto não era esse, eu saliento no meu comentário anterior, inclusive, que eu falava de dispositivos novos. Melhor ler de novo, leitura e interpretação é um dos grandes problemas da educação brasileira.Por fim, mas não menos importante, não acredito que o problema seja a epistemologia (e não acho que caiba uma discussão sobre teoria geral de sistemas num fórum de internet) e sim o fato de que nos acostumamos a usar, como você o fez ao final, um belo ad hominem para disfarçar alguns argumentos fracos ou que são pouco respaldados cientificamente. Não quero ter que erguer hipotese , metodologia, motivação e resultados num fórum do Tecnoblog (eu fiz isso na época do Orkut com o pessoal que hoje escreve no Mises Brasil e já cansei, sinceramente). E também não acho que você queira isso.
Dayman Novaes
Tenho contato com relatos de "fora da bolha" todos os dias (acompanho programas sociais, alguns deles voltados para tecnologia, e outros não).Mas exemplos empíricos na forma que você deu, apesar de serem emocionantes, não invalidam uma palavra do que eu disse. Eu só expressei relações e tendências. Você expressou julgamentos de valor ("ainda tá caro" "falta muito ainda" "empresas sem disposição", etc).O único contra-argumento que identifiquei, foi quando você diz que a "tecnologia não avançou no setor", porque o preço dos notebooks estagnaram. De fato os preços estagnaram, mas o poder computacional continua aumentando. Então o preço/poder-computacional continua caindo (desde a época das cavernas). Então um notebook que seja suficiente para programar, está ficando cada vez mais barato (e é difícil afirmar o contrário...).Concordo com todo o resto que você disse. Uma pena que não contra-argumentou o que eu disse. Mas já me acostumei com isso, a metodologia epistêmica mainstream é muito fraca.
Phellipe Henrique
"o Seprosp teria exigido a retirada de cláusulas e direitos dos empregados. O impasse levou o Sindpd a procurar o TRT."Direito adquirido não se retira.
Paulo Pilotti Duarte
A barreira de entrada segue sendo alta porque o preço de acesso à tecnologia segue sendo alto. Facilitou muito nos últimos anos mas ainda temos bolsões de pessoas que não tem acesso à internet (seja por moreram em zonas de baixo ROI ou porque não ganham o suficiente para pagar uma internet com capacidade para estudos/lazer) e os PC's estagnaram em preços. Dificilmente se acha fora do mercado de usados um PC com configurações boas e que não esteja no preço normal (~R$1500) porque as empresas não vendem PC's abaixo desse preço que sirvam para desenvolvimento sem maiores gargalos (existem PC's mais baratos mas eles vão trazer uma barreira adicional para quem for desenvolver usando eles). A barreira econômica inicial para se entrar no mercado de desenvolvimento segue sendo a mesma.Ademais, ainda temos o acesso a educação das pessoas pobres (como eu disse, existem inúmeros tipos de aprendizagem, não dá esperar que todo mundo aprenda com EAD apenas) e posteriormente o acesso a oportunidades. Empresas menores, sabidamente as que mais contratam, sempre irão levar em conta os custos de transporte (não apenas financeiros, mas físicos e mentais das pessoas que moram na periferia e que precisam, acordar 2h antes de quem mora no centro) por exemplo. Ainda assim, ainda teremos as barreiras sociais que impedem, por exemplos, que se tenha uma representatividade decente no mercado de TI em relação à gênero e raça.A tecnologia ajuda muito no acesso das pessoas mas não é bala de prata. Acreditar que a tecnologia aliada ao capitalismo vão sanar essas barreiras "por obra do mercado" não é saudável e vai nos levar a espelhar as mazelas sociais das época antes da tecnologia.Recomendo: https://manualdousuario.net...Esse Tecnocracia o Guilherme (criador da Novelo) faz um belo ensaio sobre as empresas fomentam a manutenção do status quo da desigualdade de oportunidades dentro dos seus quadros de TI e desenvolvimento.~~Ponderando, pode-se dizer que a oferta de programadores é estável e a questão é que as empresas, muitas vezes, não estão dispostas a darem chances àqueles com um perfil distinto do programador usual (que eles já contratam) e/ou criar oportunidades de entrada no mercado afim de formar profissionais da área, o que nos leva a crer que a demanda por programadores é maior do que a oferta de pessoas que as empresas querem contratar. E nem é uma questão de conhecimento técnico, muitas vezes.Recomendo: https://jovemnerd.com.br/ne...Nesse EP o André Souza fala de como ele enfrentou preconceitos por todos os lados por ser um cara de humanas querendo trampar com computação e, mais ainda, por ser negro. Vale a pena ler um relato de fora da bolha.
Dayman Novaes
Eu tinha realmente afirmado que é uma das profissões deve ter a melhor proporção de salário/experiência, mas talvez não foi a melhor análise, porque não levei em conta a barreira de entrada (computador + internet). Acho improvável ter uma análise absoluta e boa suficiente, englobando todas as profissões, porque os contextos de vida das pessoas são muito diferentes.Deixa eu deixar minha análise mais específica então:Para todo mundo que tem computador + internet, programador é a profissão que tem a maior razão salário/experiência.O motivo disso é simples: demanda aumentando mais que a oferta.Aí eu fiz uma análise de porque a demanda está aumentando (mercado expandindo).E você fez uma análise de porque a oferta aumenta devagar (alta barreira de entrada).Até aqui deu pra concordar no assunto principal da conversa: programadores, em geral, relativo à outras profissões (e com semelhante barreira de entrada) e experiência necessária, é a profissão que mais paga bem.Agora sobre o assunto da estratificação da sociedade: essa afirmação não faz muito sentido. O conceito de estratificação, com essa tonalidade pejorativa, e comumente associada como sendo inerente ao mercado, é incorreta e maligna. É incorreta porque não é inerente ao mercado. À medida que o capitalismo evolui, a tendência é que as desigualdades diminuam cada vez mais (mesmo que seja difícil perceber para algumas pessoas).Aplicando isso no seu exemplo:Você afirmou que a barreira era alta, e que por isso a oferta aumenta devagar, e que por isso a sociedade é estratificada. Mas a verdade é que à medida que a tecnologia vai ficando mais barata, que computadores e celulares vão evoluindo poder computacional, que acesso a internet vai sendo universalidade, a barreira de entrada vai ficando cada vez menor.Uma previsão óbvia é a seguinte: vai chegar um momento que a barreira de entrada vai diminuir numa velocidade maior X, permitindo aumentar a oferta de programadores numa velocidade maior Y, que vai superar o aumento do mercado (e demanda de programadores) numa velocidade Z, que programador deixará de ser a profissão que tem melhor proporção de salário/experiência.
Paulo Pilotti Duarte
Você disse que é fácil ganhar bem, e é. Mas é pra poucos e normalmente de quem veio de cima. Se pra você isso é OK, não tem problema, você apenas defende uma sociedade estratificado ao máximo possível.
André Tanaka
Essa opção se chama PJ
Dayman Novaes
Pois é, é óbvio que as dificuldades existem. Dificuldades existem em todo o lugar e sempre vão existir. Nenhuma profissão é um paraíso, das profissões mais bem pagas do mercado (diretores, CEOs, etc.) até às profissões mais mal pagas, todos têm as suas dificuldades. Gerar valor para os outros é difícil, monetizar o valor gerado (em forma de salário) é mais difícil ainda, viver é difícil, no geral.Mas as dificuldades que você descreveu não justificam a decisão da Justiça. Não justificam onerar todo o mercado, com inflação, para beneficiar os programadores.
Rogerio Fernando
Você tem noção de quanto a gente estuda, já viu quanto custa os cursos bons de idiomas, de pos graduação etc, perde noites sem dormir, o stress que passa no trabalho pra "ganhar bem pra caramba" ? É cada uma viu
Rogerio Fernando
Ué, não tá feliz, deixa de ser programador, é cada uma viu
Porto Velho
Eu não sou programador e não estou desempregado.
Rogerio Fernando
Programador desempregado ? C deve ser ruim pra cacete
Dayman Novaes
Boa análise. Barreira de entrada alta = menor oferta = maior preço. Também concordo com o que eu disse.
Paulo Pilotti Duarte
É que eu só tive contato com pseudociência fora da astrologia em 2005. Malz aê.
Paulo Pilotti Duarte
Depende, tem uma alta barreira de entrada para ser programador. Cursos livres ou aulas no Youtube não dão a mesma base que um curso presencial ou mesmo uma faculdade. No caso de uma faculdade, mesmo pública, tem-se a barreira do segundo grau e seus problemas com exatas, ou seja, usualmente aqueles que se dão melhor nesses cursos nas faculdades são os oriundos das escolas boas (e caras) do a país (com algumas exceções, como tudo). Nos cursos livres você tem a barreira do custo de cada um destes cursos que, quase sempre, é ao redor de R$4k no total.Nem todas as pessoas, ainda, conseguem aprender via EAD, aprendizagem não é algo exato e infelizmente não tem solução para todos.Assim, a profissão de programador depende de se ter um computador em casa (que não é barato) e assim poder praticar ou aprender na empresa (mas daí você tem que conseguir uma empresa que invista em treinamentos aos funcionários e essas normalmente tem processos de aprendizes e estagiários que são pontos de corte para pessoas de periferias e baixa renda).Se você faz todo esse recorte e ainda gênero e raça, é bem provável que programador seja a profissão com a curso mais íngreme de salários que temos hoje, mas, não é a mais fácil de se ganhar bem porque tem uma barreira enorme de entrada (não que as outras que eu citei não tenham também, mas a barreira da computação é bem mais alta).
Juliano Penna
Sindicato de TI.. PQP.. Uns dos melhores setores de empregabilidade e os caras inventam essa. Se garantam amiguinhos, o setor cresce e vocês crescem, mesmo sendo ruins como devem ser, simplesmente porque tem mais empresas que precisam de trabalhadores... Cabecinha Brasilis...
igor
Esse é o erro. Fazer com a média errada, vair dar resultado errado. Se divir 1300 por 4.33(300.23) em um ano 15600(igual à 12×1300). Agora, se fazer por uma média errada vai ser errado.
Dayman Novaes
Isso não muda muito o que falei. De todos os exemplos que você citou, programador continua sendo um dos mais fáceis de ganhar bem, por causa da expansão do mercado que ainda está em alta.
Rod
Não é empresário, eu suponho.
Rod
Privilégio, a gente vê por aqui.
Rod
FGTS rendendo menos que a inflação também. =)
Paulo Pilotti Duarte
Mas agora você mudou o seu argumento inicial. Sim, se eu sou um programador com 5 meses de experiência eu acho até OK ganhar 2k mensais, ao passo que um pedreiro com 10 anos de experiência não vai trabalhar por menos de 7k mensais.Duvido muito, contudo, que o salário de programadores seja muito maior do que de administradores experientes, tradutores, professores etc. Você mede o mercado pelo seu redor e isso, não necessariamente, é a regra (alguém até afeito ao estudo deveria saber que isso é evidência anedótica).O dado mais confiável que temos são os gráficos de salários que sites como Glassdoor dá e eles nos mostram salários bem baixos para programadores de nível junior/pleno pelo país.
Paulo Pilotti Duarte
Eu acho surreal como desde 2005 os argumentos dos "austríacos" seguem os mesmos ...
Paulo Pilotti Duarte
Não se estuda pseudociência na faculdade. Por isso ninguém estudo escola austríaca na faculdade. É como querer que um médico estude homeopatia ou um físico astrologia.
Edson Yai
É exatamente isto o que acontece. Não se iludam.
Fabio Montarroios
Parabéns, jovem! Negar a base do conhecimento científico e dar moral para escolas obscuras não é para os fracos!
Tiago Celestino
SP paga mais depende muuuuuito!!!
Tiago Celestino
Ñ generalize. E essa demanda é algo que precariza ainda mais, porque são poucas as empresas que vão pagar “bem”
Will F.
nao fala merda amiguinho... um mes tem 30 dias... e 5 meses tem 31, ou seja... seu ARDUO ano, tem somente 5 dias sobrando de acordo com seu raciocionio de lesma
Will F.
Cara... OLHA QUE BOSTA DE PAIS !!!! AGORA UM SINDICATO DE MERDA, JUIZES DECIDEM QUE UM TRABALHADOR NAO DESEJADO POR UMA EMPRESA, DEVE SER SUSTENTADO PELA MESMA ???PUT4 MERD4 DE POVO QUE QUER SE BENEFICIAR E SÓ SE ENFORCA MAIS
igor
O 13° era uma gratificação natalina, mas não era obrigatória. Os sindicatos lutaram para se tornar obrigatória. Essa que você citou é uma segunda bonificação que é definida de acordo com a politica de empresas, nem todas empresas possuem.sim, nos somos mensalista, ganhamos igualmente independente se o mês tem 28 ou 31. Porque os contabilidade usam a base do ano como 360 dias(e não 365), que dá 12 meses. calculando, a média de semanas, é de 4,28(52 semanas) e não 4 semanas.
phsodre
No caso, vc tira dessa media, esses 0,33 e multiplica por 12 que vai dar 3,96. Isso vai te dar as outras 4 semanas restantes. Muito embora os contratos em CLT especifiquem o valor em horas, a abordagem é de salário fixo. Então essa bonificação aí sobre 13º não existe. Bonificação é o famoso 14º, PPR, PR, dependendo de como a empresa chama!
Renan Costa
Bonificação natalina não tem nada a ver com isso, e geralmente é atrelado ao desempenho da equipe, inclusive é bem explorado esse fato em piadas de séries de TV. O mês tem mais de 4 semanas, mas você ganha por 4 semanas trabalhadas, isso inclusive entra na conta da rescisão de trabalho de forma proporcional. Se de fato fosse considerada as semanas iria ocorrer variação no mensal no seu salário, que é de fato o que acontece em alguns países.Essa confusão existe porque adotamos algumas ideias de alguns países, mas não o ciclo de pagamento semanal e quinzenal, isso fica até mais claro quando percebemos que a data de pagamento do salário sofre variação pelo dia útil e/ou mês, algumas multinacionais por ex. Adotam o pagamento no ultimo dia do mês para "tentar" unificar a folha de forma global (Não que resolva 100% dos casos, mas ajuda).A CLT de fato tem alguns benefícios, por ex. a parte das férias que são de 30 dias e remuneradas com + 1/3, geralmente esse tipo de abordagem é chamada de PTO lá fora enquando vacation é o tempo fora da empresa sem remuneração, boa parte dos trabalhos geralmente citam algo assim:2 semanas de PTO + vacation extensivel por +2~4 semanas (A nomenclatura as vezes pode variar, mas a ideia é a mesma)
Dayman Novaes
Oferta e demanda simples. Óbvio que existem programadores inexperientes que ganham menos que pedreiros experientes. Mas a demanda por programador aumenta muito mais rápido do que a demanda por pedreiros. Então obviamente o preço relativo dos programadores tende a aumentar com o tempo. E se fosse possível fazer uma razão de salário/experiência, programador seria uma das profissões com razão mais alta.
igor
sim, principalmente que esta precisando se aposentar. Quem não reclama das horas extras não paga, pois prefere o emprego que desemprego.
Dayman Novaes
"Mínimo" e "suficiência", para compreender fenômenos e para opinar, são condições subjetivas. Não existe conhecimento que te transforme de "incapaz de compreender" para "capaz de compreender", o que existe é conhecimento que te torna "mais capaz de compreender".É por adjetivos como esses (e outros como "obrigatório"), que eu distingo uma pessoa que acredita que "só pode opinar quem leu o que eu li" e outra que está discutindo de forma honesta, expondo seu contra-argumentos.Já conversei com dezenas de economistas e sociólogos, e algo em próximo de 100% não estudou profundamente escola austríaca na faculdade, e ainda assim algo em torno de 100% emitem a opinião que ela é "heterodoxa demais" ou "sem seriedade". O que é, no mínimo, suspeito.
igor
Economista por think tank.
Paulo Pilotti Duarte
Aonde?Esse ano (janeiro) me ofereceram R$2100 numa empresa da ZN que nem lembro o nome pra PHP e R$2400 pra Java na e-Core.Revise os seus salários aí meu amigo.
Paulo Pilotti Duarte
Eu trabalho por conta própria (não sou mais programador e nem quero voltar a ser) mas nem por isso não sou capaz de perceber que os privilégios de ser dessa área são muito grandes.
Paulo Pilotti Duarte
Ele não perguntou se tem emprego, perguntou se ganha bem.Aqui em POA eu recebo emails todos os dias com pedidos de programador e com vagas abertas, todas pagando mal (2k/3k no máximo) para uma jornada desumana e em empresas sem lastro de TI.Se você está falando das grandes empresas, beleza.
Paulo Pilotti Duarte
Só e vantajoso se você ganha 3x do que a sua contraparte CLT. Problema é que as empresas querem pagar 1.5x pro PJ em relação à CLT. Daí é apenas subemprego.
Paulo Pilotti Duarte
Mas isso não anula nada do que eu disse antes. Eu inclusive disse que o problema é que as pessoas querem acabar com os sindicatos ao invés de reformá-los. Querem acabar com o Estado ao invés de reformá-lo de modo que atenda à população e não aos interesses dos políticos/partidos.Essa ideia do brasileiro de acabar com tudo sempre não funciona numa sociedade e é por isso que damos voltas e mais voltas econômica e socialmente.Se tem muitos sindicatos, cortem a maior parte deles e criem um sindicato melhor, mais forte e mais organizado e que, principalmente, represente a classe. Ainda quem, minha experiência me mostre que sindicatos muito grandes tendem a ser onerosos e distantes das pautas da sua classe, vide CPERS aqui em POA que raramente levanta bandeiras caras aos professores da rede estadual e acaba sempre defendendo as bandeiras dos partidos que compõe a sua direção (PSTU e PCdoB); pelo contrário, o SIMCA, dos municipários de Cachoeirinha (RM de POA) conseguiu reverter todas as decisões arbitrárias do prefeito (que ganhava mais do que o Temer, por exemplo) e levar ao STF uma boa parte das votações que ele fez. Eu sou contra sindicato grandes e lentos, mas, se a saída pro Brasil for esse, que seja. O que não dá á pra demonizar os sindicatos como o pessoal faz aqui achando que são inúteis.Não vim aqui mudar a opinião de ninguém, quero só que as pessoas parem de pensam nesse bandwagon maluco de liberalismo à qualquer custo e enxerguem que esse tipo de coisa só é boa para quem já tem dinheiro. Pobre só vai se fuder sem nenhuma rede de sustentação social. Se quiser continuar defendendo mesmo sabendo que tudo vai ser dificultado aos mais pobres, beleza, mas tem que ser honesto e assumir a sua posição com ônus e bônus. Nada mais.
igor
um mês tem medias de 4,33 semanas, e não 4. O 13° é uma bonificação natalina, presente em varias partes do mundo.
Edwi Feitoza
Já abri mão disso e foi a melhor coisa que fiz na vida!!!!
Marcos
2 salários mínimos? Onde tu mora? Pindamonhangaba do Sul? Em Porto Alegre um desenvolvedor web JÚNIOR não ganha menos de 3k, pleno já tá ganhando 5k, São Paulo paga ainda mais!
Marcos
Nossa, abro mão imediatamente! Tem essa opção?Aliás, férias e 13º foram conquistados por sindicatos? Qual a fonte?
Marcos
Enquanto isso, no RS as campanhas demoram dois anos e fecham pelo INPC...
Andre Badiani
Amigão, entenda uma coisa, aqui no Brasil existe sindicato do sindicato, salvo engano na cidade de SP existe uns 4 ou mais sindicatos de ônibus, o que da força aos sindicatos é a qualidade deles e não a quantidade, acho que vc precisa, respeitar a opinião dos outros e não querer mudar, se vc pensa em mudar a opinião, vc capa o discurso.
Paulo Pilotti Duarte
Na realidade eu não disse nada disso (você interpretou isso porque se sentiu acuado, talvez), disse apenas que lhe falta uma base mínima sobre sociologia e teoria social para entender que os saltos lógicos que você dá quando tenta descrever um comportamento social (economia) não fazem tanto sentido e estão impregnados pelo pensamento das escolas de Chicago e da Áustria. E o pior, a segunda sequer é aceita como teoria ou hipótese econômica dada a sua fraqueza acadêmica e baixo rigor.Você pode defendê-los à vontade, mas, não extrapole o entendimento econômico para as questões sociais (de redes de sustentação, circuitos sociais, etnografias e sociologia aplicada) a partir de exclusivamente axiomas econômicos.E veja bem, para qualquer pessoa que queira de fato entender a sociedade brasileira, sua formação como nação, seu povo e a sua economia (com suas problemáticas e relações conturbadas) qualquer livro do "trio de ferro" (Celso, Caio e Sergio) deveria ser obrigatório. O problema é que as pessoas veem um canal do YT que mostra um lado da moeda, cita 3/4 autores alinhados ideologicamente, não mostra nenhum estudo sério (avaliados por pares e aceitos em periódicos com etnografia, estudo de campo e todos esses pormenores) e acha que entendeu o Brasil e os problemas da nossa formação.E a minha sugestão é sempre a "Formação Econômica do Brasil" do Celso Furtado.
LemmiNoW
olha a merda kkk
Maxsuel Maccari
Muitos PJs acabam fazendo um contrato por hora, e não por salário fixo. Aí realmente não faz sentido 13°, e é um contrato vantajoso para ambas as partes.
ochateador
Apenas por curiosidade. Você fala de programador bom ou de programador vagabundo ?Porque se você me falar de uma Totvs da vida aí é forçar a barra.
Mickão
Tem que manjar de Excell hauhauhauha
Dayman Novaes
Da maioria. Sou programador há mais de 8 anos, e nos últimos 5 anos, todas as semanas (sem exagero nenhum) recebo pessoas pedindo indicação de programadores para contratar.É um mercado que cresce numa taxa extremamente mais rápida que a velocidade que se cria novos programadores. Ficar sem emprego nessa área é praticamente impossível.
ochateador
Conheço 3 programadores web.Se trabalhassem em empresa, ganhariam 2 salários mínimos e olhe lá. Fora o excesso de cobrança, hora extras não pagas, etc.Trabalham por conta própria, recebem 3~4 salários mínimos por mês e só não ganham mais porque preferem aproveitar o tempo com família e amigos.
Dayman Novaes
Já que na sua humilde opinião, só pode opinar bem quem leu os mesmos livros que você, e já que são muitos livros, por qual você acha que devo começar? Qual deles é o mais importante?
ochateador
Programador ganha bem ?Você está falando de 100% das empresas ou de 1% ?
Adriano Garcez
Moohttps://uploads.disquscdn.c...
DanielBastos
Hoje é dia de maldade.
DanielBastos
Vc não vai pro céu.
DanielBastos
Com muito gosto.Ao invés da empresa segurar meu dinheiro fazendo provisionamento sem juros, vou receber mensalmente o valor.Na verdade é por essa e outras coisas que existe o PJotinha.
Paulo Pilotti Duarte
Acho que tivemos uma 3 discussões aqui e você sempre indicou vídeos do YT como fonte.Se o seu problema é fonte eu indico toda a coleção do Caio Prado Jr [principalmente "Evolução Política do Brasil" e "Formação do Brasil Contemporâneo"
Renan Costa
Ironia mode [on
Dayman Novaes
Eu parei de argumentar anteriormente quando você disse que eu precisava estudar mais sociologia pra ter uma opinião melhor. Apesar de você não ter indicado nenhuma referência (normal, é raro ver alguém discutindo honestamente), é o que tenho feito.
Paulo Pilotti Duarte
Via de regra é privilegiado sim. Um trabalhador que tem uma oferta quase infindável de empregos, sem órgão regulados (como CREA) e que, usualmente, vem de classes altas da sociedade.O programador "padrão" é branco, heterossexual, com renda familiar acima de 10SM e homem. É exatamente o extrato mais privilegiado da sociedade brasileira. E vai ser por muito tempo, afinal, as empresas acham que inclusão e diversidade é empregar mulher branca e rica.
Paulo Pilotti Duarte
E que, assim como o FGTS, foi uma barganha das empresas na época. Nunca foi uma jogada pedida pelos trabalhadores.Cada vez que o trabalhador cede direitos ele é quem perde e as empresas ganham. Agora querem manter o sistema de pagamento mensal (mesmo exigindo horas a cumprir) e sem pagar a compensação do 13. Querem também parar de pagar FGTS sem se comprometer com contratos de trabalho mais longos e mais estáveis.Resumo: perdermos direitos lá atrás quando criamos o FGTS e o 13 e agora querem tirar até isso. Por isso que não existe negociação entre patrão e empregado na maioria dos casos (principalmente em uma economia baseada em empregos de baixa escolaridade e com alta recessão e alto turn-over em quase todos os mercados).
Paulo Pilotti Duarte
As empresas querem o nosso bem cara, por isso elas nos vendem coisas.
Paulo Pilotti Duarte
Já argumentei contigo em outros posts (minha memória é ótima; uma maldição e um dom) sobre isso e, veja bem, você desapareceu. Não quero correr o risco de iniciar uma longa discussão com um "austríaco" maluco e vê-la morrer na praia como a outra.Gosto mais da homeopatia. E da quiropraxia. Me parecem menos desonestas do que a praxeologia.
zephyr1an
sindicatos são ruins para os trabalhadores, por isso que walmart, amazon, uber, etc são radicalmente contra os sindicatos, essas empresas estão pensando no bem-estar de seus "colaboradores", não em seus próprios interesses
Renan Costa
Cara até a parte de não precisa de ajuda é okay, mas dizer programador é privilegiado é chutar o pau da barraca.
Omar
https://uploads.disquscdn.c...Imagina só o futuro... kkkSindicatos precisam regular as forças ou vão trabalhar 1 ano para ter um clio 2002 como pagamento.
Renan Costa
Cara, o ano tem 52 semanas, você recebe salário mensal, sendo considerado o mês com 4 semanas, 4 x 12 = 48, como medida compensatória é pago o 13º, ou seja, as 4 semanas trabalhadas e não recebidas, isso não tem nada de beneficio é só matemática, em países que a pessoa recebe por semana ou a cada 15 dias o salário possui variação mensal. Beneficio é 14, 15, 16.... que é o que deputado vagabundo recebe.
Dayman Novaes
Ainda bem que a praxeologia te dá a liberdade de expressar sua opinião, mesmo sem argumentos. Então tá tudo certo!
Porto Velho
O Professor explica que o dinheiro que vão roubar não é de ninguém, já que a Casa da Moeda cria do nada. Ai rola a duvida sobre a inflação, ele explica que só quem a sente é o final da cadeia, que os primeiros a usarem o dinheiro (bancos, empresas, etc) só ficam com o bônus do dinheiro novo criado e até a inflação começar a ser sentida, eles já passaram a grana pra frente.
Porto Velho
13º é só uma gambiarra pra arrumar outra gambiarra feita em cima dos contratos de trabalho.Paga-se mensalmente por um trabalho contado em horas por semana. Como o total de semanas no ano são 52 e 12 meses tem 48, acaba que ficam faltando quatro semanas para se pagar no final do ano.13º poderia ir pros ares se o pagamento fosse semanal ou mesmo por hora. 13º acaba que é um crédito que as empresas ganham durante o ano e pagam sem juros no final dele.
Paulo Pilotti Duarte
Prefiro astrologia. Pseudociência por pseudociência, astrologia tem uma galera mais legal do que esses engravatados da praxeologia.
Paulo Pilotti Duarte
Minha entrada em algum paraíso. Qualquer um.
Omar
Melhor do que não ter 13.O trabalhador perto da aposentadoria, quase sempre acabava mandado embora. E o acesso ao ensino? O funcionário tinha de se virar, o importante para o empregador é que no dia seguinte ele estivesse de pé na linha de produção, de preferência sem sono. Não existia qualquer apoio ao trabalhador que optasse por estudar, visando crescimento profissional.Para as mulheres licença-maternidade, só com luta sindical.
Paulo Pilotti Duarte
Não, os países com melhores condições de trabalho são os que tem sindicatos mais fortes.
Gabriel Arruda
Para quem é de TI, com escassez de profissionais e grande demanda, é de boas definir o sindicato como somente um estorvo já que no nosso mundo a "meritocracia funciona".Esquecem que a maioria dos empregos as empresas pagariam o mínimo possível para elas.
Rodrigo Gomes
Ihhh, chegou o cara que acha que 13º é benefício...
Dayman Novaes
Nunca assisti essa série. Pela semelhança que você aponta, acredito que a explicação da série tenha sido derivada de alguma teoria econômica austríaca.
Porto Velho
Sim, ter emprego e direitos ao mesmo tempo é o ideal, só que isso depende de grana rolando a rodo, coisa que ainda não estamos 100%, apesar do pior já ter passado.Em tempos de vacas magras é isso mesmo, ou tem emprego demais ou tem direitos demais, os dois não dá. Quando você tem uma lei completamente engessada como é a nossa CLT, qualquer crisezinha joga o número de desempregados ou de trabalhadores informais lá pra cima. Ninguém consegue pagar a conta.E sim, concordo com você. Políticos deveriam abrir mão de grande parte das coisas que recebem.
Porto Velho
Cuidou só da parte do pagamento, porque eu ainda não posso negociar sozinho ou mesmo criar um grupo pra representar quem voluntariamente quer ser representado. Ainda existe a unicidade sindical e ninguém pode negociar diretamente se não recebe duas vezes o teto do INSS.
Omar
O ideal não seria ambos terem empregos e direitos? Só o Bozo que acha que direito cria desemprego. Aliás Bozo e familia tem mais direitos que 99,9% da população brasileira, e pergunte se ele quer abrir mão dos direitos que possue?
Porto Velho
Não, você só tem direitos porque a evolução tecnologica permitiu que as pessoas trabalhassem menos e ganhassem mais. É justamente por isso que trabalhadores de diversos países têm melhores salários e condições de trabalho que as nossas, a despeito do Brasil ter um sindicato em cada esquina.
Omar
Pra quem é contra sindicatos, favor abrir mão de férias e 13 salário e qualquer outro beneficio conquistado através de lutas sindicais!
Porto Velho
Andou assistindo La Casa de Papel né?? KkkkÉ a explicação do Professor pra justificar o roubo.
Porto Velho
Esse negócio de aumento de acordo com a inflação só quem tem sindicato forte consegue, e isso depois de muita negociação, as vezes abrindo mão de algumas coisas. Além disso só empresas grandes conseguem de fato corrigir salários todos os anos. Negocio e que 80% dos empregos quem dá e o "tiozinho da esquina" e ele não tem a menor condição de ficar dando aumento sem aumento de produtividade.Então não trate correção pela inflação como direito, porque isso é privilégio que pouquíssimas pessoas tem.
Porto Velho
E assim o TRT dificulta a vida de programadores desempregados para dar o privilégio da estabilidade a quem já tem emprego.
Dayman Novaes
E outra, nem precisa ir muito fundo na explicação. Programador já ganha bem pra caramba, dificilmente fica sem emprego, já são pessoas extremamente privilegiadas comparando com grande porcentagem do Brasil, qual o sentido de usar o estado pra dar ainda mais dinheiro pra eles?
Dayman Novaes
Você já se perguntou porque acontece inflação?Pesquise sobre política monetária.É o mesmo mecanismo de transferência de riqueza.Assim como falei, esse aumento de salário forçado causa uma inflação no setor, que acaba causando transferência de poder de compra de todos para os programadores.A política monetária, resumindo, é a injeção de moeda no sistema financeiro (através de bancos a instituições financeiras), que acaba causando a inflação. Esse é o maior mecanismo que transfere poder de compra dos mais pobres para os mais ricos.Como? Resumindo de novo: as primeiras pessoas a terem acesso à esse dinheiro (em ordem: bancos > empresas grandes > pessoas mais ricas > pessoas que investem no tesouro, etc), acaba recebendo esse dinheiro antes da inflação, e o distribui na economia. Depois que esse dinheiro chega na mão dos mais pobres (através de aumentos como esse da notícia, ou do aumento do salário mínimo, ou aumento do valor na bolsa família, por exemplo), a riqueza já foi transferida pra cima na cadeia.Sinceramente, apoiar esse sistema é apoiar banco e político, e ao mesmo tempo pedir uma casquinha pra você.
Eric Viana
está buscando a redução do karma? :-)
Paulo Pilotti Duarte
É que uma vez por semana eu me atiro na merda e discuto no Tecnoblog.
Danilio Costa Silva
Já não contratavam antes, melhor pra quem tem +3 garantidos para juntar uma grana e tentar arrumar outro.
Zé das Covi
rm -rf /git add .git push origin master --force
Danilio Costa Silva
Na necessidade até por 50 reais ao mês tem gente que aceita, mesmo que a empresa possa perfeitamente pagar mais.
Danilio Costa Silva
Então acaba com o Estado, afinal impostos são basicamente isso.
Exibir mais comentários