Início » Brasil » Correios entram em greve e afetam parte das entregas do Mercado Livre e Amazon

Correios entram em greve e afetam parte das entregas do Mercado Livre e Amazon

88,6% das lojas online fazem entrega pelos Correios; Mercado Livre e Amazon usam serviços da estatal e de transportadoras

Felipe Ventura Por

Os funcionários dos Correios decidiram entrar em greve na noite desta terça-feira (10): a decisão foi tomada de forma unânime por 36 sindicatos da categoria em todo o Brasil. Eles protestam contra a futura privatização da estatal, e contra o reajuste salarial abaixo da inflação. Cerca de 80% das agências permanecerão fechadas, afetando boa parte das entregas do comércio eletrônico, incluindo Mercado Livre e Amazon.

Correios

O efeito da greve promete ser grande: os Correios são utilizados por 88,6% das lojas virtuais no Brasil, segundo a Abcomm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Esse percentual é menor que em 2013, quando 93% do varejo online dependia da estatal; os sites vêm, aos poucos, adotando serviços de transportadoras privadas.

O Mercado Livre já exibe um aviso em compras entregues pela estatal: "o envio deste produto é pelos Correios e, no momento, estão em greve. Por isso, a data de entrega é mais longa do que de costume. Desculpe". Isso afeta as encomendas do Mercado Envios, serviço oferecido em parceria com a ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos).

Vale lembrar que nem todo produto do Mercado Livre é enviado pelos Correios: a empresa trabalha com diversas transportadoras, incluindo Jadlog, Total Express, Transfolha, DHL e Loggi.

Com a Amazon, trata-se de algo semelhante: ela utiliza os serviços dos Correios e de várias transportadoras — a lista inclui Total Express, Sequoia, Loggi, Jadlog e Shippify. Ela não possui uma operação própria de entrega no Brasil.

Funcionários protestam contra privatizar Correios

Os funcionários dos Correios entraram em greve para protestar a proposta de reajuste salarial de 0,8%, inferior aos 3,1% da inflação acumulada segundo o INPC (Índice de Preços ao Consumidor). A estatal diz em comunicado que "apresentou sua real situação econômica e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões".

A greve também foi motivada pelo processo de privatização dos Correios. A empresa entrou no PPI (Programa de Parceria de Investimentos) para decidir como ela será transferida para a iniciativa privada. Telebras, Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social) e mais estatais também serão vendidas.

Funcionários do SINDECTEB (Sindicato dos Empregados da ECT de Bauru e Região) em votação sobre greve

"Cerca de 80% das agências vão aderir à greve. Foram 36 sindicatos que em conjunto e com decisão unânime decidiram pela paralisação", diz à Veja Douglas Cristóvão de Melo, diretor de comunicação da Findect (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios).

Em nota, a Findect afirma que "a direção da ECT e o governo querem reduzir radicalmente salários e benefícios para diminuir custos e privatizar os Correios, entregar o setor postal a empresários loucos por lucro".

O Ministério da Economia, comandado por Paulo Guedes, preparou um estudo com diversos argumentos a favor da privatização dos Correios, incluindo casos de corrupção, interferências políticas na gestão e greves constantes.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Gesonel o Mestre dos Disfarces

Pelo contrário, o mérito importa! quem trabalha merece receber. quem toma decisões também, mas deve ser proporcional. tomar decisão qualquer um faz. Quero ver o véio da havan dentro da loja, vendendo. Quero ver o Tim Cook programando.
Sobre fracassar, estou muito bem, e justamente por ter EMPATIA, vejo que o sistema não funciona bem. Se vc acredita que basta trabalhar, ganha um milhão em pouquíssimo tempo que nem a Bettina e depois a gente conversa, ok?

Guilherme Solda

como não? ele vai ter que contratar alguém pra produzir segundo a sua mente perturbada isto é parasitar e não gerar emprego e oportunidade. se você tem sucesso e capital por que não receber mais. se uma profissão requer mais conhecimento e assumir mais riscos isso não justifica um salário mais alto? o que eu vejo na sua visão é que você é a favor da igualdade geral independente do esforço na sua visão perturbada o mérito não importa. nesse caso pra que existem empregos? pra que estudar? qual a motivação q vai levar alguém a fazer qualquer atividade complexa se a pessoa não vai ganhar nada com isso? .sua visão de mundo é surreal. aparente só existe o "patrão" e o funcionário não existem clientes, produtos ou economia, não existem necessidades a ser atendidas. saia dessa ilusão socialista falida e acorde pro capitalismo, acumule dinheiro pro bem não só seu mas das pessoas que são importantes para você, não seja mais um derrotista que fracassou e reclama culpando aqueles que tiveram sucesso como se eles fossem parasitas.

Renato Junior

O correio ja de longa data não presta um bom serviço, alem de cobrar um absurdo.
PRIVATIZAÇÃO URGENTE!!!!!!!!

Sandro Fabres

Ótimo! Muito obrigado pelo tempo dedicado a trazer dados. Sempre ajuda a todos que leem.

Eu sempre fui favorável que as coisas fossem como antes, quando eram proibidas greves de funcionários públicos, exatamente por isso:

as greves na iniciativa privada são de fácil solução porque cada dia parado tem um custo alto para o patrão. Já o governo ECONOMIZA com as greves, nas contas de luz e água, por exemplo . O custo da greve no setor público é apenas político, o que faz com que a única forma de atingir o governo seja gerando desconforto na população, que por sua vez deveria pressionar o governo por uma solução, embora instigada pela mídia ela tenha mania de pressionar os grevistas, como se a culpa da greve fosse deles e não do patrão, que está descumprindo algum acordo.

Só que para proibir funcionários públicos de fazer greves os reajustes salariais tem que ser automáticos né? E aí o povinho que trabalha na iniciativa privada vai gritar: "é privilégio!!!! só funcionários públicos tem reajuste automático, os outros precisam lutar por isso!!!!".

Similar ao raciocínio à falta de raciocínio) que fazem quando criticam a estabilidade do servidor público, porque não entendem que se o funcionário público não tiver estabilidade, na prática ele terá MUITO MENOS estabilidade que um funcionário da inciativa privada, que consegue pelo menso se garantir com capacitaçaõ, dedicação... No setor público, sem estabilidade, a cada troca de governante demitem-se os cabos eleitorais do anterior e emprega-se os novos, independente da capacidade.

Há muita coisa a corrigir no serviço público, mas na maioria das vezes não é na direção que o povo e a mídia supõem.

Guilherme Solda

empresas privadas no brasil cerca de 4,5 milhões de empresas
empresas publicas no brasil cerca de 400 empresas publicas contando estados e municipios.

greves:
publica 791
privada 655

proporção em relação a quantidade de empresas x greves
publica 5,056%
privada 0,00145%

proporção comparando a porcentagem entre os valores para possibilidade de greve entre publica e privada:

empresas privadas 0,0286%
empresas publicas 99,9713%

fontes

https://www.dieese.org.br/b...

https://agenciadenoticias.i...

https://www.google.com/sear...

so um adendo:

quando uma empresa privada entra em greve quem paga eh a empresa.

quando uma empresa publica entre em greve
quem paga é o cidadão.

Marcus Vinicius

Tudo no Brasil é caro, nós temos um dos maiores impostos do mundo, vc acha que isso n vai refletir no bolso do consumidor mesmo sendo privado? Agora quando empresa privada da preju quem paga é a gente com os impostos vide o Banco do Brasil.

Adriano de Souza Goncalves

No começo pode se que sim mas, depois de um tempo, o mercado a concorrência e necessidades ajustam o processo.

Adriano de Souza Goncalves

Dependendo do tamanho e peso da mercadoria os correios não entregaram, é só transportadora nesmo.!

Fabio Santos
Correio, metrô e motorista de ônibus são uma comédia querem manter direitos ferrando os outros, semana passada a paralisação de ônibus em SP fez pacientes que tinham agendado a meses perder consulta e estes lixos de grevistas riem da cara da população.
Fabio Santos

Correio, metrô e motorista de ônibus são uma comédia querem manter direitos ferrando os outros, semana passada a paralisação de ônibus em SP fez pacientes que tinham agendado a meses perder consulta e estes lixos de grevistas riem da cara da população.

Adriano de Souza Goncalves

Cara já foi muito mas muito pior, quando era do governo uma linha telefônica era um investimento tipo ter uma casa de aluguel, e você sabe o governo nunca tem dinheiro e intensão para investir a longo prazo.

Gesonel o Mestre dos Disfarces

Sim, mas neste caso ele não está parasitando o trabalho dos outros. O custo de um executivo é absurdo e inviável. Deveria receber um pro labore e olhe lá.

Luiz M Vasconcelos

Sendo eles dizem que paralisaram serviço com horário marcado essa mensagem do Mlivre queimou o filme das vendas O envio deste produto é pelos Correios e, no momento, estão em greve.
Por isso, a data de entrega é mais longa do que de costume. Desculpe. Parou geral de vender

José Carlos

Esse é a razão pela qual não compro mais nada do Mercado Livre, uma vez que onde moro só o Correio que entrega. Assim sendo, podem ficar em greve eternamente, já que não uso para mais nada.

Luiz M Vasconcelos

Coisa de vagabundo

Exibir mais comentários