Início » Negócios » Taboola e Outbrain anunciam fusão para disputar com Google e Facebook

Taboola e Outbrain anunciam fusão para disputar com Google e Facebook

Para se aproximarem de Google e Facebook, as empresas chegaram a um acordo de mais de US$ 250 milhões

Por
03/10/2019 às 15h14

Boa parte dos sites que você acessar possui áreas de publicidade da Taboola ou do Outbrain. É o caso do Tecnoblog, por exemplo. As plataformas, que integram artigos desses sites com links patrocinados, anunciaram uma fusão para tentar competir com Google e Facebook.

O comunicado sobre o acordo indica explicitamente que a meta é buscar uma competição mais nivelada com Google e Facebook. As empresas foram classificadas por Taboola e Outbrain como um “duopólio”, devido ao domínio no setor de publicidade online.

O negócio aguarda apenas a aprovação de reguladores para ser concluído. Ele fará com que a operação das duas empresas fique centralizada sob a estrutura da Taboola. Com isso, os acionistas da Outbrain repartirão US$ 250 milhões em dinheiro e passarão a controlar 30% da nova empresa.

Ela será chefiada pelo CEO e fundador da Taboola, Adam Singolda. “Ao unir forças, poderemos criar um concorrente mais robusto para o Facebook e o Google, oferecendo aos anunciantes uma escolha mais significativa”, afirmou o executivo.

A meta foi reiterada pelo co-CEO da Outbrain, David Kostman. “Estou ansioso para trabalhar com Eldad [Maniv, presidente da Taboola] e sua equipe para reunir o melhor da experiência em tecnologia, produtos e negócios de cada empresa para criar uma alternativa global atraente ao Google e ao Facebook”.

Com o acordo, a nova empresa passará a reunir 2 mil funcionários em 23 escritórios ao redor do mundo. Ela atuará em 50 países espalhados nas Américas, na Europa, no Oriente Médio e na região do Ásia-Pacífico e oferecerá serviços para mais de 20 mil clientes.

Fundada em 2006, a Outbrain é usada em sites de veículos como CNN, The Washington Post, BBC e El País. A Taboola foi criada um ano depois e aparece em sites como CNBC, Huffington Post, Microsoft e El Mundo.

Mais sobre: ,