Início » Negócios » Apple diz que não lucrou com consertos de iPhone e Mac nos últimos 10 anos

Apple diz que não lucrou com consertos de iPhone e Mac nos últimos 10 anos

Apple diz que deixar conserto de iPhones e Macs nas mãos de técnicos sem treinamento pode causar "problemas de qualidade"

Felipe Ventura Por

O Congresso dos EUA está realizando uma investigação para descobrir se as leis antitruste foram violadas pelo Google, Facebook, Amazon ou Apple. O CEO Tim Cook recebeu uma carta exigindo explicações sobre a App Store, apps embutidos no iOS e políticas de assistência técnica. A empresa diz que teve prejuízo consertando iPhones, iPads, Macs e outros produtos nos últimos dez anos.

Apple

"Para cada ano desde 2009, os custos da prestação de serviços de reparo excederam a receita gerada pelos reparos", escreve Kyle Andeer, vice-presidente de direito corporativo da Apple, em carta enviada ao Comitê Judiciário da Câmara dos EUA.

Isso pode fazer sentido se a Apple considerar os consertos feitos gratuitamente dentro da garantia. Afinal, veja só os valores cobrados para reparos fora da garantia no Brasil e nos EUA:

Conserto ou troca de tela Outros danos, incluindo conserto ou troca da traseira
iPhone 11 Pro Max e XS Max R$ 1.999 (US$ 329) R$ 3.729 (US$ 599)
iPhone 11 Pro, iPhone XS e iPhone X R$ 1.699 (US$ 279) R$ 3.449 (US$ 549)
iPhone 11 e iPhone XR R$ 1.229 (US$ 199) R$ 2.349 (US$ 399)
iPhone 8 Plus e 7 Plus R$ 1.049 (US$ 169) R$ 2.349 (US$ 399, 8 Plus), R$ 2.029 (US$ 349, 7 Plus)
iPhone 8 e iPhone 7 R$ 929 (US$ 149) R$ 2.029 (US$ 349, iPhone 8), R$ 1.729 (US$ 319, iPhone 7)

Apple comenta sobre assistências técnicas independentes

A Apple impede que a maioria das assistências técnicas independentes tenha acesso a peças originais e manuais de conserto; para tanto, é necessário entrar no programa IRP lançado em agosto. Esses recursos estão disponíveis para toda Apple Store e todo Centro de serviço autorizado Apple (AASPs). O comitê sugere que essa é uma forma de "afastar a concorrência e estender seu monopólio ao mercado de reparos".

A empresa responde dizendo que deixar o conserto de iPhones e Macs nas mãos de técnicos sem treinamento pode causar "funcionamento inadequado, problemas de qualidade do produto ou ocorrências de segurança". Ela também menciona que peças e parafusos soltos podem danificar componentes como a bateria, causando superaquecimento.

Na carta, a Apple diz que não toma nenhuma medida para impedir que consumidores procurem ou usem assistências técnicas independentes. Ela também não instrui os AASPs a recusar serviço para quem faz isso.

A empresa não rejeita automaticamente o conserto de um dispositivo que passou por esse tipo de canal não-oficial, mesmo que ele tenha componentes "que violem a propriedade intelectual da Apple".

Existem, no entanto, algumas exceções. A Apple não dará assistência técnica para produtos cuja placa lógica foi substituída por componentes não-originais, porque "o dispositivo precisaria ser desmontado a ponto de serem necessários ferramentas e processos especiais para remontá-lo". Ela também não aceita gadgets que tenham componentes falsos que não funcionem, como uma câmera.

Com informações: MacRumors.

Você pode se interessar também