Início » Computador » AMD anuncia update de BIOS que corrige clock máximo dos chips Ryzen 3000

AMD anuncia update de BIOS que corrige clock máximo dos chips Ryzen 3000

Vários processadores da série Ryzen 3000 não estavam alcançando a frequência de boost anunciada pela AMD

Por
11/09/2019 às 16h46

Muita gente ficou frustrada ao descobrir que os processadores Ryzen 3000 não alcançam a frequência máxima especificada pela AMD. O problema não chega a ser grave, mas foi o suficiente para deixar uma impressão de “propaganda enganosa” no ar. A reação foi rápida, porém: a AMD anunciou uma atualização de BIOS que promete ajustar o boost dos chips afetados.

AMD Ryzen 3000

O problema veio à tona depois que Der8auer, um youtuber especializado em overclocking, fez um levantamento junto a donos de computadores equipados com chips Ryzen 3000 (terceira geração) para saber se as suas respectivas unidades estavam alcançando o clock máximo estabelecido pela AMD.

Os resultados mostraram que não em boa parte dos casos. Só para dar uma ideia, somente 5,6% dos donos de chips AMD Ryzen 9 3900X relataram ter alcançado a frequência máxima para esse modelo (4,6 GHz).

Pelo jeito, o trabalho de Der8auer foi bem conduzido: dois dias depois da publicação do vídeo sobre o assunto, a AMD prometeu uma solução para 10 de setembro.

Promessa cumprida: a AMD anunciou em seu blog uma atualização de BIOS que corrige o boost.

Não parece ser um problema complexo. Basicamente, o que a AMD diz é que o algoritmo que possibilita o aumento de clock tinha uma falha que fazia a frequência máxima ficar, em média, de 25 a 50 MHz abaixo do esperado. Com a atualização, o clock estabelecido originalmente para o boost é alcançado.

A AMD negou ter ajustado o clock máximo para baixo de maneira intencional. Havia especulação de que essa decisão teria sido tomada para evitar diminuição da vida útil dos processadores, mas a companhia refutou veementemente essa suspeita.

Se você é dono de um computador com chip Ryzen de terceira geração, precisa de um pouco de paciência: a atualização (o firmware AGESA 1003ABBA) já foi enviada aos fabricantes de placas-mãe, mas pode levar duas semanas ou mais para essas empresas liberarem o update de BIOS com a correção.