Início » Legislação » Facebook se recusa a enfraquecer criptografia para EUA, Reino Unido e Austrália

Facebook se recusa a enfraquecer criptografia para EUA, Reino Unido e Austrália

Facebook quer implantar criptografia de ponta a ponta em todos os aplicativos, mas governos fazem pressão contrária

Paulo Higa Por

Autoridades dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália enviaram uma carta aberta ao Facebook em outubro pedindo que a empresa não prossiga com os planos de implantar criptografia de ponta a ponta em todos os aplicativos, porque manter as mensagens protegidas poderia causar “riscos à segurança nacional”. A resposta pública do Facebook aos apelos dos governos chegou e foi um previsível “não”.

WhatsApp

Em um documento endereçado a ministros e secretários dos três países, o Facebook defende que enfraquecer a criptografia dos aplicativos de mensagens, como WhatsApp e Facebook Messenger, apenas abriria portas para que as brechas fossem exploradas com fins maliciosos.

“Os especialistas em cibersegurança provaram repetidas vezes que, quando você enfraquece qualquer parte de um sistema criptografado, o enfraquece para qualquer um, em qualquer lugar (…) É simplesmente impossível criar um backdoor e não esperar que outros tentem explorá-lo”, diz a carta assinada por Will Cathcart e Stan Chudnovsky, vice-presidentes do WhatsApp e Facebook Messenger, respectivamente.

Backdoor seria “presente para criminosos”

Uma das solicitações dos governos é justamente a criação de um backdoor: eles querem que o Facebook permita a “aplicação da lei para obter acesso legal ao conteúdo em um formato legível e usável”. Em um sistema criptografado de ponta a ponta, apenas o remetente e o destinatário podem ler as mensagens trocadas — nem o WhatsApp, nem seu provedor e nem o governo conseguiriam acesso sem uma chave de criptografia válida, ou sem uma “falha” de segurança criada propositalmente.

Aos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, o Facebook afirma: “O acesso de ‘backdoor’ que vocês estão exigindo para a aplicação da lei seria um presente para criminosos, hackers e regimes repressivos, criando uma maneira de eles entrarem em nossos sistemas e deixarem todas as pessoas em nossas plataformas mais vulneráveis a danos na vida real”.

E como o Facebook pretende atender às preocupações de segurança? “A inteligência artificial agora nos permite detectar proativamente muitos tipos de conteúdo ruim no Facebook e Instagram antes mesmo que alguém o denuncie e, muitas vezes, antes que alguém o veja. O WhatsApp detecta e bane 2 milhões de contas todos os meses com base em padrões de abuso e verifica informações não criptografadas, como informações e perfil e grupo em busca de conteúdo abusivo, como imagens de exploração infantil”, dizem os executivos.

Não é a primeira vez que o Facebook sofreu pressão de governos para quebrar a criptografia de ponta a ponta dos aplicativos. No Brasil, uma proposta do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) pedia “meios de acesso e quebra de sigilo de troca de mensagens de membros de organizações criminosas pela internet, redes sociais ou aplicativos de mensagens, inclusive com a possibilidade de infiltração de agentes policiais”.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lobo Solitário

Publicamente é o que dizem. Não duvido nada que já não tenham implantado há tempos por trás das cortinas.

Daniel Ribeiro

Mas ué, não era o Whatsapp que podia ser invadido ao receber um simples vídeo?
Que papo é esse agora? O Whatsapp é um backdoor gigantesco no celular de todo mundo. Permite acessar o Microfone, a câmera e a galeria de fotos, a localização, a lista de redes Wifi próximas. Não faz sentido nenhum negar o óbvio... Era mais fácil o Facebook ter ficado quieto e assim ninguém lembraria disso.

zephyr1an

mesma coisa que resmunguei

Lucas Gasparotto 

Aham, tá bom!

Guilherme Kowalisk

EUA? Reino Unido? Austrália? Como assim? Comunistas!!! 🙄