Início » Aplicativos e Software » Serviço de audiobooks Storytel estreia no Brasil por R$ 27,90 ao mês

Serviço de audiobooks Storytel estreia no Brasil por R$ 27,90 ao mês

Storytel também dá acesso a podcasts, documentários, produções originais e outros conteúdos em áudio

Emerson Alecrim Por

Mais uma plataforma de áudio desembarca no Brasil, mas não estamos falando de um novo concorrente para o Spotify ou Apple Music: a Storytel é especializada em audiobooks, podcasts, séries, documentários e outros conteúdos audíveis.

Audiobooks ainda não são muito populares no Brasil, mas ganham força por aqui à medida que o acervo de publicações em português aumenta.

Contribui para isso a crescente percepção de que o formato é uma maneira interessante de consumir conteúdo enquanto outras tarefas são realizadas — você pode ouvir um audiobook enquanto dirige, por exemplo.

De origem sueca, a Storytel chega ao Brasil de olho justamente no crescimento do segmento de conteúdo em áudio por aqui. O país é o 18º mercado em que a companhia marca presença.

Storytel

A versão brasileira da plataforma custa R$ 27,90 por mês e oferece 14 dias de teste gratuito. Atualmente, o acervo da Storytel é composto por mais de 300 mil títulos entre audiobooks, podcasts, séries e canais de informação.

Produções em inglês são predominantes na plataforma, mas o acervo em português não aparenta ser inexpressivo. Obras como Assassinato no Expresso Oriente, O Pequeno Príncipe (com narração de Marcelo Tas), O Poder do MasterMind e Seja Singular aparecem nos destaques deste mês.

Como não poderia deixar de ser, o aplicativo oficial (para Android e iOS) traz várias funcionalidades, como permitir download para consumo offline, alternância entre vários conteúdos, ajuste da velocidade de reprodução, entre outros.

O plano é ir além dos audiobooks. O catálogo de estreia da Storytel no Brasil inclui podcasts com personalidades como Monja Coen, Fred Elboni e Madama Brona. Futuros podcasts devem trazer ainda nomes como Clara Averbuck, Thalita Rebouças e Regina Navarro Lins.

No Brasil, a Storytel fará concorrência com serviços como Ubook e Tocalivros, cujas assinaturas custam R$ 29,90 e R$ 19,90 por mês, respectivamente.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Thiago Moraes

Não consigo me prender a uma história ouvindo o livro em vez de lê-lo. Eu já tentei e é estranho, talvez falta de costume mesmo. Prefiro ler.

Daniel_F
Assinei uBook uma vez, mas a narração era com uma voz tão irritante que não usei mais. O Audible da Amazon tem gravações muito mais agradáveis.
Daniel_F

Assinei uBook uma vez, mas a narração era com uma voz tão irritante que não usei mais. O Audible da Amazon tem gravações muito mais agradáveis.

P. Herrera

Não há resposta melhor. 😂

Lobo Solitário

Nem podcast escuto, imagina audiobooks. Livros ainda prefiro o bom e velho método.

Viniçious

Eu ja ouvi alguns audio books, mas confesso que tem alguns narradores que eu não gostei muito da voz, o que me faz parar de ouvir

thejorsias

Todo mundo precisa lavar a louça.

farley ferreira silva

qual a diferenca entre uma pessoa preguiçosa para ler e uma preguiçosa para ouvir

Andre Kittler

Numero legal, nos USA: 40% dos americanos já escutaram algum audiobook. O consumo em 2018 aumentou 20% - no mesmo período livro de papel subui 1.5% e ebooks cairam 5%

Na pratica: se você escuta podcast, não tem motivo algum (tecnicamente falando) para não escutar audiobook. É pratico, agradável, e pode ser consumido em qualquer lugar. Tipo... podcast.

Para quem entende em inglês o suficiente para podcast mas ficou com medo de pegar "um livro em inglês" (como eu, a alguns anos atras)... uma dica que não me deram: inicia por algum livro simples e bem narrado. We Are Bob ou How to be a Wizard me veem em mente. Acostuma, e aos poucos vai passando para livros mais complexos tranquilamente. Audio book bay é um lugar legal que não deve ser lincado....

P. Herrera

Até funciona. Só não tem biblioteca em português.

Thalles Ferreira

A Amazon já possui o Audible, só não funciona no Brasil.

P. Herrera

Tá aí um tipo de mídia que não curti.
Acho estranho demais. Mas entendo o propósito: Deficientes, pessoas sem tempo, pessoas preguiçosas e aquelas pessoas q não gostam de ler msm.

uB.

Seria bom a Amazon comprar uma desses empresas e incorporar no seu portfólio de serviços do Prime, acho q ia dar bom.

Se bem q... Amazon precisa mesmo é melhorar seus apps. Tem tanto dinheiro e tudo mais ou menos meia boca

Thalles Ferreira

Mês passado (ou retrasado) ouvi meu primeiro grande audiobook numa plataforma chamada Auti. A experiência de ouvir um livro (narrado por uma atriz com bela dicção) foi ótima, mas a plataforma era péssima, medonha mesmo. Muitos bugs.

Espero que decole a ideia dos audiobooks, para além de facilitar a vida dos "preguiçosos", ajuda bastante pessoas com deficiências.
O problema é que a pulverização de plataformas acaba fazendo com que não cresça muito o mercado por ninguém saber exatamente onde focar. Mais ou menos o que eu penso das plataformas de streaming de séries/filmes. Vai dar errado.

Capitão Caverna

Como audiobook não é algo que vc se prende a ouvir repetidas vezes, é perfeitamente possível manter-se flutuando entre um e outro.
Exemplo: monto uma lista de livros para ouvir no Storytel. Depois de ouvir todos, cancelo a assinatura e vou para o Tocalivros e assim por diante.