Início » Computador » PLC: a tecnologia que pode deixar os SSDs baratos e com mais capacidade

PLC: a tecnologia que pode deixar os SSDs baratos e com mais capacidade

Um possível efeito colateral: SSDs com chip PLC poderão ter baixo desempenho nas leituras e escritas de dados

Emerson Alecrim Por

Quem é que não gostaria de ter um SSD barato e com alta capacidade de armazenamento? A tecnologia PLC (Penta-Level Cell) para chips NAND que a Intel está desenvolvendo pode ser a resposta para isso, mas com um possível efeito colateral: dependendo das circunstâncias, o desempenho das unidades do tipo poderá cair consideravelmente.

Intel SSD 660p

Para que você possa entender o que as especificações PLC têm de diferente, convém fazermos uma rápida recapitulação. Hoje, a indústria trabalha com quatro tipos de células de memória NAND Flash: SLC, MLC, TLC e QLC. O que os diferencia é a quantidade de bits que cada célula pode armazenar:

  • SLC (Single-Level Cell): 1 bit
  • MLC (Multi-Level Cell): 2 bits
  • TLC (Triple-Level Cell): 3 bits
  • QLC (Quad-Level Cell): 4 bits

O nome Penta-Level Cell já dá uma pista: o PLC vem para permitir que cinco bits sejam armazenados por célula. Isso significa que poderemos ter SSDs com mais capacidade de armazenamento, mas sem que essas unidades tenham que aumentar de tamanho físico, o que também implica em custo menor por gigabyte.

Mas existe uma limitação: a capacidade de armazenamento de dados pode até aumentar, por outro lado, o desempenho do SSD nas operações de leitura e escrita tende a cair à medida que cresce a quantidade de bits por célula.

Há soluções (ou paliativos) para isso. O Ars Technica dá como exemplo alguns SSDs recentes da Samsung, como o Samsung 860 QVO. Essa linha é baseada em chips NAND QLC (relembrando, com quatro bits por célula), mas conta com cache SLC (um bit por célula), um tipo mais rápido.

Graças a esse cache, o Samsung 860 QVO de 1 TB pode chegar a 520 MB/s (megabyte por segundo) na escrita de dados. O problema é que, se por alguma razão o cache ficar indisponível (como quando a demanda por operações supera a capacidade dessa memória), a taxa de escrita pode cair para 80 MB/s.

Evolução das tecnologias de SSD da Intel

Evolução das tecnologias de SSD da Intel

A Intel ainda não divulgou todos os detalhes referentes à sua tecnologia PLC, por isso, ainda não está claro quais taxas de leitura e gravação as unidades do tipo poderão atingir, tampouco a vida útil estimada que elas terão (mensuradas em ciclos de gravação).

Também não há informação sobre quando SSDs baseados em PLC chegarão ao mercado, mas o Ars Technica aponta que, dadas as prováveis limitações de desempenho da tecnologia, é possível que os primeiros modelos sejam destinados a datacenters ou soluções para NAS, por exemplo.

A Intel não está sozinha nessa empreitada. Companhias como Toshiba e Western Digital também já tocam pesquisas sobre chips PLC.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Marcogro® 🤔

Verdade m.2 nunca vi, só ouço falar...

brazlocateli

Escrita lenta não é exatamente ruim, é só direcionada para um publico especifico. Fora o NAS, no PC poderia servir para um disco de mídias, possivelmente para um PS4 pela USB só para armazenar jogos.
Acho que o grande fator determinante dessa tecnologia vai ser o preço, se vierem cobrando o mesmo (ou quase o mesmo) de um SSD normal não acredito servirá.

brazlocateli
Escrita lenta não é exatamente ruim, é só direcionada para um publico especifico. Fora o NAS, no PC poderia servir para um disco de mídias, possivelmente para um PS4 pela USB só para armazenar jogos. Acho que o grande fator determinante dessa tecnologia vai ser o preço, se vierem cobrando o mesmo (ou quase o mesmo) de um SSD normal não acredito servirá.
brazlocateli

A Seagate tem HDs 2,5 polegadas com 128mb de cache, coloquei um no PS3 e a diferença para os HDs anteriores (todos 8mb de cache) é perceptível.

zoiuduu .

nao sei se um monte de redes 5g nao daria interferencia, as wifi de hj em dia dao

Jean Veiga Rodrigues

Tá por fora do assunto heim. Essa série Intel 660p é a que tem melhor custo benefício nós SSDs m.2

Homer Simpson

ai eh metade do mundo querendo saber isso

Felipe Fritsch

O Intel 660p na foto já tem a tecnologia QLC (quad), ela barateia de fato, mas além da perda de velocidade, ela perde durabilidade, em TBW. Tem outras formas de baratear SSD (tipo o processo de fabricação), e mesmo os SSDs mais top são em maior parte em TLC, tipo o 970 Evo. Só que a Samsung deu um trato e ele ainda tem 1700 TBW de durabilidade, contra 200 do 660p equivalente.

Felipe Fritsch

Sim, isso se chama um SSHD. Geralmente tem caches de 16gb. Alternativamente dá pra colocar um Optane de 16 também, ou mais.

Eles são mais rápidos que hds normais mas ainda não chegam no nível nem de um SSD normal SATA de entrada. E tem todos os problemas do HD mecânico.

Uriel Dos Santos Souza

No BR sim

rmcrys

Eu continuo a usar (na Europa) e funciona que é uma maravilha

Felipe

É uma questão de avanço tecnológico até deixar o PLC tão rápido quanto os seus antecessores. Daqui a pouco tempo a transferência de dados do Pc será toda feita por 5g interno. Conseguem imaginar algo assim?

Cassio Luis Riboli

Correto, cada escrita utiliza 3 bits nos TLC ja os modelos duráveis usam 1 ou 2 bits, geralmente um SSD tem que durar o dobro da capacidade

Cassio Luis Riboli

Falam que o HD mecânico é lento, ok mas ja pensaram em botar 50,100mb ou mais de cache? Se pegar um com 2mb de cache e um de 16mb ja se vê a diferença

Credulos

É preocupante o desempenho depender tanto do cache, SSDs atuais ate aquelas que não possuem memoria cache possuem uma taxa de leitura e escrita bem interessante, seria uma pena ver uma nova tecnologia sendo inferior em performance por conta disso.

Exibir mais comentários