Início » Brasil » Metrô de SP e CPTM testam pagamento de tarifa com QR Code

Metrô de SP e CPTM testam pagamento de tarifa com QR Code

Teste com QR Code acontece em sete estações e deverá durar 45 dias

Emerson Alecrim Por

Nesta terça-feira (3), o Governo do Estado de São Paulo começou a testar o pagamento de tarifas via QR Code em algumas estações do Metrô e CPTM. A iniciativa faz parte do plano de modernização do sistema de pagamentos de ambas as companhias.

Trem da CPTM

A Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos (STM) é a responsável pelo projeto. A ideia é oferecer mais praticidade ao usuário e, ao mesmo tempo, reduzir os custos relacionados às vendas e validação de bilhetes.

Isso porque o QR Code pode ser impresso no momento da compra e, assim, a bilheteria não fica dependente da disponibilidade dos tradicionais bilhetes com tarja magnética, que ainda trazem a desvantagem de ter custo de produção maior.

Além disso, o QR Code também pode ser disponibilizado em aplicativos. Com isso, o usuário pode fazer a compra de bilhetes em seu próprio celular e evitar as filas das bilheterias.

Os testes vão durar 45 dias. Sete estações estão participando do experimento:

  • CPTM: Autódromo (Linha 9 — Esmeralda), Tamanduateí (Linha 10 —Turquesa), Dom Bosco (Linha 11 — Coral) e Aeroporto-Guarulhos (Linha 13 — Jade)
  • Metrô: São Judas (Linha 1 — Azul), Paraíso (linha 1— Azul e 2 — Verde) e Pedro II (Linha 3 — Vermelha)

Cada estação conta com dois bloqueios (catracas) com validador para QR Code. Por ora, os bilhetes são apenas unitários e seguem a tarifa vigente (R$ 4,30). Eles podem ser comprados com cartão de débito e impressos nas máquinas de autoatendimento disponíveis nas estações.

Os bilhetes também são vendidos nas bilheterias com pagamento em dinheiro. Porém, nos 15 primeiros dias de testes, essa opção só estará disponível das 9:00 às 16:00. Posteriormente, as vendas nas bilheterias serão realizadas durante todo o horário da operação comercial.

É possível ainda fazer a compra com cartão de crédito por meio do aplicativo VouD, disponível para Android e iOS. O app exibe o QR Code na tela do smartphone, portanto, a impressão do bilhete não é necessária.

App Voud com QR Code (imagem: Metrô)

Como essa é uma fase de teste, os bilhetes com QR Code são válidos até 18 de outubro (2019). No entanto, a STM recomenda que os bilhetes em papel sejam usados até três dias depois da compra para evitar que a impressão do código seja danificada.

A implementação definitiva dos bilhetes com QR Code dependerá dos resultados do teste. A ideia não é inédita: a CPTM chegou a testar bilhetes com QR Code em 2016, mas o projeto acabou não avançando.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

felipecn

China sim, Japão não. Inclusive no Japão o que é bem forte é o uso do Suica pra pagar nas lojas.
É como se aqui no BR, colocássemos o $ da semana no bilhete único pra pagar de tudo.

https://atadistance.net/201...

Alessandro Okumura

se o Bilhete unico é NFC pq nao utilizam os proprios validadores para poder utilizar o celular tambem????

Leonardo Ribeiro

Pagamento por QR code é infinitamente mais utilizado na china e japão do que via NFC.

Flavio Toledo

Nao sei para que ficar inventando moda. So manter bilhete unico ja e funcional na mesma maquina opçao do bilhete com tarja mesmo sem ficar tao dependente do smarthphone.

Nello

A implantação é gradual. É questão de tempo para que mais bandeiras sejam aceitas. Vale salientar que hoje só se é aceito Visa pois ela foi a “parceira” na implantação. A tecnologia em si aceita qualquer bandeira. É questão de tempo para que mais bancos entrem na compatibilidade da tecnologia. E eu li que eles também fornecem cartões com a tecnologia NFC, não necessitando dos limitados aparelhos compatíveis.

Burnerman_X

Está se esquecendo de um único detalhe...

Você pode até ter um celular com NFC lindo e cheiroso, mas não adianta nada se seu banco não dá suporte ao Apple Pay / Google Pay. Vai lá pagar o metrô do RJ no cartão de crédito só tendo um cartão do NuBank. Ele não é aceito nem via celular e nem via cartão, porque o metrô do RJ só aceita pagamentos por aproximação de cartões Visa.

Eu vejo o QR Code como o futuro para pagamentos digitais com celular justamente por ele ser extremamente acessível, ao contrário do NFC.

Nello

Quem não tem celular com NFC é só usar um cartão com NFC, relógios, adesivos... soluções com a tecnologia não faltam no mercado e garantem agilidade (aproximou, pagou) no embarque.

Hemerson Silva

isso mesmo, é interessante usar o NFC, só que ele só vem em aparelhos que tem um valor mais alto, e isso acaba segregando muito o público que usaria tal. já o QRCode não, qualquer merda pode mostrar o código.

Hemerson Silva

adoção maior???? nem todo mundo tem celular com NFC, e dentre os que tem, quem usa de fato é ainda menos.

Hemerson Silva

"as pessoas" hahaha, não força né, nem todo mundo tem celular com NFC

Domingos Teruel

São Paulo sendo São Paulo, NFC e pagamentos por aproximação já são realidade, realmente falta NFC em aparelhos mais baratos. Outra coisa é esse app que é o intermediário da parada, nunca ouvi falar! Pq não usar Apps já consolidados, como Recarga Pay, PicPay, etc?

Emfim...

Eric Viana

A proposta é boa, mas quem usa esse tal Voud? Quem usa app de recarga conhece o RecargaPay ou o Ponto Certo... daria até pra pensar em PicPay, PayPal ou o Pagseguro mas em app desconhecido?

Nello

Mas não funciona pagamento por aproximação.

LekyChan

mas já existe o leitor NFC nas catracas

johndoe1981

Pagamento via NFC é bem mais simples, mas as fabricantes não ajudam ao não disponibilizar a tecnologia em aparelhos mais baratos.

Exibir mais comentários