Início » Gadgets » DJI Mavic Mini é um drone de 249 gramas por R$ 4.049

DJI Mavic Mini é um drone de 249 gramas por R$ 4.049

Drone leve e compacto da DJI voa por até 30 minutos, filma em 2,7K e não exige muitas burocracias

Paulo Higa Por

A DJI anunciou nesta quarta-feira (13) o Mavic Mini, um drone compacto com peso de 249 gramas que pode filmar em 2,7K. Com preço sugerido a partir de R$ 4.049 no Brasil, ele pode ser dobrado para ser transportado facilmente na mochila e não exige registro em diversos países, além de voar por até 30 minutos com uma única carga.

DJI Mavic Mini

Peso de 249 gramas e a polêmica no Brasil

A empresa faz questão de ressaltar o peso de 249 gramas do Mavic Mini, inclusive no corpo do drone. Isso porque as autoridades reguladoras dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Europa determinaram que drones abaixo de 250 gramas são mais seguros e causam menos danos em caso de acidentes, o que elimina a necessidade de registro e outras burocracias.

DJI Mavic Mini

No Brasil, a regulamentação da Anac deixa um ponto em aberto: ela determina que as regras mais brandas valem somente para drones com peso máximo de decolagem de até 250 gramas. O Mavic Mini com bateria e cartão de memória fica abaixo desse peso, mas pode ultrapassar o limite com qualquer carga acima de 1 grama — como um protetor de hélices, por exemplo.

DJI Mavic Mini

O cadastro de um drone pode ser feito no site da Anac. A Anatel cobrava uma taxa de R$ 200 para homologar drones importados para uso próprio (e R$ 500 para fins comerciais), mas decidiu remover a tarifa.

Filmagem em 2,7K e fotos de 12 megapixels

DJI Mavic Mini

O controle do Mavic Mini é simples e tem um compartimento para fixar seu celular Android ou iPhone com o aplicativo DJI Fly, que mostra todas as informações do voo e a imagem da câmera em tempo real. A transmissão entre o controle e o drone é feita por Wi-Fi e tem alcance de até 4 km em condições ideais que não existem na vida real.

DJI Mavic Mini

A câmera tem sensor de 1/2,3 polegada, lente com abertura f/2,8 e estabilização com um gimbal eletrônico de três eixos para tirar fotos de 12 megapixels sem tremidos. Você pode filmar em 2,7K a 30 quadros por segundo ou Full HD a 60 fps a uma altura de até 3.000 metros.

DJI Mavic Mini

A autonomia é de até 30 minutos, considerando um voo sem vento a 14 km/h. No modo mais rápido, é possível atingir velocidades de até 47 km/h. Há sensores visuais e de GPS para melhorar o pouso e permitir alguma localização até mesmo em locais fechados.

O Mavic Mini começa a ser vendido no Brasil por R$ 4.049 (que preço estranho) na última semana de novembro, com um ano de garantia. Nos Estados Unidos, ele é comercializado por US$ 399.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caio Oliva

Foi exatamente como entendi, que se o drone, como comentei, tem capacidade de levantar o equivalente ou mais de 250g, logo ele precisa de registro.

Só sei que com ou sem registro eu escolhi levar o Mavic Air, porque na hora que peguei o Mini na mão senti como se tivesse pegando em algo fajuto.

Mas não deixa de ser um bom drone que será homologado e registrado como todos os outros.

Quem fez cagada foi a Dji, que na real, ela não falou nada. Foram os veículos de notícia com pouca especialização que saiu assumindo isso.

Junior Max

Então... eu li o ICA 100-40 que está no site do DECEA, e nenhum momento eu achei o peso do drone como questão de limite ou outra coisa, tudo está relacionado ao PMD ( Peso Máximo de Decolagem ). Que na legislação é de até 250g, ou de 250g até 25kg e acima de 25Kg de PMD. Hipoteticamente, se seu drone pesar 100g mas conseguir levantar mais que 25Kg, você vai ter que instalar um transponder.

11.1.6 Conforme ICA 100-37 “Serviços de Tráfego Aéreo”, a operação deverá cumprir as regras existentes de emprego do transponder, da mesma forma como aeronaves tripuladas, em função da classe do espaço aéreo dentro do qual se pretenda operar.

NOTA: As Aeronaves Não Tripuladas com PMD acima de 250g e até 25Kg, operando VLOS e até 400ft AGL (aproximadamente 120 metros de altura), independentemente da classe do espaço aéreo sobrevoado, salvo determinação contrária, estarão dispensadas do uso do transponder.

Claro que dei um exemplo muito exagerado, mas é so pra entender mesmo.

O DECEA trata a coisa dos drones muito séria mesmo, e nisso eu até concordo por causa da segurança de voo. E pra quem trabalha na área da aviação sabe que isso é bem chato e rígido. A coisa é tão séria que o DECEA compara o piloto de drone ao piloto de uma aeronave.

8.1 O piloto remoto em Comando é peça fundamental para a segurança das operações UAS, possuindo as mesmas responsabilidades referentes a um piloto de uma aeronave tripulada por toda operação, de acordo com as Regras do Ar, leis, regulamentações e procedimentos publicados. Entretanto, as competências desse piloto devem ser cuidadosamente previstas para assegurar o conhecimento, habilidades, atitudes, capacidade física e mental, proficiência linguística etc., principalmente por não estarem a bordo da aeronave.

13.1.2 As informações necessárias ao voo deverão incluir, pelo menos, uma avaliação criteriosa dos seguintes aspectos:

a) condições meteorológicas (informes e previsões meteorológicas atualizadas) dos aeródromos envolvidos, das áreas e da rota a ser voada;

b) cálculo adequado de combustível, ou autonomia de bateria, previsto para o voo;

c) planejamento alternativo para o caso de não ser possível completar o voo; e

d) condições pertinentes ao voo previstas na Documentação Integrada de Informações Aeronáuticas (IAIP) e no ROTAER.

Então, posso dizer que DJI se confundiu na legislação de peso da aeronave com PMD (Peso Máximo de Decolagem). E isso porque eles nem colocaram o ZFW (Zero-fuel weight), pra drones a combustão.

A informação está bem clara pra mim, acho que o problema, e eu me incluo muitas vezes nisso, é que não procuramos saber a informação correta, não sou piloto de drone nem de avião, mas sou entusiasta da aviação, então muita coisa sei por causa disso, mas nem todo mundo é assim, e vê o drone como uma ferramenta de lazer ou trabalho.

Caio Oliva

No caso é ambos: Drones que pesam ate 249g e que tenha força de empuxo de decolagem de 249g.

Se puser acessórios, como props guards no Mini, ele pesa facilmente mais que 250g. O que implica que ele tem sim uma capacidade de decolagem acima de 250g.

Porém, isso pode ser confundido com Peso de Decolagem do Projeto.

Vamos lá, peso de decolagem do projeto é de 249g. Afinal, ele precisa levantar o próprio peso. Já o peso de decolagem, eu acredito que se refira à outros 249g adicionais.

Ou seja, se você puder carregar 500g na hora da decolagem, o drone não pode passar. Pois em teoria deveria-se excluir o peso do próprio bicho.

Sinceramente, acho muita informação desencontrada e pouco explicada.

Eu tenho um Air mesmo, todo licenciado, não caiu minha mao quando gastei 10 minutos pra registrar e pronto e acabou kkk.

Mesmo se eu ficasse com um Mink, registraria também..

¯\_(ツ)_/¯

Caio Oliva

Também concordo contigo, hehe.

Eu mesmo uso o Air pra fins recreativos. Porém, quero fazer imagens estonteantes, impressionar a família e deixar a viagem gravada em nossas memória de forma espetacular.

Infelizmente, o Mini não tem toda essa capacidade. Pois pra ser recreativo, precisa contar com tecnologia, coisa que apenas o Spark e o Air têm.

Como falei, o air é apenas semi-profissional. Pode sim ser usado pra fins lucrativos, uma vez que é tão veloz quanto um Phantom 4 e grava tão bem quanto um Mavic 1 Pro.

Mas prefiro só fazer drift no ar à 70 por hora e fazer umas filmagens em Asteroid e Parallax vez ou outra.

No mais, eu comprei o Mini, peguei em mãos, me decepcionei pelo material e falta de tecnologia em relação a seu preço e afirmo que enquanto houve melhores opções no mercado jamais optaria por ele. Fui apenas na loja comparar ambos, air e mini e na mesma hora, não precisou nem de papo de vendedor, pedi o estorno e sai com o Air. Sou feliz até hoje e não sabia hahaha!

Apenas se fosse um preço mais acessível. Ainda sim consideraria mais o sparkão, porque já que não é pra ter 4K, que pelo menos tenha um drone capaz te lhe seguir num passeio de moto ou bike e ao mesmo tempo desvie das árvore hehe

joaoserpa

Concordo contigo, mas acredito que o Mini não tenha como foco este tipo de usuário. Já acho que o Air não deve ser utilizado com este propósito, mas entendo que os profissionais são extremamente caros, por isso os mais acessíveis quebram um galho de vez em quando.. Acho que o AIr, Spark e agora o Mini sejam mais para uso recreativo, onde a autonomia torna-se mais importante que a qualidade das imagens. Bom mesmo seria o Mavic 2, que une o melhor dos dois mundos, mas haja $$$..

Caio Oliva

Oiii? Hahahaahah

Rapaz, eu comprei um Mini na pré-venda. Graças a deus eu fui na loja para, a titulo de curiosidade, testar ele e o Air. Antes da minha encomenda chegar, claro.

Olha, me decepcionei demais com o drone. Havia pago 850 dólares australianos e quando apenas toquei em ambos drones, já vi que a qualidade do Air é como se fosse uma bmw e o Mini um simples Celta.

Depois vieram as especificações. O Mini é extremamente limitado e capado {vou copiar do meu outro comentário acima}

- Não tem sensor nenhum de obstáculos
- Não tem modo inteligente nenhum. O unico active track é feito via software, devido a falta de software, o que sacrifica a precisão.
- Não salva fotos em .raw. O que pra quem edita no final cut só resta tristeza.
- Exageradamente leve. Tem menos estabilidade contra vento
- Não filma em 4k
- Não tem exposição de ISO
- Não tem slow-motion

Logo, esses 9 minutos de diferença não compensam jamais!!!

Paguei 1.400 no Air (ambos sendo Fly More Combo). Esse sim tem peso pra enfrentar vento. Vai ate 70 km/h contra os 47 km/h do Mini. E tem todos recursos que o Mini não tem.

Logo, ele é uma junção do Mavic Pro (ele é melhor que o pro, perde apenas para o Pro 2) com os sensores fantásticos do spark...

Ele tem modo jedi, boomerang, ponto de interesse, rastreamento de pessoa (só vai correr e ele te segue), entre outras mil funções.

O mini só valeria a pena se fosse 150 dólares. Pois ao meu ver é um drone de brinquedo com capacidade de viajar distante, pois não tem nenhuma função...

Caio Oliva

Cara, nem sempre autonomia é tudo num drone...

Quem tem experiência, prefere sacrificar 9 minutos de vôo, mas ter o fly more combo, que dá tanto tempo pra filmar quanto no outro.

Drones não são nada mais do que câmeras profissionais que voam. No caso o Mini falha em diversos aspectos:

- Não tem sensor nenhum de obstáculos
- Não tem modo inteligente nenhum. O unico active track é feito via software, devido a falta de sensores, o que sacrifica a precisão.
- Não salva fotos em .raw. O que pra quem edita no final cut só resta tristeza.
- Exageradamente leve. Tem menos estabilidade contra vento

E esse é apenas o início. Vou nem entrar no assunto que esse mini é feito de plástico de procedência duvidável e nem se compara com o Air. Não filma em 4k, não tem exposição de ISO, não tem slow-motion, todo capado.

Cerejinha em cima do bolo, kkk, é o preço extremamente próximo do irmão mais velho que tem tudo do spark (voa só com gestos se quiser), com a câmera e tecnologia do mavic pro.

Ou seja, o Air é a solução semi-profissional mais competente do mercado, sem dúvida.

Kalashnikov
Comprei no Ebay (EUA) no dia 1/11 com o dolar a R$ 3,97. O drone ficou no total R$ 2010,74 (preço+frete) + 128,29 (IOF Dolar) + 572,85 (taxa importação) = TOTAL = R$ 2711,88. Já está no Brasil com tudo pago desde o dia 13. Quem deixou pra comprar agora vai pegar o dolar na máxima histórica, o Bolsodolar! E mais, só vai chegar no ano que vem por causa do fim de ano.
Kalashnikov

Comprei no Ebay (EUA) no dia 1/11 com o dolar a R$ 3,97. O drone ficou no total R$ 2010,74 (preço+frete) + 128,29 (IOF Dolar) + 572,85 (taxa importação) = TOTAL = R$ 2711,88. Já está no Brasil com tudo pago desde o dia 13. Quem deixou pra comprar agora vai pegar o dolar na máxima histórica, o Bolsodolar! E mais, só vai chegar no ano que vem por causa do fim de ano.

Diorgenes Roan

nos USA o cara trabalha uma semana já da para comprar o drone, aqui o cara terá que trabalhar 4 meses sem gastar um centavo para comprar, surreal, se comprar de fora e for taxado ainda sai mais barato, quase a metade do preço.

joaoserpa

Depende, a câmera é melhor, mas a autonomia de voo é bastante inferior.. Eles colocaram esse preço absurdo justamente para não canibalizar as vendas dos produtos mais antigos.

Laurinston
Por esse preço e melhor colocar mais 500 e comprar o Mavic Air
Laurinston

Por esse preço e melhor colocar mais 500 e comprar o Mavic Air

Junior Max

Acho que a DJI se confundiu quando resolver fabricar esse drone de 249g em relação a legislação, até mesmo nos USA e se eu não me engano em outros países onde tem esse tipo de registro de Drones. O peso a que se refere é sempre ao que ele pode suportar na hora da decolagem e não o peso do drone.

What category of UAS is covered by the registration requirement?
UAS that weigh under 55 pounds and above 250 grams maximum takeoff weight, and are operated outdoors in the NAS.

wil

quais sensores ele tem?

Exibir mais comentários