Início » Negócios » Mercado Pago também retira apoio à criptomoeda Libra, do Facebook

Mercado Pago também retira apoio à criptomoeda Libra, do Facebook

Além do Mercado Pago, a Associação Libra já perdeu parceiros como Mastercard, Visa e PayPal

Victor Hugo Silva Por
14/10/2019 às 16h46

O Facebook perdeu mais um parceiro no desenvolvimento de sua criptomoeda. Depois das cinco baixas iniciadas com o PayPal, foi a vez do Mercado Pago deixar a Associação Libra, o grupo criado para lançar a moeda digital baseada em blockchain.

Libra, a criptomoeda do Facebook, também perdeu apoio do Mercado Pago

A informação, confirmada por Reuters e Financial Times, sinaliza a dificuldade do Facebook de manter empresas na Associação Libra após resistência de reguladores. Segundo eles, o Mercado Pago deixou o grupo na sexta-feira (11), mesmo dia em que Visa, Mastercard, eBay e Stripe também tomaram a decisão.

No início de outubro, o Wall Street Journal já havia divulgado que Mastercard, Visa e outros parceiros repensavam o apoio ao Libra. Em agosto, o Financial Times indicava que dois parceiros pensavam em abandonar o projeto.

A ideia de uma moeda digital administrada pelo Facebook teve uma recepção negativa em vários países. A França, por exemplo, quer que o Libra seja banido na União Europeia. Já os Estados Unidos pediram a suspensão de seu lançamento.

Em geral, os reguladores apontam os riscos da moeda para a estabilidade econômica e a possibilidade de crimes como lavagem de dinheiro serem facilitados com sua existência. Ainda na semana passada, dois senadores americanos alertaram Mastercard, Visa e Stripe sobre os perigos.

"Se aceitarem isso, poderão esperar um alto nível de escrutínio dos reguladores não apenas nas atividades de pagamento relacionadas à Libra, mas em todas as atividades de pagamento", afirmaram os democratas Sherrod Brown e Brian Schatz, em carta enviada dias antes de as empresas retirarem seu apoio.

Quando o assunto é sua criptomoeda, o Facebook não deverá ter uma folga tão cedo. Em 23 de outubro, Mark Zuckerberg deve voltar a Washington, D.C. para prestar um depoimento ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos EUA.