Início » Negócios » França quer banir Libra, criptomoeda do Facebook, na União Europeia

França quer banir Libra, criptomoeda do Facebook, na União Europeia

Para ministro francês, o Libra ameaça e segurança e estabilidade financeira da União Europeia

Victor Hugo Silva Por

O Facebook enfrenta muitas dificuldades para implantar o Libra. A criptomoeda já tem forte rejeição de reguladores nos Estados Unidos, que exigiram a suspensão de seu lançamento. Agora, a França defende sua proibição na União Europeia.

Facebook Libra

Em reunião sobre blockchain na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, defendeu que o Libra seja proibido no continente por conta de ameaças à segurança e à estabilidade financeira na região.

“Quero ser absolutamente claro: nessas condições, não podemos autorizar o desenvolvimento do Libra em solo europeu”, afirmou. Para Le Maire, a criptomoeda desafiará a independência dos países da União Europeia. “A soberania monetária dos estados está em jogo”.

De acordo com o Le Figaro, as autoridades temem que o Libra contribua para crimes como lavagem de dinheiro e evasão fiscal ou que seja usada para financiar grupos terroristas. Há, ainda, dúvidas sobre os riscos que poderiam surgir por falhas no funcionamento da criptomoeda.

Ainda não está claro qual mecanismo a União Europeia usaria para proibir o Libra. Porém, os 19 países que compõem o bloco concordam em adotar uma abordagem rígida, o que deve afetar outras criptomoedas.

UE discute criptomoeda pública

Em meio a críticas ao Libra, os países da Zona do Euro estudam a criação de sua própria criptomoeda. O grupo já analisa, há anos, formas de facilitar os pagamentos digitais. O anúncio do Facebook fez as discussões serem retomadas.

A proposta atual é estimular a utilização do TIPS, um serviço de pagamento em tempo real lançado em 2018 pelo Banco Central Europeu. Assim como a proposta do Libra, ele permite que usuários tenham contas digitais sem bancos ou intermediários.

Segundo a Reuters, o ministro francês defendeu a criação de uma criptomoeda europeia e prometeu discutir o assunto com representantes de outros países do bloco. Enquanto isso, o Libra segue em desenvolvimento.

Anunciada em junho, a moeda do Facebook será regulada na Suíça. Ela será administrada pela Libra Asssociation, um grupo de 28 empresas que inclui marcas como Visa, Mastercard, PayPal, Uber, Lyft, Spotify, eBay, Mercado Pago e Calibra, a nova subsidiária do Facebook para serviços financeiros.

Com informações: VentureBeat.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

phsodre

A vdd é que isso só funciona com o Bitcoin e afins, pq não existe forma de legislar sobre isso na internet e as moedas simplesmente não pediram permissão para existir. Agora isso em um universo, onde diversas gigantes em seus setores investem na moeda e em sua estrutura, além de ter o Facebook como seu fundador, é óbvio que chamaria a atenção de Governos. Primeiramente na receita perdida de um dinheiro que não será controlado por eles (muito embora todo o investimento, parta do dinheiro real) e depois somente depois e menos importante, por partir de uma empresa com tantos escândalos em proteção de dados. Os usuários assim que se sentirem em vantagem, esquecem rapidamente do que já aconteceu com o Facebook, enquanto os Governos estarão sempre usando esse fato como um dos principais argumentos. É uma discussão que sinceramente pode ir longe ainda!

Fábio

Quero ver tu manter essa mesma opinião depois de encarar o metrô de Paris...

Fábio Valentim

Tinha que ser a França!

Highlander

O Brasil está na América Latrina, não preciso dizer mais nada!

Luizão

só pq abriram as "porteiras" pra imigrantes?

Luizão

o grande problema é, se os governos são fdp, ngm duvida, mas o facebook seria mais fdp ou menos fdp????

Verdade, o Brasil que é maravilhoso.

Highlander

França é um país decadente!

Trovalds

Uma coisa é Bitcoin e assemelhados. Ninguém tem controle sobre. Elas flutuam de valor ao sabor do mercado. Hoje você pode ter alguns milhares em equivalente Bitcoin e amanhã pode ter centavos.

Outra coisa é uma moeda capitaneada por uma empresa do tamanho do Facebook. Alguém acha mesmo que não vai haver intervenção pra evitar flutuações bruscas?

Andre Kittler

Eu estou (ou estava) cautelosamente otimista com essa moeda. A ideia de uma moeda ESTÁVEL como base no meu ver é essencial, e tem um monte de coisa que seria interessante em uma moeda assim descentralizada (ou relativamente descentralizada, o que no caso da libra novamente me serve, confio o suficiente nesses gigantes).
Mas é dose. Não tem como sair do simples fato que essa coisa facilita incrivelmente transações ilegais em quantidades absurdas. E mesmo que isso seja usado mais como desculpa - não é de interesse do governo perder o monopólio sobre a moeda que circula - é uma desculpa bem válida.