Início » Aplicativos e Software » Windows 10 chega a 50% dos PCs; Windows 7 ainda segue em 30%

Windows 10 chega a 50% dos PCs; Windows 7 ainda segue em 30%

Windows 10 está em metade dos computadores ligados à internet; Windows 7 reduz participação em PCs

Felipe Ventura Por
02/09/2019 às 15h25

O Windows 10 está presente em metade dos computadores ligados à internet, de acordo com o NetMarketShare; enquanto isso, o Windows 7 vem perdendo participação, mas ainda segue em 30% dos PCs. O antigo sistema deixará de ter suporte gratuito da Microsoft em janeiro de 2020; empresas poderão pagar por atualizações de segurança até 2023.

Windows 7

As estatísticas do NetMarketShare medem a quantidade de PCs conectados à internet rodando diferentes sistemas operacionais. O Windows 10 está em 50,99% dos computadores, e o Windows 7 pode ser encontrado em 30,34% das máquinas.

Em um distante terceiro lugar, temos o macOS 10.14 Mojave com 5,95%; ele é seguido pelo Windows 8.1 (4,2%), macOS 10.13 High Sierra (1,72%) e Windows XP (1,57%). Vale lembrar que o suporte ao XP acabou há cinco anos, apesar de ele receber raras atualizações de segurança.

Windows 7 e XP perdem participação em 2019

O Windows 10 só conseguiu ultrapassar o Windows 7 em janeiro deste ano, segundo o NetMarketShare. Desde então, ele vem crescendo no mesmo ritmo em que pessoas e empresas deixam de utilizar o antigo sistema. No gráfico abaixo, as duas linhas são quase um espelho uma da outra:

Windows no Netmarketshare

O Windows XP também segue em queda: ele girava em torno de 4% em 2018; este ano, ele caiu para abaixo de 2% pela primeira vez.

A Microsoft divulgou em março que o Windows 10 estava rodando em mais de 800 milhões de PCs, tablets, Xbox One e outros gadgets. A empresa informa o número de "dispositivos ativos", isto é, que foram usados nos últimos 28 dias.

O Windows 7 perderá suporte gratuito em janeiro de 2020, mas empresas poderão adquirir atualizações estendidas de segurança até o início de 2023. Elas custarão até US$ 200 anuais por PC; o primeiro ano sai de graça para clientes que assinam alguns planos mais caros da Microsoft.

Com informações: VentureBeat.