Início » Celular » Pixel 4 XL tem novo Google Assistente e desbloqueio facial

Pixel 4 XL tem novo Google Assistente e desbloqueio facial

Se eu fosse o Google nem faria mais evento oficial para lançar os novos Pixel 4

Paulo Higa Por

O Google fará um evento em 15 de outubro para lançar os novos Pixel 4, mas nem precisaria. Um novo artigo de primeiras impressões (sim, já houve outros) do Pixel 4 XL mostra o novo Google Assistente em ação, além de revelar mais detalhes da tecnologia de reconhecimento facial e do display com taxa de atualização de 90 Hz.

Google Pixel 4 XL (Foto: Nextrift)

O site Nextrift colocou as mãos em um Pixel 4 XL para descobrir se ainda existe alguma novidade no celular mais vazado da história. O primeiro detalhe que chama atenção é o recurso Smooth Display: ele promete ajustar dinamicamente a taxa de atualização da tela entre 60 e 90 Hz. No entanto, durante os testes, o aparelho ficou travado em 90 Hz — portanto, é provável que os 60 Hz só apareçam em aplicativos incompatíveis.

Google Pixel 4 XL (Foto: Nextrift)

O Pixel 4 XL tem um novo recurso de desbloqueio facial, que pode ser mais inteligente que em outros Androids. O processo de configuração é similar ao Face ID dos iPhones, exigindo que o usuário faça movimentos circulares com a cabeça para registrar o rosto. Nos testes, foi possível desbloquear o aparelho mesmo no escuro ou segurando-o de formas pouco convencionais, como de ponta-cabeça.

O Google parece confiar muito no reconhecimento facial do Pixel 4 XL, já que o aparelho não terá um leitor de impressões digitais, seja capacitivo ou sob a tela. Apesar disso, a empresa ainda avisa que o celular pode ser desbloqueado por alguém muito parecido com você, como um irmão gêmeo.

Google Pixel 4 XL (Foto: Nextrift)

O novo Google Assistente também estreará no Pixel 4. Além do visual, a grande diferença é que ele processa seus comandos de voz no próprio dispositivo, em vez de sempre enviar tudo para os servidores do Google. Com isso, o assistente pessoal ficou até dez vezes mais rápido em comparação com a versão atual.

“A próxima geração do Assistente foi notavelmente mais rápida no processamento das nossas solicitações, o que a torna muito mais natural de usar. Graças ao Continued Conversation, também podemos dar novos comandos ao Assistente um após o outro, sem precisar dizer ‘Ok, Google’ todas as vezes”, diz o Nextrift.

E o que mais falta ver em um smartphone que ainda não foi lançado? Ah, um teste de câmera, claro. Eis algumas fotos capturadas com o Pixel 4 XL:

Google Pixel 4 XL (Foto: Nextrift)

Google Pixel 4 XL (Foto: Nextrift)

Google Pixel 4 XL (Foto: Nextrift)

O evento oficial para confirmar os vazamentos do Pixel 4 XL acontecerá em 15 de outubro. Ele chegará com Snapdragon 855, 6 GB de RAM, 128 GB de armazenamento, bateria de 3.700 mAh e câmeras de 12,2 megapixels (traseira) e 8,1 megapixels (frontal). A tela OLED de 6,23 polegadas tem resolução de 3040×1440 pixels e uma borda generosa na parte superior, sem notch.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

José Vieira

Ao que parece, garoto; falta-lhe, além de boas ideias e argumentos para defender, intimidade com a língua pátria. rs... Ou, sofres de algum mal que deturpa o sentido das coisas de acordo com seu alvitre. Abaixo vai a definição aposta no dicionário MIchaelis do termo "DEBATE", caso discorde dele vá atrás do dicionarista que a elaborou. Caso ainda ache que o Disqus não é um fórum onde se estabelece esse tipo conversação deixe o endereço. Na primeira oportunidade te mandarei um diário para que guarde suas impressões sobre o mundo, coisas e os assuntos que têm interesse. Assim, estarão, tu e tuas ideias, protegidos da infamante ideia que as outras pessoas têm destas mesmas coisas.
https://uploads.disquscdn.c...

Trovalds

Bem lembrando: quando há DEBATE.

José Vieira

Penso que quando se participa de um debate o comum é a réplica/tréplica dos envolvidos, se para você, quando apontam suas contradições e argumentação ruim ou falha, isso é perseguição. Sinto muito, garoto, anote suas impressões e opiniões NUM DIÁRIO - as meninas nos 80 todas tinham, nesse atual movimento de costumes vintage, e revolução de gênero deve ser tendência, seja feliz...

Trovalds

Incompleto é diferente de falho. E que obsessão é essa de ficar me perseguindo e replicando tudo quanto é comentário meu? Eu, hein.

José Vieira

Esse cara desse comment acima é esse mesmo aqui:

"O preocupante é a empresa lançar um produto admitindo que ele tem falhas e nenhuma solução backup de biometria no aparelho. É basicamente você lançar um carro esportivo com pneus e freios não compatíveis com a potência do carro: "nosso carro atinge 250km/h mas você tem chances de causar um acidente se ultrapassar 120km/h". Em se tratando de segurança, ou você lança algo que seja quase infalível ou não lança. Você lançar um produto com um recurso que você não confia no mínimo vai causar burburinho."

rs... eu hein!

Trovalds

A própria Apple admitiu que quando lançou o iPhone X o Face ID não estava de acordo com o que eles projetaram e o produto final foi simplificado por questão de prazos. Pelo menos ele não é enganado com uma foto.

Trovalds

Vão insistir mesmo em notícia antiga?

paulo yan

Não com irmãos gêmeos:

https://www.techtudo.com.br...

André G

O 2XL foi o Pixel mais bonito já feito, já o 3XL acho que foi o mais feio.
E o som estéreo frontal vai fazer falta.

André G

Som estéreo frontal era uma qualidade dos Pixels que quase nenhum aparelho oferece hoje em dia, infelizmente acabou nessa linha, triste.

José Vieira

Não se trata de saber se funciona ou não, é que dentro dos seus parâmetros este produto foi lançado com defeito grave, mas a Apple está perdoada porque não contou pra ninguém, rs...

José Vieira

Menos, rs... bem menos:

https://www.tudocelular.com...

José Vieira

Uma empresa ser franca com seu consumidor e alertá-lo que o produto que ele pretende adquirir pode incorrer em falha, por mais remotas que sejam as chances, é preocupante? Perdão, mas - na minha opinião, preocupante seria vender o produto com a chancela do "à prova de falhas", rs... #soacho

Como exemplo, vou também citar "carros", mas exatamente o Golf 1.4 TSi que sai de fábrica com limitador de velocidade e um aviso garrafal: a fabricante não se responsabiliza se o limitador de velocidade falhar, além de outros avisos:

O limitador de velocidade não libera o condutor da responsabilidade da velocidade de condução. Não dirigir com aceleração máxima se isso não for exigido.

A utilização do limitador de velocidade em condições adversas é perigoso e pode levar à graves acidentes, por exemplo por meio de aquaplanagem, neve, gelo ou folhas.
Somente utilizar o limitador de velocidade, quando a condição da pista e condições meteorológicas permitirem.

Ao conduzir em declives, o limitador de velocidade pode não limitar a velocidade do veículo. A velocidade pode aumentar devido ao peso próprio do veículo. Reduzir a marcha ou frear o veículo com o freio.
Mickão

Eu não disse "adaptação", eu disse combinação entre hardware e software, isso se chama otimização e é um conceito completamente diferente de adaptar. A Google tem toda a possibilidade de fazer esse "casamento" dar certo, basta vontade. Claro, isso não quer dizer que a bateria vai ser o supra sumo do mercado, mas pode entregar bons resultados sim.

Trovalds

O preocupante é a empresa lançar um produto admitindo que ele tem falhas e nenhuma solução backup de biometria no aparelho. É basicamente você lançar um carro esportivo com pneus e freios não compatíveis com a potência do carro: "nosso carro atinge 250km/h mas você tem chances de causar um acidente se ultrapassar 120km/h". Em se tratando de segurança, ou você lança algo que seja quase infalível ou não lança. Você lançar um produto com um recurso que você não confia no mínimo vai causar burburinho.

Exibir mais comentários