Início » Aplicativos e Software » Chrome e Firefox vão ocultar pedidos de sites para enviar notificações

Chrome e Firefox vão ocultar pedidos de sites para enviar notificações

Usuários do Chrome e Firefox terão que clicar em um botão discreto para ativar notificações

Paulo Higa Por
05/11/2019 às 14h13

Notificações de sites são como pop-ups: eles até tiveram alguma utilidade no começo, mas rapidamente passaram a ser mal usados e se tornaram incômodos. Tanto é que o Google Chrome e o Mozilla Firefox planejam acabar com os pedidos de notificações: as janelas serão ocultadas por padrão e o usuário terá que ativamente clicar em um botão na barra de endereços para passar a receber os alertas no desktop.

Mozilla Firefox 70 com mudança nas notificações

O Firefox é o primeiro a fazer as alterações para mais usuários. A partir da versão 70, os pedidos de notificações ainda aparecem, mas com duas opções: “Permitir” e “Nunca” (antes, os botões eram “Permitir” e “Não agora”). Já no Firefox 72, haverá apenas um ícone de notificação discreto na barra de endereços: o usuário deverá clicar nele para que o pedido surja na tela.

A Mozilla explica que, durante um mês, usuários do Firefox 63 receberam 1,45 bilhão de pedidos de notificações e apenas 23,66 milhões foram aceitos — ou seja, quase 99% não tiveram sucesso. Além disso, em cerca de 500 milhões de pedidos, os usuários ativamente rejeitaram as notificações, gastando tempo para apertar o “Não agora”.

Google Chrome 78 com mudanças nas notificações

No Chrome, a mudança está em testes. Na atual versão 78, você pode acessar o chrome://flags/#quiet-notification-prompts e ativar a opção "Quieter notification permission prompts”. Dessa forma, quando um site tentar mostrar um pedido de notificação, o navegador exibirá a mensagem “Notificações bloqueadas”. Será necessário clicar no botão e depois em “Permitir para este site” para recebê-las.

Notificações mal usadas

O Bleeping Computer nota que redes de anúncios de baixa qualidade têm se aproveitado do recurso de notificações para disseminar spam. Em uma das propagandas de exemplo, o usuário é induzido a clicar no botão de ativar as notificações para conseguir assistir a um vídeo.

Como não é trivial desativar posteriormente as notificações, que são exibidas na área de trabalho mesmo se você estiver visitando outro site, ou em alguns casos até se o navegador estiver fechado, o recurso acaba direcionando as vítimas para malwares, softwares indesejados e sites adultos.