Início » Brasil » Simulador veicular já não é obrigatório para obtenção de CNH

Simulador veicular já não é obrigatório para obtenção de CNH

Com mudança, número obrigatório de horas/aula para CNH categoria B cai de 25 para 20

Emerson Alecrim Por

Novas regras para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) entraram em vigor nesta segunda-feira (16). A mais importante delas põe fim a um quesito controverso: por determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a partir de agora, as aulas em simulador de direção veicular deixam de ser obrigatórias.

O simulador passou a ser obrigatório nas autoescolas em 2015 para obtenção de CNH de categoria B e foi adotado sob o argumento de reduzir o risco de acidentes com quem está tendo os primeiros contatos com a direção de um carro. Mas, para Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura, nunca houve comprovação de que o simulador é eficaz.

Agora, o simulador é um equipamento facultativo nas autoescolas de todo o Brasil. Por ora, a única exceção é o Rio Grande Sul: o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) manteve o simulador como obrigatório no estado por entender que a sua revogação não tem fundamentação que justifique a mudança.

Simulador RSV-3

No restante do país, o fim do uso do simulador reduz ainda o número de aulas práticas de 25 para 20 aulas/hora. Isso porque, desse total, cinco horas/aula deveriam ser executadas no equipamento. A nova carga horária é a mesma que era exigida antes da exigência do simulador.

Na época em que a decisão foi tomada, o governo federal declarou que a expectativa é a de que as mudanças ligadas à desobrigação dos simuladores façam os custos para obtenção da CNH caírem por volta de 15%.

Mudanças na ACC (para cinquentinhas)

Outra mudança diz respeito às chamadas cinquentinhas: até setembro de 2020, a obtenção da ACC (Autorização para Conduzir Ciclomotor) para condução de motos de 50 cc exigirá apenas a realização das provas teórica e prática.

As aulas práticas para ACC só serão exigidas em caso de reprovação nos testes. Elas voltarão a ser obrigatórias depois de setembro de 2020, mas com um número de aulas reduzido: a quantidade de horas/aula cairá de 20 para cinco, com uma delas devendo ser realizada à noite.

Com informações: Agência Brasil.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jean Ricardo

Tirei minha habilitação em 2004, sem simulador, com 15 aulas, por R$ 480,00 reais, mané simulador.

Thiago Moraes

Graças a Deus já passei por isso e estou habilitado. Infelizmente tive que fazer as 5 aulas nessa besteira de simulador. Acho que essa porcaria iria até servir para alguém sem noção de nada de nada de direção. Fora isso é perda de tempo e foi investimento altíssimo das auto escolas e certamente alguém amiguinho do político que criou isso ficou muito rico.

Frederico Martins

Finalmente!

Baidu feat MC Brinquedo

Acredito que as aulas são opcionais (por parte do aluno).

RODRIGO

Acho que sim!!!

RODRIGO
Deveria era acabar com a obrigatoriedade do candidato fazer autoescola para todos os tipos de veículos, isso sim!!! Fazer exames médicos, práticos e teóricos via DETRANS dos estados e só, sem burocracias imbecis!!!!!
RODRIGO

Deveria era acabar com a obrigatoriedade do candidato fazer autoescola para todos os tipos de veículos, isso sim!!! Fazer exames médicos, práticos e teóricos via DETRANS dos estados e só, sem burocracias imbecis!!!!!

Hemerson Silva
Obrigam a autoescola a se endividar com o simulador e agora não é mais obrigatório. Parabéns aos envolvidos.
Hemerson Silva

Obrigam a autoescola a se endividar com o simulador e agora não é mais obrigatório. Parabéns aos envolvidos.

Gabs
mimimi bozo mimim...
Gabs

mimimi bozo mimim...

Keaton

Eu tava querendo tirar carteira só pra brincar no simulador... D:

Alex Edelweiss

O software dessas tranqueiras são de péssima qualidade. Nem de longe reproduzem a experiência real de dirigir.

Baidu feat MC Brinquedo

Esse é o 1 do 7x1?

Fernando Val

Primeiro obriga todo mundo a comprar um equipamento caro alegando que reduziria acidentes, sem nenhum estudo dessa "tese".

Anos depois conclui que nada comprovou sua eficácia e desobriga o uso do equipamento.

Algum "amiguinho" fabricante de simuladores ganhou muito com isso, aposto.

Exibir mais comentários