Início » Telecomunicações » Assinantes de TV paga em SP recebem alertas sobre desastres naturais

Assinantes de TV paga em SP recebem alertas sobre desastres naturais

Clientes da Claro, NET, Vivo, Oi, Sky e Nossa TV receberão alertas de alagamento, deslizamento de terra e chuva de granizo

Lucas Braga Por
29/10/2019 às 12h17

Usuários de TV por assinatura no estado de São Paulo podem receber alertas da Defesa Civil sobre desastres naturais desde segunda-feira (28): com a novidade, os espectadores serão avisados com uma mensagem pop-up caso haja alguma situação de risco. Isso está disponível para clientes da Claro (incluindo NET), Vivo, Oi, Sky e Nossa TV; trata-se de um recurso já presente em outros estados.

glenn-carstens-peters-amazon-prime-video-tv-unsplash

Os alertas são de mudanças abruptas de temperatura, alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, inundações, vendavais e chuva de granizo. Além de São Paulo, o recurso foi implantado previamente nos estados de Alagoas, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Não é necessário se cadastrar para os alertas: eles chegam de forma automática e se sobrepõem à programação tradicional, com tempo de exposição de 10 segundos. Também é possível fechar as mensagens para não atrapalhar a cena importante da novela.

A cobertura dos alertas será expandida: até o dia 18 de novembro, serão contempladas as regiões Centro-Oeste e Norte, enquanto a região Nordeste recebe o recurso até 16 de dezembro de 2019.

Defesa Civil envia alertas para celulares via SMS

Os avisos da Defesa Civil na TV por assinatura se complementam às notificações por SMS de desastres naturais. A Anatel informa que já foram disparadas mais de 700 milhões de mensagens para 6,7 milhões de clientes de telefonia móvel do país entre fevereiro de 2017 e agosto de 2019.

Para receber os alertas no celular, é necessário ser cliente da Claro, Vivo, TIM, Oi, Sercomtel, Algar ou Nextel e enviar uma mensagem contendo o CEP para o número 40199; é possível cadastrar vários CEPs.

Com informações: Governo de SP, Agência Brasil.

Mais sobre: