Início » Antivírus e Segurança » Usuários do Facebook têm números de telefones expostos na internet

Usuários do Facebook têm números de telefones expostos na internet

Segundo o TechCrunch, servidor sem senha contava com cerca de 419 milhões de registros

Por
05/09/2019 às 12h10

Uma falha do Facebook fez com que os números de telefone de milhões de usuários fossem expostos na internet. Os dados estavam armazenados em diversos bancos de dados presentes em um servidor sem senha e podiam ser acessados por qualquer pessoa.

Facebook (Foto: Max Pixel)

A existência do servidor foi revelada pelo TechCrunch, que recebeu a informação do pesquisador de segurança Sanyam Jain. Segundo o site, o servidor tinha 419 milhões de registros com o número de telefone e um código de identificação, que pode ser usado para descobrir o nome dos usuários.

Do total, 133 milhões de registros eram de usuários dos Estados Unidos. Outros 18 milhões vinham do Reino Unido e 50 milhões, do Vietnã. Em alguns casos, além do número do telefone, o servidor tinha nome, gênero e país do usuário.

TechCrunch afirma que confirmou vários registros a partir de números de telefone conhecidos e que os dados parecem ter sido enviados ao servidor em agosto. Isso não significa, porém, que eles tenham sido coletados recentemente. As informações saíram do ar após o site entrar em contato com os responsáveis pelo servidor.

O Facebook afirma que os registros foram coletados antes que seu método de recuperação de contas por e-mail ou número de telefone fosse descontinuado. Com ele, qualquer pessoa com um desses dados tinha acesso ao nome de outro usuário. A solução foi encerrada após o caso Cambridge Analytica.

“Esse conjunto de dados é antigo e parece ter informações obtidas antes de fazermos alterações no ano passado para remover a capacidade de pessoas encontrarem outras usando seus números de telefone”, afirma o Facebook, ao CNET.

“O conjunto de dados foi retirado do ar e não vimos nenhuma evidência de que as contas do Facebook foram comprometidas”, completou. A empresa diz que está analisando os registros e que o número total cai para 200 milhões de usuários sem as duplicatas.

Mais sobre: