Início » Celular » O desafio da Huawei: lançar o Mate 30 com Android, mas sem apps do Google

O desafio da Huawei: lançar o Mate 30 com Android, mas sem apps do Google

Huawei deve disponibilizar algum meio para que os próprios usuários instalem serviços do Google

Emerson Alecrim Por

O Huawei Mate 30 e sua provável versão Pro estão vindo aí, mas as vendas desses smartphones podem ficar abaixo do que se espera para topos de linha. Isso porque a própria companhia chinesa já sinaliza que os novos aparelhos vão ser revelados sem uma característica importante à maioria dos usuário de Android: o ecossistema do Google.

Suposto Mate 30 Pro (imagem: @OnLeaks / Pricebaba)

Suposto Mate 30 Pro (imagem: @OnLeaks / Pricebaba)

A explicação está no embargo comercial imposto em maio pelo Departamento de Comércio dos Estados Unidos que proíbe empresas do país de fecharem negócio com a Huawei.

Sob o argumento de proteger os interesses dos consumidores americanos, o órgão concedeu uma carência de 90 dias para certas companhias, incluindo o Google. Isso permitiu que negociações com a Huawei pudessem ser mantidas durante esse prazo. O problema é que essa carência expirou em 19 de agosto.

Um prazo de mais 90 dias, com expiração em 19 de novembro, foi concedido pelo Departamento de Comércio, mas ele é bastante restritivo. No que diz respeito a smartphones, essa carência adicional só permite que atualizações de software sejam concedidas a aparelhos lançados antes do embargo.

É o caso do P30 Pro. Na IFA 2019, a Huawei chegou a anunciar uma versão repaginada do modelo justamente para aproveitar o caminho livre que essa linha tem (pelo menos por enquanto).

Huawei P30 Pro com visual repaginado

Huawei P30 Pro com visual repaginado

Mas a situação da linha Mate 30 é diferente, afinal, ela vai ser lançada com o embargo comercial já em andamento. Os novos aparelhos devem vir com o Android baseado no AOSP, programa que disponibiliza versões do sistema operacional em código aberto (não afetadas pelo embargo, consequentemente), mas sem o ecossistema do Google.

Isso é um problemão. No mercado chinês, os serviços do Google não estão disponíveis, razão pela qual as restrições não devem afetar as vendas do Huawei Mate 30 por lá. Mas, no resto do mundo, lançar um smartphone Android sem Play Store, Gmail, Maps, Drive, Google Search e outros vai ser um desafio.

Para disponibilizar esses recursos, a Huawei precisa fechar um contrato de licenciamento para obter o Google Mobile Services (GMS), mas as sanções dos Estados Unidos impedem o acordo.

É por isso que a Huawei está estudando saídas. Uma delas é oferecer ferramentas alternativas, mas essa é uma tarefa delicada: substituir o app do Gmail é relativamente fácil, mas serviços como Drive e Google Fotos, não. Outra consiste em implementar no Mate 30 alguma funcionalidade que permita ao usuário instalar os aplicativos do Google com certa facilidade, pelo menos aqueles que são mais conhecidos.

Só que esse também é um trabalho delicado. Por um lado, a Huawei não poderá automatizar, mesmo que parcialmente, a instalação de nenhuma dessas ferramentas. Por outro, é preciso garantir que o usuário não sinta que não está conseguindo aproveitar bem o seu celular por conta de limitações de software.

Além disso, o Android tem grande integração com a Play Store, mas o usuário precisa de licença para ter acesso a esse serviço. Normalmente, essa licença só é disponibilizada para dispositivos que saem de fábrica com a Play Store pré-instalada.

Huawei

Embora alguns executivos da Huawei tenham comentado o assunto na IFA 2019, a empresa vem mantendo o máximo de discrição a respeito porque não há solução fácil para esse imbróglio.

Até existe alguma esperança de que os Estados Unidos flexibilizem as sanções, mas o governo Trump não está se mostrando disposto a negociar, por isso, há boas chances de que o Mate 30 seja o smartphone que realmente mostrará os reais impactos do embargo comercial americano sobre as operações da Huawei.

Seja como for, o Huawei Mate 30 deve vir com o novíssimo processador Kirin 990 e ser apresentado no próximo dia 19, em Munique. O Tecnoblog estará por lá para trazer todos os detalhes.

Com informações: Forbes, Nikkei, Ausdroid.

Tecnocast 118 – Qual é a treta dos EUA com a China?


Estados Unidos e China estão travando uma guerra comercial e essa treta começa a respingar no mundo da tecnologia. A consequência dessa briga não é apenas o encarecimento de produtos tecnológicos, e as motivações vão muito além da "proteção dos postos de trabalho americanos", como diz Donald Trump. A disputa também é pelo controle das redes 5G, que serão a via de tráfego dos dispositivos de Internet das Coisas.

Então, quem ficará no controle dos dados de todo o planeta: China ou Estados Unidos? Dá o play e vem com a gente!

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gustavo Al-Kurdi
Pra mim não faria falta. O único app da Google que tenho instalado é do YouTube. Nem sequer é o meu buscador padrão. Aprendi a viver sem os serviços dela nos tempos do windows phone e hoje não sinto falta.
wallace bad
Acredito que não seja só o 5g mais ele deve tentar frearba china
Theo Queiroz
Olha, eu sei que isso se resume a um nicho bem pequeno e que, claro, não vai salvar a empresa. Mas acho que esse aparelho será o santo graal do pessoal da XDA e outras pessoas que gostam de "mexer" no celular. Um aparelho bonito, robusto, de ponta, sem os bloatwares da Google, que pode instalar qualquer apk por fora e ainda (acho eu), vai custar um pouco menos pra tentar "compensar" no preço o fato de não ter os serviços Google. Eu compraria um.
zephyr1an
na China é certeza que a Huawei consiga continuar operando; talvez na Rússia também, que tem seus concorrentes nacionais; Índia, quem sabe ?o que eu imagino é que a Huawei continue a trabalhar no mercado de consumo nos países acima, e na América & Europa ela mude seu modelo de negócios
zephyr1an
as ações dos EUA contra a China são estratégicas e geo-políticas, é ingenuidade acreditar que são ações baseadas em casos jurídicos reais...especialmente porque os EUA são o país do litígio, é (anedoticamente) possível processar qualquer um por qualquer motivo, então arranjar um pretexto para processar a Huawei ("segurança nacional") é mais fácil do que tirar doce da boca de criança a Huawei mesmo é um ótimo exemplo do que os EUA estão combatendo: uma empresa gigante (do maior competidor americano na supremacia mundial), que opera infra-estrutura e mercado de consumo...especificamente contra a Huawei a motivação é óbvia: evitar que ela domine a maior parte da estrutura 5G mundial
Comentário Mil Grau℗
Eu acho que o que mais irá pesar não são nem os apps do Google (eu msm não uso nenhum), mas sim a Playstore. Este é o problema de ter apenas dois players no mercado, quando acontece este tipo de coisa vc fica refém e não tem saídas. O jeito é liberar uma maneira de instalar a Playstore como acontece quando vc instala custom ROMs só que de uma maneira mais fácil pro usuário leigo.
Burnerman_X
E, para quem não leu a notícia toda, não é só instalar o OpenGapps. Como o aparelho não passou pela homologação do Google Mobile Services, não funciona.
Ramon
Resumo: não vai dar certo.
Cara, aparelho hi end sempre tem update pra proxima versao. Não da pra comprara esses aparelhos top da huawei (p30, mate) com um moto E da vida.
Pois é..
FABIO NEVES
Pós sanção, sim.Pré sanção, como o P30 comercializado no Brasil, não tem problema. Existe até uma declaração no site oficial esclarecendo isso. Se eles não derem cumprimento ao estipulado, basta executar na justiça e pegar a grana de volta. Já os importados, aí o caldo engrossa. Vai recorrer a quem?
Daniel Ribeiro
O Trump, em pessoa, não tem nada contra a Huawei. Ele é o chefe do executivo e só está executando a legislação vigente. A batalha real é nos tribunais, não na mesa dele.
Vader
é, garantia de update de versão é algo meio raro quando a gente fala de empresas que usam o Android como base pra seus sistemas. veja a Motorola, por exemplo, que tem a cara de pau de lançar um Moto E que jamais será atualizado.o fato de não ter Playstore é, de fato, algo que pode pesar na decisão de muitos, porém é algo a se considerar. particularmente eu gostaria de ver uma parelha pro Android e pro iOS. desde a morte do Windows Phone ninguém teve coragem de arriscar. meu sentimento com a Huawei é o de "...agora vai?".
Vader
beleza, pode não ter. mas isso não quer dizer que não haja vida para além do Google. além disso, dá pra usar o navegador e fazer a mesmíssima pesquisa.infelizmente o padrão do pensamento atual é semelhante ao seu, o que me leva a crer num fracasso retumbante da Huawei nas Américas lançando um celular sem os serviços Google. é uma pena.
uB.
Ok! Kd o Maps XingLing mapeando o meu bairro de uma cidade brasileira? Dizendo onde tem barbearia e supermercado perto?
Sem duvida, mas me refiro ao fato de nao ter mais playstore ou garantia de update de versão. E seila o que mais ainda pode aparecer pra complicar. Ta muito nebuloso ainda essa historia pra alguem decidir pegar um Huawei.
P. Herrera
Apple e MS. Mas para isso, ambas aceitaram as petições do governo chinês para operarem lá. Vc sabe... Hahaha
Vader
são aparelhos muito bons, cara.
Vader
mas acho que o comentário dele vai um pouco mais que isso. lá não tem Google, mas a Apple, por exemplo, é uma empresa americana que mantém operações por lá.
P. Herrera
Tudo do Google é banido lá. 🤷‍♂️
Coragem quem compra um Huawei novo hoje em dia..
Vader
Atualmente é praticamente impossível usar um dispositivo sem serviços de empresas dos USA.olha, acho que na China é possível sim, viu.
P. Herrera
Sobre mapas eu já uso: Here Maps.Mas sim, confesso que vez ou outra recorro ao Maps. Creio que fora do Brasil o Here Maps seja BEM superior à versão BR.
uB.
Isto n se resume a apps, tem os serviços tb.De qualquer forma, a restrição n é apenas sobre o Google, é qualquer serviço fornecido por empresas sediadas nos USA.Atualmente é praticamente impossível usar um dispositivo sem serviços de empresas dos USA.E vc esqueceu algo importante: Maps, vc pode n usar, mas é complicado ter um smartphone sem isto. Tb, n conheço nenhuma alternativa decente.
uB.
Acho muito insano uma única pessoa praticamente matar uma empresa desse porte e justificar isto por ação que não consegue provar que foi realizada pela Huawei.Essa manobra vai muito contra ao que os USA prega: liberdade.
P. Herrera
Mas esse aí eu nem considero ''app'', mas sim algo do SO msm. Rs
Buldego
E o Play Services, que é essencial para se usar o Android e seus serviços.
P. Herrera
Desses apps obrigatórios do Google só uso o Drive e o Chrome; parei de usar o Fotos. O resto é dispensável, até pq o Gmail por exemplo, ñ é meu serviço/app de email primário. E o YouTube? Sinto muito, mas é Vanced na veia. 😁