Início » Celular » Dois celulares Xiaomi Redmi Note pegaram fogo com intervalo de dias

Dois celulares Xiaomi Redmi Note pegaram fogo com intervalo de dias

Um Xiaomi Redmi Note 7S e um Redmi Note 7 Pro pegaram fogo recentemente; Xiaomi nega falhas

Emerson Alecrim Por

Com o perdão do trocadilho, os últimos dias têm sido explosivos para a Xiaomi: na semana passada, o dono de um Redmi Note 7S relatou que o aparelho pegou fogo; agora, outro relato do tipo veio à tona, este envolvendo um Redmi Note 7 Pro.

Redmi Note 7 Pro incendiado

Redmi Note 7 Pro incendiado

O caso mais recente aconteceu na China. Song Yujie reportou no último dia 27 que o Redmi Note 7 Pro que ele havia comprado em julho para presentear o seu pai pegou fogo durante o uso, espontaneamente. Apesar de reportado só agora, o incidente teria acontecido em 29 de outubro.

De acordo com o relato, o pai de Yujie assistia a vídeos no celular e acabou adormecendo. Pouco tempo depois, ele acordou sentido cheiro de queimado. Foi então que o senhor percebeu que o fogo vinha de seu smartphone.

Felizmente, ninguém ficou ferido. A má notícia é que dificilmente Song Yujie conseguirá trocar o Redmi Note 7 Pro queimado por uma unidade nova ou receber reembolso: procurada, a Xiaomi informou que o incêndio foi causado por motivos externos e não por um problema relacionado à qualidade do aparelho, situação que invalida a garantia.

Quais seriam os tais motivos externos? Até o momento, eles não foram explicados. A única informação disponibilizada é a de que o smartphone estava sobre uma colcha no momento do incêndio.

Coincidência ou não, o primeiro caso também teve uma resposta "fria" por parte da Xiaomi: o indiano Chavhan Ishwar relatou no Facebook que, no começo de novembro, o seu Redmi Note 7S pegou fogo enquanto estava ocioso sobre a sua mesa de trabalho.

O Redmi Note 7S que pegou fogo

O Redmi Note 7S que pegou fogo

Ishwar decidiu tornar o caso público após entrar duas vezes em contato com a Xiaomi e receber respostas negativas sobre a troca do dispositivo. Quando questionada pela imprensa sobre a decisão, a companhia respondeu que, após análise, concluiu que o incêndio foi causado por uso incorreto do aparelho.

Apesar de esses incidentes chamarem atenção, não há motivo para alarde, a não ser que mais casos comecem a ser reportados. Frente ao número de smartphones que a Xiaomi vende — foram 32 milhões só no último trimestre —, esses são episódios isolados que, como tal, não são suficientes para indicar que a linha Redmi Note 7 tem algum problema de projeto ou fabricação.

Com informações: Gizmochina.