Início » Brasil » Urnas eletrônicas têm duas falhas de segurança em teste para eleições

Urnas eletrônicas têm duas falhas de segurança em teste para eleições

O TSE afirma que as falhas encontradas não afetam a votação, mas promete corrigi-las em breve

Victor Hugo Silva Por

A menos de um ano das eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fez uma nova rodada de testes de segurança em urnas eletrônicas. O evento é realizado desde 2009 e, desta vez, permitiu encontrar duas falhas no sistema eletrônico de votação.

TSE encontra falhas em urnas eletrônicas (Foto: Elza Fiúza/ABr)

Segundo o UOL, uma delas permitiu burlar barreiras de segurança do sistema voltado para incluir dados como a lista de candidatos e de eleitores nas urnas. Outra deixou alterar informações secundárias no sistema, sem interferir em registros de candidatos e eleitores.

O TSE garante que as falhas não comprometem o sigilo do voto ou a segurança das eleições. Elas foram encontradas em dois planos de ataque realizados por um grupo de investigadores da Polícia Federal. Ao todo, o teste de segurança contou com 13 planos de ataque às urnas eletrônicas.

O evento teve a participação de 22 investigadores divididos em cinco grupos, além de três investigadores individuais. Os técnicos da Justiça Eleitoral vão trabalhar para corrigir as vulnerabilidades e, em 2020, as urnas voltarão a ser testadas pelos investigadores da Polícia Federal.

O objetivo é verificar a efetividade dos reforços implementados no sistema eletrônico. O coordenador da Comissão Reguladora do Teste Público de Segurança do TSE, Giuseppe Janino, afirma que pontos com falhas em edições anteriores do evento foram corrigidas e, agora, se mostraram seguros.

"Houve achados importantes", diz Janino sobre as vulnerabilidades encontradas este ano, de acordo com o UOL. "Vamos trabalhar no fortalecimento dessas barreiras e vamos chamá-los novamente para testar a eficácia. O sistema vai para a eleição muito mais fortalecido".

Em seu teste, o TSE retira as 30 barreiras de segurança das urnas para simular um cenário com falhas que podem expor o sistema. O evento tem foco nas eleições marcadas para outubro de 2020, que ajudarão a escolher novos prefeitos e vereadores em todo o país.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Rodrigo
Prefiro urna eletronica que papel... agilidade na votação e melhor na contagem de votos...e menos suscetível a fraudes...
Luigi Lambri
Queria entender pq a galerinha que defende mais democracia é tão contra assim ter voto impresso? Pros desavisados o voto vai continuar com a urna eletronica, só que será impresso e vc pode conferir se o voto foi efetuado de forma correta no papel, no qual vc não vai pode pegar, ja cai direto na urna.
shinodaluk
As pessoas que pedem o voto impresso por ser possível "auditar" (como se fosse possível garantir que todos os papéis impressos vão ser preservados nesse processo de milhões de votantes) certamente não entendem nada de criptografia e não vão atrás de ver o quanto de estudos, esforço e ciência de dados e computação foi aplicado nisso. Não é algo que um primo fez, é algo que envolveu várias pessoas de todas as áreas da computação. E se há vulnerabilidades? Claro que há, até nos bancos há e eles investem bilhões de reais em tecnologia e segurança. Porém, essas são muito obscuras que estão em um ponto que só uma pessoa de dentro, muito especializada e com acesso a todo o sistema e hardware poderia encontrar.
RODRIGO
Já, já os bobominions gritarão pela urnas em papel em 3, 2, 1... P.S: galera adoradora do Nando Moura, tenho uma informação: Felipe Neto escracha a verdade na forma dura e dolorida a este mencionado, terminando... ele é o filhinho da mamãe!!!! KKKKKKKK!! Vejam lá no YouTube!