Início » Telecomunicações » Cade aprova compra da Nextel pela Claro

Cade aprova compra da Nextel pela Claro

Mas conselho diz que redução para três operadoras poderia "aumentar atuação coordenada"

Lucas Braga Por

A Superintendência Geral do Conselho de Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta segunda-feira (9) a compra da Nextel pela Claro. O negócio avaliado em US$ 905 milhões foi anunciado em março de 2019. A aprovação ocorreu sem restrições.

Loja Nextel

Nas considerações, o Cade destaca que a Nextel é uma operadora "eminentemente regional", tendo baixa participação de mercado quando comparada com as demais. Além disso, o órgão destaca que as concorrentes "têm capacidade de absorver uma eventual demanda desviada em virtude de qualquer tentativa de poder de mercado".

Isso porque em julho de 2019 a Nextel tinha market share nacional de 1,53%, enquanto a Claro possuía 24,71%, sendo a segunda maior operadora em número de clientes. Com a compra da Nextel, a Claro continua no segundo lugar, perdendo para a Vivo, com 32,33% do mercado, além de se distanciar da TIM na disputa do 2° lugar, com 24%.

A superintendência também afirma que concorrentes como Vivo, TIM e, em certa medida, Oi, possuem condições de rivalizar por preços e qualidade em quaisquer mercados geográficos. O estudo do Cade demonstra inclusive ofertas de plano controle das quatro maiores operadoras, todas com valores e franquias de internet similares.

E justamente por isso o parecer aponta que, somado à facilidade da troca de operadora por meio de portabilidade, o mercado de telefonia móvel possui "relativa homogeneidade de preços e tipos de pacotes, havendo uma alta substituibilidade entre produtos de uma operadora para outra".

Por fim, o Cade conclui que "não há risco de qualquer tipo de fechamento de mercado decorrente da integração vertical analisada". Dessa forma, a Nextel pode respirar com calma: a operadora corria risco de ficar sem dinheiro caso a fusão não fosse aprovada.

Redução para três operadoras preocuparia

Muito se diz sobre consolidação no mercado de telefonia móvel, e o Cade já deu seu recado: a redução no número de grandes players (de quatro para três), independentemente do arranjo "resultaria em uma clara preocupação quanto ao aumento da possibilidade de atuação coordenada entre eles", como a formação de um "cartel" entre as empresas atuantes.

Essa notícia chega em uma hora complicada, uma vez que a situação financeira da Oi não é saudável: a operadora passa por um complicado processo de recuperação judicial com dívidas bilionárias. A operadora tenta levantar R$ 2,5 bi em caixa para não ficar sem dinheiro no ano de 2020, e a própria diretoria não descarta um possível desmembramento que permita a venda do negócio móvel.

A operadora tem focado na expansão da sua rede de fibra óptica para aumentar a presença no mercado de banda larga através do formato FTTH. O plano estratégico da operadora nem fala muito da Oi Móvel.

Com informações: TeleSíntese, Cade

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

PinPortal ✔️

Se for pra botar fé, eu coloco nas empresas de telecom chinesas ou em fundos de investimento. Até em empresas de telecom de países de terceiro mundo (como o Brasil), como do Egíto e Rússia. Agora as dos EUA e da Europa, duvido muito.

É exatamente o que você disse. Eu torço pra qualquer empresa comprar a Oi, desde que não seja a Claro, Tim e Vivo (ou suas matrizes). De resto, qualquer um.

johndoe1981

Creio que sim, mas eu queria que a Oi recebesse uma injeção de recursos pra não precisar vender a divisão de telefonia móvel.

johndoe1981

Acho que só comprariam caso o Brasil deixasse de ser o pesadelo burocrático, tributário e trabalhista que é, mas com essa classe política ordinária, sem especificar partido X ou Y, tá difícil...

Mr. Poopybutthole

Não boto fé na at&t. Penso na possibilidade de ser apenas um blefe dela afinal ela tem preocupações maiores. Mas não custa nada sonhar. O que de fato não pode acontecer é a OI cair nas mãos de empresas que já atuam aqui.

PinPortal ✔️

A questão é que provavelmente a AT&T está fingindo que quer comprar para receber a aprovação da Anatel sob a compra da Time Warner no Brasil.

Porque na época do início da recuperação judicial da Oi (2016/2017), empresas russas, egípcias e chineses se mostraram interessadas na Oi, mas a AT&T e as americanas não se interessaram. Acho difícil a AT&T querer agora, sendo que ela tem problemas maiores para se preocupar nos EUA (como a fusão da T-Mobile e a Sprint por lá e a própria dividida dela com a compra da Time Warner no mundo).

PinPortal ✔️

Por isso a ideia delas é comprar a Oi fatiada. Cada um compra uma região da Oi onde a empresa que está comprando tem pequena participação de mercado regional.

Com isso elas eliminariam uma concorrente (Oi) e evitariam a entrada de uma nova empresa no mercado (chineses, AT&T, etc)

Mr. Poopybutthole

At&t pode comprar a OI só depende da mudança da lei.

Jefferson Rodrigues

Acredito que VIVO, Claro E TIM não iriam receber permissão do CADE para comprar a Oi por conta da concentração de mercado.

johndoe1981

Tô mais preocupado é com a Oi, alguma empresa estrangeira tem que comprar urgente a operadora pra afastar o risco de outra concorrente comprar e concentrar ainda mais o mercado.

edit: é só aqui que esse anúncio do Biz e da Vivo abrem sozinho na versão móvel? Duas vezes o anúncio carregou mesmo sem eu clicar.

Krosna Terrestre

* OLIGOPÓLIO INTENSIFIES *