Início » Telecomunicações » Bolsonaro comenta 5G no Brasil e não se posiciona em disputa EUA x China

Bolsonaro comenta 5G no Brasil e não se posiciona em disputa EUA x China

Bolsonaro teve conversas particulares com presidente americano Donald Trump sobre Huawei; Brasil fará leilão 5G em 2020

Felipe Ventura Por
25/10/2019 às 17h42

O presidente Jair Bolsonaro está em visita oficial à China, e declarou nesta sexta-feira (25) que não se posicionará no momento sobre a disputa comercial envolvendo os EUA. Ele teve conversas particulares com o presidente americano Donald Trump sobre a Huawei, e afirmou que o Brasil vai priorizar as melhores ofertas no leilão do 5G.

Jair Bolsonaro e Xi Jinping

Jair Bolsonaro e o presidente chinês Xi Jinping em 25 de outubro de 2019 (Isac Nóbrega/PR)

Trata-se de uma situação delicada: o governo brasileiro não quer irritar os EUA, mas não quer afastar a Huawei do país. A empresa fabricou 70 mil das 86 mil antenas de rádio em operação no Brasil; e responde por dois terços das antenas 5G fora da China.

No início da semana, Bolsonaro disse que o tema do 5G "não está no meu radar", e que os chineses conversaram apenas com o vice-presidente Hamilton Mourão sobre isso. De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araujo, o assunto não entrou na agenda dos encontros bilaterais em Pequim.

Então, nesta sexta-feira, Bolsonaro disse à Folha que o país vai esperar pela melhor oferta no leilão do 5G, a ser realizado em 2020, pois "não podemos ficar atrás da tecnologia". Ele completou afirmando que "o Brasil sempre primou por buscar o comércio e não ferir suscetibilidades". O presidente também revelou que teve uma conversa particular com Trump sobre a Huawei, sem entrar em detalhes.

Huawei Mate 30

Huawei Mate 30

EUA divulgam riscos sobre 5G ao Brasil

Wilbur Ross, secretário de Comércio dos EUA, contou em agosto ao Valor que ofereceu informações "reservadas" e "sensíveis" ao governo brasileiro sobre os riscos do 5G, sem mencionar empresas como a Huawei. "O Brasil tem boa tecnologia e tem condições de descobrir por si próprio onde estão os riscos."

Para ele, todos os países devem ficar "muito, muito atentos sobre quem é o vendedor [de tecnologias 5G], quais são as implicações, quais são os relacionamentos do vendedor que podem ter efeito negativo".

De acordo com o secretário, "existe uma lei na China que obriga empresas privadas a cooperar com os serviços militares e de inteligência, mantendo em segredo o nível de cooperação".

Yang Wanming, embaixador da China no Brasil, rebateu dizendo que essa lei não existe: "tais palavras são totalmente desfundamentadas e inventadas... esses comentários visam lançar calúnias sobre produtos chineses alegando riscos de segurança, e atrapalhar a cooperação econômica-comercial normal entre a China e demais países".

O embaixador disse recentemente, sobre a licitação do 5G no país, que "a Huawei não será banida". A empresa detém o maior número de patentes 5G no mundo.

Mais sobre: , , ,